Desesperados por vitória, Oeste e CSA se enfrentam para sair do rebaixamento
Arena Barueri, palco do confronto entre Oeste x CSA | Foto: Divulgação/Oeste FC

Duas equipes entram em campo para disputar uma partida com o objetivo de vencer. Na manhã deste domingo (13), Oeste e CSA irão entrar em campo na Arena Barueri, em Barueri/SP, para somarem três pontos e encerrar uma sequência tenebrosa de péssimos resultados. A vitória é algo mais que necessário para os dois times. Nas últimas posições do Campeonato Brasileiro da Série B, os clubes precisam ganhar para tirar a tensão do ambiente e tentar sair do rebaixamento – ou ver a saída mais próxima – na partida válida pela nona rodada da Segundona.

Na rodada anterior, o Oeste foi derrotado em casa pelo Juventude por 3 a 1. O time vem de uma sequência horrível, sem vencer um jogo desde o último mês de março. O futebol foi paralisado, retornou, o Rubrão foi rebaixado à Série A2 do Campeonato Paulista e ocupa a última posição da Série B com apenas três pontos somados. Do outro lado, o Azulão do Mutange empatou com o Confiança no fim de semana passado em 1 a 1 e busca o triunfo após cinco rodadas.

Sem mudanças

O panorama do Oeste é terrível. A última vez que a equipe paulista venceu uma partida foi no último dia 13 de março, sobre o Botafogo-SP, pelo Campeonato Paulista. Até hoje, foram quatro meses de futebol paralisado por conta da pandemia do novo coronavírus, o fim do Paulistão e quase 30% da Série B disputados e nada de vitória. Ao contrário de outras equipes, a comissão técnica não foi desfeita e vários jogadores experientes seguem a ser anunciados.

Ainda assim, para o confronto diante do CSA, a equipe não deverá sofrer modificações na formação inicial. O objetivo a princípio é que os novos reforços possam entrar aos poucos, no decorrer da partida, até que ganhem espaço e mereça titularidade. Ao comentar as expectativas, o técnico Renan Freitas reconheceu a dificuldade do jogo, mas afirmou que os donos da casa precisam fazer de tudo para obter a vitória.

“Sabemos da dificuldade, pois o CSA é um time tradicional e disputou a Série A na temporada passada. No entanto, em casa, precisamos buscar os três pontos”, afirmou.

Apesar dos reforços, padrão segue inexistente

Qual é o time-base do CSA? Qual a ideia de jogo? Como o time entra em campo nos jogos dentro e fora de casa na Série B? São perguntas básicas que seguem sem resposta. Pela primeira vez desde o início da competição nacional, a equipe teve uma semana inteira apenas de treinamentos. E, mesmo assim, a comissão técnica não conseguiu definir o escrete inicial e terá dúvidas a serem esclarecidas apenas quando a escalação for divulgada.

Desfalcam o Azulão nessa rodada os volantes Geovane e Marquinhos, além do atacante Rodrigo Pimpão, em cumprimento de suspensão automática. Seguem no departamento médico o lateral-esquerdo Igor Fernandes e os goleiros Alexandre Cajuru e Thiago Rodrigues. Jogadores como o zagueiro William Rocha, o volante Richard Franco e os atacantes Allano e Rafael Bilu não foram relacionados por opção técnica. Em contrapartida, os dois reforços anunciados no decorrer da semana viajaram com a delegação, estão regularizados e têm grandes chances de entrarem de primeira: o volante Cedric e o atacante Paulo Sérgio. Em entrevista coletiva, o atacante Pedro Júnior afirmou que há esforço e dedicação do elenco para reverter a situação azulina no campeonato.

“Vai ser um jogo difícil, a gente sabe disso. Não é porque está na zona de rebaixamento que vai ser fácil. A gente vai lutar, doar ao máximo porque a gente precisa dessa recuperação. Não é momento de pensar em título, mas de sair dessa situação. Mais para frente a gente pensa no título aqui para o CSA. Quando eu cheguei aqui, percebi que o time estava sem confiança. Mas a gente está adquirindo essa confiança. Durante a semana, a gente tem se esforçado para chegar no jogo e fazer o melhor possível”, falou.

Ficha técnica Oeste x CSA – Campeonato Brasileiro da Série B, rodada #9

Arena Barueri, em Barueri/SP – 11 horas deste domingo (13)

Oeste – Luiz; Matheus Rocha, Matheus Dantas, Sidimar e Gustavo Salomão; Lídio, Yuri, Marlon e Mazinho; Luan e Bruno Lopes. Técnico: Renan Freitas.

CSA – Bruno Grassi; Diego Renan, Alan Costa, Luciano Castán e Rafinha; Márcio Araújo e Cedric; Netto, Pedro Júnior e Victor Paraíba; Paulo Sérgio. Técnico: Argel Fucks.

Arbitragem – Paulo Henrique de Melo Salmázio (CBF/MS), auxiliado por Leandro dos Santos Ruberdo (CBF/MS) e por Cícero Alessandro de Souza (CBF/MS), com Rafael Gomes Félix da Silva (CBF/SP) como quarto árbitro.

VAVEL Logo