Análise: por linhas tortas, Odair Hellmann tenta encontrar time ideal do Fluminense
Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C

Invicto há quatro partidas na temporada, Odair Hellmann encontra ainda problemas na formação tática do Fluminense com substituições ruins e escolhas incoerentes durante as partidas. A permanência de Nenê ainda colhe bastante críticas por parte da torcida, pois é certo de que o meia de 39 anos, apesar de conseguir permanecer durante os 90 minutos, transmite cansaço no segundo tempo com passes errados e sofrendo faltas constantemente para paralisar a partida.

O Tricolor está na 4ª posição da tabela do Campeonato Brasileiro da Série A com 11 pontos. A situação da equipe é de tranquilidade pelos bons resultados, mas analisando por dentro do jogo é bastante fácil encontrar decisões equivocadas feitas pelo técnico Odair Hellmann.

O gol do Fluminense encontra inconsistências com Muriel, apesar de ser um bom jogador, porém, ainda comete erros na saída de bola e em rebotes. No banco, encontramos Marcos Felipe, Marcelo Pitaluga e João Lopes. Marcos Felipe é o reserva imediato e atualmente comanda com boas atuações o gol do Tricolor por conta do desconforto na perna esquerda que o Muriel sofreu recentemente.

A lateral-direita ainda é jovem e inexperiente com o volante improvisado de lateral, Lucas Calegari, de apenas 18 anos. O jogador comete erros defensivos na recomposição da bola, e sofre para marcar pela baixa estatura em bolas paradas, situação de jogo que o Fluminense ainda não corrigiu.

No entanto, ainda vale apostar na cria de Xerém, pois o jogador tem bom passe, velocidade e ajuda bastante na transição ofensiva, e o seu reserva imediato, Igor Julião, não mostrou ainda desempenho para ser titular. No entanto, caso o Fluminense encontre um jogador mais experiente para a posição, não seria radical optar pela troca.

Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C
Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C

A lateral-esquerda é comandada por Egídio, apesar das más atuações, e com a chegada de Danilo Barcelos, ex-Botafogo, a disputa pela vaga será mais acirrada. Egídio tem bom passe e cruzamento, mas comete erros na transição ofensiva quando não consegue chegar à linha de fundo. Um dos fatores é que o jogador tem 34 anos, e o seu reserva imediato, de 29 anos, além de cobrar falta, pode ser uma boa opção durante a temporada.

A zaga é consistente com Nino e Luccas Claro, este por último que já foi 3ª opção no banco de reservas, mas hoje agarra a oportunidade com bom desempenho e segurança na marcação. As opções são Matheus Ferraz, Digão, Frazan e Luan, o penúltimo ainda está em transição física para voltar aos treinos e o último com boas condições não teve ainda oportunidade com o técnico Odair.

Os volantes ainda dão o que falar, pelo simples fato de que ainda há rodízio para encontrar a dupla ideal, apesar de Dodi ter apresentado bons jogos como segundo volante, a cabeça de área é bastante disputada por Yuri, Hudson, Yago Felipe e André, este por último, cria de Xerém, que é o único na posição que não teve a oportunidade de mostrar para o que veio. 

Yuri demonstrou ser o parceiro ideal para Dodi no meio-campo, mas a preferência de Odair pelo inconsistente Hudson, este que saiu recentemente do departamento médico e ainda sem ritmo, já obteve a oportunidade de voltar a campo, o que culminou em sua expulsão durante o empate, nesta quarta-feira (2), contra o Atlético-GO.

O meio-campo ofensivo parece ter encontrado boas peças, e uma delas é Michel Araújo, uruguaio, de 23 anos, que possui bom passe, velocidade e uma boa transição ofensiva, apesar de ainda prender a bola demais, enquanto na defensiva comete erros na marcação. O camisa 15, ao lado de Nenê e Marcos Paulo tem apresentado um bom desempenho apoiando por trás o centroavante Evanílson.

Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C
Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C

As opções no banco são Ganso e Miguel, o primeiro que é o camisa 10 da equipe, não tem tido muitas chances com o técnico Odair Hellmann, mas sempre que entra na partida, dependendo da situação de jogo, ainda consegue produzir bastante para a partida podendo ser titular na vaga de Nenê. 

O Miguel, de apenas 17 anos, entrou de paraquedas no profissional, porém, além de ser promissor e com boas chances de ser um dos melhores na posição, não tem tido chances com o técnico, às vezes nem é relacionado para as partidas.

Há poucas semanas, a formação tática tem usado bastante o centroavante, Evanílson, isolado na área com o apoio de Marcos Paulo, Nenê e Michel Araújo atuando por dentro e pelas beiradas para encontrar espaços a fim de lançar as bolas para o camisa 99 empurrar para as redes.

Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C
Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C

Marcos Paulo, além de atuar no meio, pode também atuar como segundo atacante e caso precise, como referência na área também. No entanto, Odair prefere que jogue às vezes nas pontas ou atuando por dentro atrás de Evanílson. O esquema tático quando o coloca como ponta não o privilegia por não ter velocidade, é um jogador bastante técnico e precisa ter fôlego para construir as jogadas com sabedoria.

Além de Evanílson, o Tricolor tem boas opções no banco de reservas como Fred, Fernando Pacheco, Caio Paulista, Luiz Henrique e Wellington Silva. Dentre esses jogadores, Fernando e Wellington seriam boas opções para atuarem como pontas, porém, nenhum dos dois tiveram ainda a oportunidade de iniciar as partidas como titulares nas respectivas posições.

Com boas peças, o Fluminense pode encontrar boas condições para fazer uma temporada segura, porém, o técnico Odair Hellmann precisa ter atenção nas trocas de posições dos jogadores, pois o esquema reativo do treinador privilegia pontas agudos, o que não é o caso de Marcos Paulo e Nenê que ainda não deixaram de atuar nesta posição, apesar de jogarem como meias nas últimas partidas.

VAVEL Logo