Cuca lamenta crise política no Santos: "Querendo ou não, interfere em campo"
Foto: Ivan Storti/Santos FC

Após o empate em 1 a 1 diante do Fortaleza, na Vila Belmiro, pela 12ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, a segunda-feira (28) do Santos será decisiva na política do clube.

Conforme inicialmente publicado pela "Gazeta Esportiva", o Conselho Deliberativo vota nesta segunda-feira (28), o parecer de pedido de afastamento do presidente José Carlos Peres e de sete membros do Comitê de Gestão.

Após a partida do último domingo (27), o técnico Cuca revelou incômodo em relação ao momento vivido pelo clube.

"Eu, particularmente, tive um dia muito ruim, porque amanhã a gente terá um dia conturbado aqui no Santos, pode ocorrer uma série de coisas politicamente, e a gente está a mercê disso. Por mais que o Dória, o Matheus e o Jorge estejam aqui com a gente, estejam trabalhando junto, amanhã tudo pode acontecer e, de repente, cambiar tudo", comentou Cuca.

A Comissão de Inquérito e Sindicância concordou com o Conselho Fiscal do clube, sobre as irregularidades na gestão José Carlos Peres. O Alvinegro Praiano teve as contas de 2019 reprovadas-houve superávit de R$ 23,5 milhões de superávit no ano passado, mas o Peixe contou com a contabilização da venda do atacante Rodrygo ao Real Madrid, da Espanha, por R$ 190 mi.

"Passei falando com o advogado, muitas vezes pensando que está um peso muito grande e que as coisas têm que se organizar também para que fora de campo a gente tenha um pouco mais de paz. Querendo ou não, afeta dentro de campo, a gente fica sabendo de tudo que ocorre, é isso também afeta um pouco. Vamos torcer para que as coisas andem de um jeito que seja bom para o Santos e que a gente fique ileso disso, para que quinta-feira possamos fazer um jogo decisivo contra o Olimpia", ressaltou Cuca.

O Santos volta a campo na quinta-feira (1º), contra o Olimpia, em Assunção, no Paraguai, às 19h, pela quinta rodada da fase de grupos da Libertadores.

VAVEL Logo