Rogério Ceni lamenta derrota do Fortaleza na reta final: “Era completamente possível ganhar o jogo”
Foto: Reprodução/TV Leão

O Fortaleza foi derrotado pelo Flamengo por 2 a 1 neste sábado (05), no Maracanã. Rogério Ceni, técnico do Leão, falou sobre a rápida conversa que teve com Domènec Torrent, comandante do Rubro-negro.

Veio me cumprimentar depois do jogo, o que é natural entre dois treinadores. Ele veio pontuar que gostava muito do futebol que o Fortaleza jogava, mas (conversa) protocolar. Também antes do jogo desejei sorte, porque a empreitada que ele tem, nós sabemos que é de muita cobrança, mas protocolar, de respeito e educação que existem entre ambas as partes” disse.

Em seguida, o treinador falou sobre a entrada de Romarinho, no intervalo, na vaga de Marlon. Ceni também admitiu a queda de ritmo da equipe na segunda etapa, além de ter lamentado que não aproveitaram a vantagem de um jogador a mais. Já que Pedro Rocha saiu machucado e o Flamengo já havia feito todas as mudanças.

A entrada do Romarinho é porque achei que ele tinha condições de jogar hoje e na quarta. A gente enxergou que acabou o primeiro tempo empatado em 1 a 1, era um jogo parelho, com exceção dos primeiros seis minutos, em que nós fomos irreconhecíveis até tomar o gol. Faltou um velocista a mais para tentar ganhar o jogo no final porque era completamente possível ganhar o jogo porque o Flamengo estava mais desgastado. Nos últimos minutos, acabamos ficando com um jogador a mais”.

Mesmo que a partida tenha sido fora de casa, Rogério Ceni afirmou que a equipe jogou buscando a vitória. E ressaltou que as substituições foram feitas para marcar o segundo gol e virar o jogo.

Não viemos aqui para buscar empate. Quando o jogo está 1 a 1 e você vê que está bem, confortável no jogo, você vê que entra para ganhar. Não é porque é o Flamengo ou outro time. Se o jogo se desenha de uma forma diferente no primeiro tempo, onde nós tivemos algumas trocas pelo cansaço e pelos cartões e ele se desenhou em 1 a 1, você tem que aproveitar essa oportunidade para tentar vencer o adversário e fazer o segundo gol. As substituições foram para fazer o segundo gol. Uma pena que pelo lado que sofremos o segundo gol, perdemos a bola”.

Sobre o estado do gramado do Maracanã, o treinador do Leão afirmou que não estava bom. Assim como o do Castelão, casa do Fortaleza. No entanto, não usou isso como desculpa pelo resultado ruim.

O gramado não está tão bom, está mais ou menos como está o Castelão, com muitos buracos, mas se eu disser que atrapalhou o Fortaleza, eu não estaria sendo sincero. Quanto mais talento você tem, o gramado melhor ajuda o time nesse caso. O Fortaleza gosta da posse, mas sabíamos que jogaríamos hoje com menor posse de bola do que o Flamengo”.

Ceni também avaliou a atuação do volante Ronald, que começou a partida como titular: “Boa atuação do Ronald. A gente vai conhecendo devagar o atleta, até onde ele pode, jogou bem, sentiu o jogo. Avaliação relativamente positiva. Enquanto ele teve perna e fôlego, ele jogou bem”.

Por fim, o assunto foram as críticas que o treinador vem recebendo da imprensa e da torcida. Mas Rogério Ceni frisou que não tem muito tempo para o que definiu como “leitura fútil”.

Eu leio muito pouco, eu trabalho e não tenho tempo para ler. Eu trabalho a parte tática, vejo vídeos e jogos. A parte de críticas ou não, em qualquer profissão pública, você está sujeito a críticas, mas como trabalho bastante, tenho pouco tempo para esse tipo de leitura fútil” encerrou.

Com a derrota, o Fortaleza segue com oito pontos, na 11ª colocação. O próximo compromisso do Leão é na quarta-feira (09), contra o Sport. O duelo será no Castelão, às 18 horas (horário de Brasília) e marca a abertura da nona rodada do Brasileirão.

VAVEL Logo