Famoso por suas revelações, Nova Iguaçu volta a colher frutos com categorias de base em 2020
Foto: Vitor Melo/ Nova Iguaçu FC

O Nova Iguaçu nesta última década viveu altos e baixos no time profissional. Apesar disso, uma essência trazida pelo Orgulho da Baixada é o grande aproveitamento de jogadores oriundos da categoria de base, que se consagraram no time de cima ou foram vendidos para equipes de porte maior.

Nesta temporada, o NIFC já conseguiu um feito histórico, ao bater o Flamengo na Gávea, de virada nos acréscimos, e confirmar vaga na semifinal da Taça Guanabara. No atual grupo, os jovens Mezenga, Canela e Ezequiel foram os responsáveis pelos gols anotados diante dos atuais bicampeões estaduais, na partida que terminou 3 a 2, nesta segunda-feira (5).

Histórico

Despertando atenção estadual em 2011, quando o Nova foi uma das surpresas do Cariocão, aquele time revelou nomes como: Bruno Cortêz, Amaral, William Barbio e Diogo Silva. Mais tarde, ainda sem sequer estrear nos profissionais, passariam pelas divisões de base, atletas que seriam multicampeões no Flamengo, a exemplo de Bill, Vitor Gabriel, e Ramon - este último que se destacou na lateral esquerda recente, no time principal.

Com o poder de ostentar o rótulo de ser o primeiro clube do Rio a ter o certificado de time formador, reconhecido pela CBF, a estrutura do Nova Iguaçu chama atenção. No CT do Laranjão, modernas instalações e um gramado impecável foram trazidas na gestão de Jânio de Moraes.

Novas joias

Com a atual campanha, as novas pratas da casa vão ganhando popularidade no time comandado por Sérgio Anglada. Dos novos destaques, chama atenção o lateral esquerdo e capitão Mezenga, o goleiro Rodrigo Amorim, o meia Pedro China e o trio de ataque Ewerton, Canela e João Pedro.

VAVEL Logo