Com gols contra, Athletico vence Colo Colo e amplia vantagem na liderança de grupo C
Foto: Divulgação/Athletico Paranaense

O Athletico-PR derrotou o Colo Colo pelo placar de 2 a 0 nesta quarta-feira (23) pela quarta rodada da Libertadores 2020, grupo C. Na Arena da Baixada, Felipe Campos e Suazo tiveram a infelicidade de serem os autores dos dois gols contra, ambos no primeiro tempo.

As equipes entraram em campo pela principal competição do continente valendo a liderança isolada do Grupo C, que já era ocupada pelo Furacão, mas com os mesmos seis pontos do time chileno. Na rodada anterior, vitória dos dois lados: o Athletico bateu o Jorge Wilstermann por 3 a 2, enquanto o Cacique derrotou o Peñarol por 2 a 1, ambos os resultados de virada.

Estratégias

Eduardo Barros pôde contar com as voltas de Cittadini e Thiago Heleno, que já começaram entre os 11. Porém o técnico teve os desfalques de Nikão, Bissoli e Walter. Esquema tático: 4-3-3. No gol, Santos. Pedro Henrique e Thiago Heleno formaram a dupla de zaga, enquanto Jonathan na direita e Márcio Azevedo na esquerda cuidaram das laterais. No meio-campo, Erick, Wellington e Christian tinham as funções de primeiro combate e início das jogadas ofensivas, com o primeiro mais livre para auxiliar no ataque. E, mais à frente, Fabinho pela direita, Pedrinho pela esquerda e Cittadini mais centralizado, porém com movimentação.  

Gualberto Jara não teve seu principal jogador e capitão Esteban Paredes por lesão. O zagueiro Barroso foi outra baixa. Esquema tático: 4-2-3-1. Cortés no gol. A zaga contou com Felipe Campos e Insaurralde. Nas laterais, Opazo pela direita e De La Fuente pela esquerda. O meio-campo tinha Fuentes e Suazo na dupla de volantes. Mais à frente, Bolados e Mouche apostavam na velocidade pelos lados, enquanto Matías Fernández centralizava na construção. E, na área, Parraguez era o homem da finalização.

Athletico é cirúrgico mesmo com gols contra, em jogo de poucas finalizações

O Athletico iniciou a partida se impondo como mandante. No primeiro minuto, já havia chegado na área adversária duas vezes, com uma finalização de longe. Com cinco, mais uma finalização, desta vez na direção do gol para a defesa de Cortés. No minuto seguinte, Pablo Mouche se lesionou e precisou ser substituído, precocemente, por Leonardo Valencia.

E, ainda aos seis minutos, cobrança de escanteio pela esquerda e Felipe Campos mandou contra o próprio gol, pressionado por Pedro Henrique, que incomodava no meio da marcação. Placar aberto para o Furacão. A tradicional pressão nos 15 minutos iniciais não cessou, e, aos 14, Cittadini invadiu a área pela esquerda, recebeu a bola, bateu cruzado, Cortés espalmou, e Suazo fez outro gol contra na tentativa de tirar a bola de Erick, que chegava para concluir.

Destaque para Erick, ativo no ataque. O Colo Colo tentava segurar a bola e tocar no seu campo de defesa, mas tinha dificuldades para avançar. Aos 27, 57% de posse de bola a favor do time da casa, 2 a 2 em finalizações e 2 a 0 em chutes a gol também para o mandante. O Cacique começou, então, a aumentar sua posse de bola, mas ainda sem conseguir passar pela marcação do Athletico e converter em finalização.

Cittadini também se destacava, participativo principalmente pela esquerda. Ambas as equipes passaram a trabalhar entre as intermediárias, com dificuldades para pisarem na área ou subirem pelos lados, justificando o baixo número de finalizações. Pelo time visitante, Bolados era o único jogador que conseguia encontrar espaços, atacando pela direita.

O segundo tempo começou com trocas. No Colo Colo, saíram De La Fuente e Matías Fernández para as entradas de Vejar e Carmona. Já no Furacão, Abner entrou no lugar de Márcio Azevedo. E o Athletico apresentou início ofensivo mais uma vez, com a bola e no campo de ataque, estudando como chegar ao gol. Pedrinho tentava jogadas em velocidade pela esquerda.

O Cacique buscava o domínio da bola, incluindo pressão na saída adversária, sabendo que corria contra o tempo. E resolveu mexer novamente: Opazo deu lugar a Bryan Soto. Sem poder de criação, a equipe paranaense conseguia jogadas de linha de fundo pelos dois lados. Aos 15, 55% de posse de bola a seu favor. Eduardo Barros sacou Pedrinho para a entrada de Geuvânio.

Após alguns minutos de trabalho de bola adversário, o Furacão voltou a pressionar no ataque, principalmente em bolas aéreas, por cruzamentos e bolas paradas. E mais trocas: Bolados deu espaço a Gabriel Costa pelo Colo Colo; Cittadini, que caiu de desempenho no segundo tempo, saiu para a entrada de Lucho González, e Jonathan deu vez a Jorginho.

Suazo passou a se destacar pelo visitante, subindo pela esquerda e chegando na área. Aos 40, 51% de posse de bola a favor do Athletico; 5 a 4 em finalizações e 4 a 0 em chutes a gol, também para o mandante. Christian ainda saiu para a entrada de Léo Gomes. Santos trabalhou pela primeira vez no jogo já nos acréscimos. Mas sem alteração no placar.

Classificação e próximos compromissos

Com a vitória, o Athletico assumiu a liderança isolada do Grupo C, com nove pontos. O próximo compromisso do Furacão é pelo Campeonato Brasileiro contra o Bahia no sábado (26) às 19h. Já pela Libertadores, recebe o Jorge Wilstermann na próxima terça-feira (29) às 21h30.

Já o Colo Colo, com a derrota fora de casa, continuou na segunda colocação, com os mesmos seis pontos. A equipe volta a campo pelo Campeonato Chileno também no sábado (26) às 11h, quando recebe o Antofagasta. E, pela competição continental, visita o Peñarol na terça-feira (29) às 19h15.

VAVEL Logo