Na força da bola parada, Fortaleza bate Ceará e se aproxima do título estadual
Foto: Leonardo Moreira/Fortaleza EC

O quinto encontro entre Ceará e Fortaleza de 2020 terminou com vitória do tricolor por 2 a 1 na Arena Castelão. O clássico disputado nesta quarta-feira (30) foi o primeiro jogo da decisão do Campeonato Cearense

A grande final será dia 21 de outubro. O Fortaleza joga pelo empate para ser bicampeão. Maior campeão estadual, o Ceará soma 45 títulos e o tricolor luta pelo 43º. Neste ano, os times ainda se enfrentam mais uma vez - em dezembro, desta vez pelo Brasileirão.

O ano de 2020 terá, portanto, sete edições do Clássico-Rei. Por enquanto há um equilíbrio - um empate em fevereiro e duas vitórias para cada lado. O alvinegro já levantou um troféu neste ano - a Copa do Nordeste - justamente quando eliminou o rival na semifinal.

Sem Cléber, que já disputou o estadual pelo Barbalha, o técnico Guto Ferreira manteve Rafael Sóbis como o jogador mais avançado no Ceará. A estratégia deu certo - ele fez o único gol do Vozão no jogo, aos 47 minutos de jogo, ao aparecer na posição de centroavante, por trás da defesa, e tocar de pé direito para empatar.

Já o centroavante Wellington Paulista passou em branco, mas o setor defensivo fez a diferença. Quando o placar estava zerado, o zagueiro Gabriel Dias salvou um chute de Fernando Sobral em cima da linha. Logo depois o lateral esquerdo Bruno Melo marcou de cabeça e o lateral direito fechou a conta. O volante Juninho teve participação direta nos gols, cruzando as duas bolas que entraram na rede.

A esta altura o Fortaleza já estava na frente, porque após cobrança de escanteio de Juninho na esquerda, Bruno Melo abriu o placar de cabeça aos 37. No lance, ele teve um choque de cabeça com o xará Bruno Pacheco. Ambos caíram no gramado sangrando, foram atendidos e prontamente substituídos.

O jogador do Fortaleza foi encaminhado ao hospital para fazer exames e ainda voltou à Arena Castelão para comemorar a vitória. Já o lateral do Ceará deixou o gramado, levou pontos na cabeça e assistiu ao restante do clássico nas arquibancadas.

O segundo tempo continuou equilibrado e o Fortaleza chegou a pedir pênalti quando Wellington Paulista caiu na área. O árbitro Marcelo de Lima Henrique consultou o VAR e nada marcou. O lance mais perigoso do Fortaleza foi um chute de longe de Ricardinho que Felipe Alves defendeu.

Quando o clássico encaminhava para o empate, Juninho bateu falta da intermediária, a zaga do Ceará afastou parcialmente e a bola sobrou para Tinga, que encheu o pé para colocar o Fortaleza em vantagem mais uma vez.

Próximos compromissos

Os times voltam a campo no final de semana, pelo Campeonato Brasileiro. Na noite do sábado (3), o Ceará encara o Palmeiras no Allianz Parque, em São Paulo. No dia seguinte, o Fortaleza recebe o Atlético-GO na Arena Castelão.

 

VAVEL Logo