Com
VAR atuante, Santos é eficiente e vence lanterna Goiás fora de casa
Foto: Divulgação/Santos

O Santos derrotou o Goiás pelo placar de 3 a 2 neste domingo (4) pela 13ª rodada do Brasileirão 2020. No Estádio da Serrinha, Vinícius e Victor Andrade marcaram para o time da casa, enquanto Marinho, Jefferson (contra) e Marcos Leonardo garantiram a vitória para o visitante.

As equipes foram para a partida em situações muito distintas. O Verdão era o lanterna do campeonato e contava com a estreia e terceira passagem de Enderson Moreira no comando técnico, após Thiago Larghi ser demitido precocemente, com apenas seis jogos. Já o Peixe vinha de nove jogos de invencibilidade, na nona colocação, além da classificação antecipada na Libertadores.

Estratégias

Enderson Moreira teve todos os jogadores à disposição para sua estreia, incluindo Jefferson, voltando de suspensão. Esquema tático: 4-3-3. Tadeu no gol. Fábio Sanches e David Duarte formaram a dupla de zaga, enquanto Edílson e Jefferson cuidaram das laterais.

No meio-campo, Breno e Sandro ficaram responsáveis pela marcação, e Daniel Bessa teve a função da construção ofensiva. Mais à frente, Keko e Vinícius apostavam no ataque em velocidade pelos lados direito e esquerdo respectivamente, e Rafael Moura marcava posição na área como centroavante.

Cuca recebeu a notícia de que não poderá contar com Carlos Sánchez pelo restante da temporada por lesão no joelho. Mas Luan Peres voltou após cumprir suspensão. Esquema tático: 4-3-3. No gol, João Paulo. A zaga contou com Alison e Luan Peres. Nas laterais, Pará pela direita e Felipe Jonatan pela esquerda.

O meio-campo tinha Jobson e Diego Pituca no primeiro combate e Arthur Gomes mais responsável pela armação. No ataque, Marinho, em grande fase, subia pela direita, Lucas Braga pela esquerda, e Kaio Jorge tomava conta da área.

Em jogo muito paralisado e de expulsões, Santos ganha na eficiência

A primeira etapa teve início com o time da casa pressionando no ataque já no primeiro minuto, rondando a área adversária. Pressionando também na saída de bola, não deixando o Santos passar da linha de meio-campo.

E, logo aos quatro minutos, a recompensa veio. Lançamento do campo de defesa, Keko dominou no peito dentro da área, chegou na linha de fundo, cruzou para o meio, e Vinícius estava lá para empurrar, abrindo o placar.

O Peixe teve sua primeira chegada na área adversária apenas aos dez minutos. Keko começava a se destacar, bem acionado em velocidade pelo corredor direito. Até que o juiz da partida e o VAR passaram a ser protagonistas.

Aos 13, Lucas Braga invadia a área para finalizar quando foi derrubado por David Duarte. O árbitro viu lance normal, mas foi chamado pelo VAR e mudou sua decisão, dando o pênalti. Já com 18, Marinho cobrou e fez, empatando e sendo eficiente mais uma vez.

Aos 20, 53% de posse de bola para o Santos. Chamava atenção Sandro e Pituca, volantes dos dois times, finalizando de fora e até de dentro da área. Aos 27, VAR outra vez.

Marinho cobrou escanteio pela direita, e a bola bateu no braço de Sandro dentro da área. O árbitro foi, novamente, chamado, mas optou por manter sua decisão de lance normal desta vez, causando muita reclamação do lado santista.

E, seis minutos depois, mais VAR. Arthur Gomes levou cartão vermelho direto após mais uma intervenção do árbitro de vídeo, que considerou insuficiente o cartão amarelo mostrado pelo juiz na falta em cima de Edílson.

O Verdão foi obrigado a fazer duas substituições por lesão: Keko e Sandro saíram para as entradas de Victor Andrade e Daniel de Pauli respectivamente.

Marinho aparecia buscando o jogo e finalizando. O Peixe passava mais tempo com a bola, mas principalmente no campo de defesa, sem ser muito incisivo.

Ainda deu tempo de a equipe mandante voltar a chegar na área adversária, e o primeiro tempo terminou com 51% de posse a favor do Goiás, mas 7 a 5 em finalizações a favor da equipe visitante.

E a volta do intervalo teve o Verdão repetindo o início da primeira etapa, tentando um gol nos minutos iniciais. Aos cinco minutos, já havia finalizado algumas vezes, de dentro e fora da área. Rafael Moura tinha atuação apagada desde os primeiros 45 minutos. Marinho trocou de posição, indo para a ponta esquerda.

E, aos nove, Pará recebeu na área pela direita, tentou cruzar, mas a bola desviou na cabeça de Jefferson e não deu chance de defesa para Tadeu, entrando em gol contra.

Piorando a situação do time goiano, David Duarte recebeu o segundo cartão amarelo por falta em Marinho e foi expulso com 13 minutos, igualando em dez jogadores para cada lado. Mas o Goiás continuava superior em posse de bola (55% aos 15 minutos).

Daniel Bessa chamava a responsabilidade, com passe e finalização da entrada da área. Marinho mudou seu posicionamento mais uma vez, centralizando no meio como um camisa 10.

Cuca resolveu mexer: Kaio Jorge e Marinho (que saiu machucado) deram lugar a Madson e Marcos Leonardo respectivamente. Aos 28, eram dez finalizações da equipe goiana contra oito da paulista.

Mas quem balançou as redes de novo foi o Peixe, e justo com os últimos substitutos. Aos 31 minutos, Madson subiu em velocidade pela direita, cruzou da linha de fundo e encontrou Marcos Leonardo bem posicionado na pequena área, que não desperdiçou, marcando pela primeira vez com a camisa profissional santista e aumentando a vantagem no placar.

Foi a vez de Enderson trocar: Jefferson, Edílson e Vinícius deram vez a Caju, Yago e Mike. Mas, desta vez, os substitutos não deram resultado.

Destaque para o técnico Cuca, que reforçou o lado direito com diferentes jogadores auxiliando Pará, bloqueou as descidas adversárias por aquele lado e deixou seu time em vantagem para subir por ali.

No entanto, quando tudo já parecia resolvido, Victor Andrade pegou a sobra dentro da área pela esquerda e fez um bonito gol colocado no canto de João Paulo aos 39 minutos. Cuca tentou frear o ânimo adversário mexendo pela última vez: Lucas Braga e Felipe Jonatan saíram para as entradas de Jean Mota e Wagner Leonardo.

Mas, já aos 45, Victor Andrade pegou firme de longe pela esquerda, fazendo aquele que seria seu segundo e belo gol contra o ex-time, mas foi anulado pelo VAR por impedimento de Rafael Moura no início do lance. E não deu mais tempo. Final com 55% de posse de bola e 14 a 10 em finalizações, ambos para o Goiás. Porém 3 a 2 para o Santos em bola na rede.

Classificação e próximos compromissos

Com a derrota em casa, o Goiás se manteve na lanterna do Campeonato Brasileiro com nove pontos, mas possui três jogos a menos. O próximo compromisso do Verdão é, novamente, em casa contra o Fluminense na quarta-feira (7) às 20h30.

Já o Santos, interrompendo a sequência de três empates, saltou para a sexta colocação, com 20 pontos, um a menos que o Flamengo no G-4. O Peixe volta a campo também na quarta-feira (7) às 19h, quando faz o clássico contra o Corinthians fora de casa.

VAVEL Logo