Gabriel Sara desencanta, mas Santos descola empate no clássico com São Paulo
Marinho saiu do banco para decidir mais uma vez (Foto: Divulgação/Santos FC)

No segundo clássico San-São do ano, e de número 312 da história, o Santos ficou no empate com o São Paulo neste sábado (12), na Vila Belmiro, sem a tradicional festa das torcidas que ainda não podem adentrar nas Arenas. Os gols foram marcados por Madson e Marinho, saindo do banco, pelo lado mandante, enquanto Gabriel Sara (2) fez pelo lado visitante, pela primeira vez como titular no profissional.

Estratégias

O técnico Cuca optou por levar a equipe santista na formação do 4-2-3-1. No gol, em grande fase, o arqueiro João Paulo - que acabou indo mal no jogo. Lucas Veríssimo e Luan Peres formaram a dupla de zaga, enquanto Madson e o meia Diego Pituca, improvisado, cuidaram das laterais. No meio-campo, Carlos Sanchez e o capitão Alison compuseram a dupla de volantes, que davam sustentação para Soteldo atuar com mais liberdade e avançar, para, muitas vezes virar segundo atacante. Nos lados do campo, Arthur Gomes pela direita e Lucas Braga pela esquerda, tentavam encontrar o atacante de ofício, Marcos Leonardo na área. 

Fernando Diniz manteve sua equipe titular para o jogo, no seu tradicional esquema do 4-3-3. Tiago Volpi, goleiro titular absoluto. A zaga contou com Léo Pelé e Diego Costa. Nas laterais, Igor Vinícius pela direita e Filipe Luís pela esquerda. Tchê Tchê ficou na frente dos zagueiros para dar liberdade a Igor Gomes e Hernanes na construção ofensiva. No último terço do campo, Gabriel Sara pela direita entrava na área, Igor Gomes armava pela esquerda, na esperança de encontrar o artilheiro Luciano na área.

São Paulo começa muito bem, mas cai de ritmo e cede empate na segunda etapa

A primeira etapa começou de forma fulminante, e em sete minutos a equipe do São Paulo chegou duas vezes. Na primeira, Vitor Bueno carregou a bola pela esquerda e soltou o pé, batendo cruzado e mandando para fora, pelo lado direito da meta do arqueiro adversário. Na segunda, Volpi bateu o tiro de meta, a bola quicou na frente do zagueiro santista, o enganando, e sobrou para Reinaldo, que finalizou em cima do goleiro João Paulo.

Logo em seguida o tricolor paulista abriu o placar. Em saída de tiro de meta, o zagueiro Luan Peres tentou sair jogando, mas a pressão alta do São Paulo resultou na roubada de bola de Gabriel Sara que frente a frente com o goleiro santista não perdoou e fez seu primeiro gol como profissional: 1 a 0. 

Mesmo com o gol marcado o São Paulo não se acuou e quase ampliou o placar. Tchê Tchê recebeu a bola após corte da defesa adversária e lançou a área, rasgando o sistema defensivo santista e encontrando Igor Vinicius sozinho de frente para o gol, o lateral finalizou de primeira e jogou para fora da meta.

O Santos confirmou seu poderio ofensivo nas bolas aéreas, empatando o jogo. Sánchez cobrou escanteio, que foi cedido após a cobrança de uma falta pelo mesmo, e encontrou Madson chegando por trás da defesa tricolor que subiu mais alto que todo mundo e cabeceou no fundo das redes da meta do goleiro, sem chances para Volpi. 

Embalado pelo gol, o Santos apostava em lançamentos longos para acionar a velocidade de seu ataque. Soteldo recebeu a bola na ponta direita em contra-ataque, que pegou o São Paulo de surpresa com apenas dois jogadores na cobertura, o venezuelano entrou na área cortando os adversários, mais na hora da finalização, deixou a desejar e o goleiro Tiago Volpi fez a defesa. 

Mas o São Paulo reagiu, e aos 37 minutos, a equipe voltou a ficar na frente do marcador na Vila Belmiro. Gabriel Sara iniciou a jogada que acabou nos pés do lateral Igor Gomes na ponta esquerda, que cruzou rasteiro para a entrada da área e o jovem atacante apareceu para concluir e marcar seu segundo gol na partida, e selar a vitória do tricolor no primeiro tempo: 2 a 1.

Na volta para a segunda etapa, o Santos subiu a marcação para pressionar após a perda da bola para o adversário. Com um minuto, a defesa do tricolor se viu encurralada e Diego Costa tentou cortar o Soteldo que vinha na marcação, mas perdeu a bola que ao ser recuperada foi alçada para área e encontrou Sanchez que cabeceou para fora. 

Logo após essa chance, a equipe santista trocou passes de pé em pé até achar o zagueiro improvisado na lateral, Veríssimo, que passou para Soteldo se livrar de dois marcadores na ponta esquerda e lançar para dentro da área encontrando Sanchez, que em um bate e rebate com a defesa do São Paulo ficou de frente para o gol, mas perdeu ângulo e finalizou em cima do goleiro.

Marinho, que ficou no banco, entrou na partida no lugar de Sanchez aos 21 minutos com a sua equipe ainda atrás no placar do jogo. Com isso o Santos ganhou mais um poder ofensivo, fazendo diagonal e entrar na área jogando mais próximo ao gol, preocupando mais a defesa do São Paulo, para tentar empatar. 

Após paralisação na Vila Belmiro por queda de luminosidade, o Santos voltou trocando passes, e Marinho recebeu e passou por Hernanes na intermediária do ataque e foi derrubado, sofrendo uma falta. Na bola parada, o famoso "minimíssil aleatório" entrou em ação e o atacante soltou uma bomba de longa distância, a bola viajou e foi para no fundo do gol. No detalhe do tento santista, o goleiro Tiago Volpi falhou duas vezes: na formação da barreira, e na tentativa de defesa, o arqueiro ficou estático. Fim de jogo: San-São empatado.

Próximos compromissos

Com o empate no clássico, o Santos fica com 15 pontos e sobe para sexta colocação na tabela — o clube ainda pode ser ultrapassado. A equipe santista acumula quatro vitórias, três empates e três derrotas no Campeonato Brasileiro 2020, chegando a quatro partidas sem perder. Na terça-feira (15), às 21h30, na Vila Belmiro, o clube recebe o Olimpia pela Taça Libertadores no Grupo G.

Já o São Paulo fica com 18 pontos e permanece na segunda colocação na tabela — o clube ainda pode ser ultrapassado. A equipe tricolor acumula cinco vitórias, três empates e duas derrotas no Campeonato Brasileiro 2020, empatando o segundo jogo seguido. Quinta-feira (17), às 19h, no Morumbi, o clube recebe o atual vice-campeão da Taça Libertadores, o River Plate, no Grupo D.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore
VAVEL Logo