Em
estreia do técnico Ney Franco, Cruzeiro usa pressão no ataque para vencer Vitória 
Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Cruzeiro e Vitória se enfrentaram nesta sexta-feira (11), no Mineirão, em jogo válido pela nona rodada do Brasileirão Série B. Na estreia de Ney Franco no comando técnico da Raposa, o time mineiro venceu por 1 a 0, com gol de Régis no segundo tempo, e rompeu a sequência negativa de seis jogos sem vitória.

Estratégias e números

O comandante Ney Franco optou por escalar o Cruzeiro no 4-3-3, com Fábio no gol, Léo e Cacá na defesa e Raúl Cáceres e Matheus Pereira nas laterais. O trio do meio-campo foi composto por Jean, Jadsom e Maurício para levar a bola ao ataque formado por Airton, Marcelo Moreno e Arthur Caíke.

O técnico Bruno Pivetti, por sua vez, mandou o Vitória a campo no 4-2-3-1. Wallace e João Victor foram os defensores que auxiliaram o goleiro Ronaldo na defesa, enquanto Leandro Silva cuidou da lateral direita e Thiago Carleto da lateral esquerda. Lucas Candido e Guilherme formaram a dupla de volantes para fazer a marcação. Vico, Fernando Neto e Gerson Magrão foram os meio-campistas responsáveis por acionar Léo Ceará na grande área.

Nas estatísticas, prevaleceu a superioridade cruzeirense. O Cruzeiro teve 53% da posse de bola, 18 finalizações (quatro no alvo) e 457 passes (384 certos). O Vitória ficou com 47% da posse, 15 finalizações (três no alvo) e 406 passes (332 certos).

Entrada de Régis no segundo tempo foi determinante para a vitória da Raposa na partida

Régis com a bola no segundo tempo (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)
Régis com a bola no segundo tempo (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

O time da casa começou o jogo se lançando ao ataque e tentando pressionar o adversário. A pressão, todavia, apenas deu certo nos minutos iniciais e logo depois o Vitória equilibrou as ações do confronto. A equipe baiana chegou na frente aos 10, na primeira finalização.

O Cruzeiro continuou ofensivo e se esforçando para se manter bem, mas a partir dos 20 precisou se segurar na defesa, no momento que o rubro-negro cresceu em campo. O time celeste também sofreu com a dificuldade na criação de jogadas e passou longe de oferecer ameaça na parte final da primeira etapa.

O Vitória, por sua vez, pouco acionou seus atacantes no geral e tentou levar perigo nas bolas aéreas. Aos 46, tentativa com Leandro Silva em chute por baixo, que exigiu boa defesa do goleiro Fábio.

Para o segundo tempo, o Cruzeiro voltou a campo com uma postura mais motivada, enquanto o Vitória veio disposto a se defender e pouco atacou. Aos 10, o técnico Ney Franco resolveu mexer na equipe cruzeirense: tirou Marcelo Moreno e Jadsom para as entradas de Thiago e Régis. As substituições surtiram o efeito desejado.

Aos 28, Régis cobrou falta em direção ao Thiago, que cabeceou para cima do gol, mas que passou perto da meta de Ronaldo. Em seguida, contra-ataque puxado na esquerda pelo time mineiro, que Arthur Caíke passou para Régis abrir o placar.

Aos 37’, Régis novamente se destacou ao carimbar a bola na trave. Em 35 minutos em campo, o camisa 10, em 28 toques na bola, teve quinze passes certos, oito duelos ganhos no chão e um de forma aérea. O meia recebeu a nota 7.6 do SofaScore pelo desempenho na partida.

Por fim, a melhor chance do Vitória na etapa final surgiu somente aos 39, em lance que exigiu defesa de Fábio, que pouco trabalhou no segundo tempo. O tricolor baiano se preocupou em se defender bem e faltou força no ataque.

Classificação e próximos compromissos

Com a vitória, o Cruzeiro respira aliviado após período de sufoco na Série B. O time mineiro pulou para a décima terceira colocação, com oito pontos conquistados em nove jogos. Em busca de mais vitórias, o time mineiro irá viajar até Maceió para encarar o CSA no próximo sábado (19), no Estádio Rei Pelé, às 21h.

O Vitória, com a derrota, se encontra na oitava colocação, com 13 pontos em nove partidas. O próximo jogo será diante do Juventude na segunda-feira (14), no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, às 20h.

VAVEL Logo