Vasco
sai na frente, mas Flamengo faz segundo tempo superior de novo e vence clássico de virada
Foto: Thiago Ribeiro/AGIF

No Clássico dos Milhões, o Flamengo venceu o Vasco de virada pelo placar de 2 a 1 neste sábado (10) pela 15ª rodada do Brasileirão 2020. Em São Januário, Talles Magno colocou o time da casa na frente, mas Léo Pereira e Bruno Henrique deram a vitória ao visitante na segunda etapa.

A rivalidade retornou à Colina Histórica após três anos. O último Vasco x Flamengo na casa do Cruzmaltino havia sido em julho de 2017, com vitória Rubro-negra por 1 a 0 e confusão entre arquibancada e campo que resultou na morte de um torcedor vascaíno. Enquanto o time da casa entrou em campo na décima colocação e com o técnico interino Alexandre Grasseli (Ramon Menezes foi demitido após derrota na rodada anterior), o da Gávea vinha de duas vitórias, na terceira posição.

Estratégias

Alexandre Grasseli, que comandou só um treino antes do clássico, promoveu algumas mudanças na equipe titular: Pikachu, Fellipe Bastos e Vinícius foram para o banco, dando lugar a Cayo Tenório, Marcos Júnior e Carlinhos. Esquema tático: 4-4-2. No gol, Fernando Miguel. A zaga contou com Leandro Castan e Miranda. Nas laterais, Cayo Tenório pela direita e Henrique pela esquerda. O meio-campo tinha Andrey e Marcos Júnior na marcação; mais à frente, Carlinhos e Benítez na armação das jogadas ofensivas. E, no ataque, Talles Magno subindo pela esquerda, e Germán Cano tomando conta da área como finalizador.

Domènec Torrent continuou não podendo contar com pôde contar com Rodrigo Caio, Everton Ribeiro e Arrascaeta por estarem com suas seleções, assim como Isla. Gabriel Barbosa e Diego Alves continuam lesionados. Natan foi para o banco de reservas. Esquema tático: 4-4-2. Hugo no gol. Gustavo Henrique e Léo Pereira formaram a dupla de zaga, enquanto Matheuzinho e Filipe Luís cuidaram das laterais. No meio-campo, Thiago Maia e Willian Arão compuseram a dupla de volantes, dando o primeiro combate e fazendo a transição; Gerson e Diego ficaram responsáveis pela criação ofensiva. No ataque, Bruno Henrique apostava na velocidade pela esquerda, e Pedro, em ótima fase, marcava posição como centroavante.

Flamengo evolui no segundo tempo novamente e consegue a virada

O clássico de uma das maiores rivalidades do Brasil já começou pegado. Com segundos de jogo, cartão amarelo para Cayo Tenório por falta dura em Bruno Henrique. O Flamengo não demorou para ficar com a bola, em sua postura característica. Mas quem colocou a bola na rede foi o Vasco. Aos oito minutos, Cayo Tenório conseguiu roubada de bola em erro de Bruno Henrique, deixou a marcação para trás, invadiu a área e cruzou rasteiro na medida para Talles Magno sozinho na cara do gol, que não desperdiçou e abriu o placar.

O Rubro-negro reagiu adiantando a marcação. Aos 16, 64% de posse de bola, número que não se modificaria muito nos 45 minutos iniciais. E, também a essa altura, a partida contava apenas com a finalização do gol. Porém era o Cruzmaltino que demonstrava mais disposição, mesmo com o placar favorável. O time da Gávea apostava em passes longos e chuveirinho na área, sem maior criatividade, trocando passes sem saber como atacar.

Enquanto isso, o Gigante da Colina marcava bem no campo de defesa, dificultado a infiltração adversária. Gerson, diferente da última partida, não tinha boa atuação na ponta-direita, além de estar sendo bem marcado. Do outro lado, Benítez e Talles Magno conseguiam desempenhar suas funções no ataque.

A primeira defesa de Fernando Miguel foi apenas aos 32 minutos. Bruno Henrique tentava mais assistências para Pedro pela esquerda, mas sem sucesso. Os últimos minutos antes do intervalo foram de pressão ofensiva do Flamengo, faltando o último passe. Na ida para os vestiários, 5 a 3 em finalizações a favor do Rubro-negro.

E a segunda etapa também começou animada. Logo aos dois minutos, cobrança de falta de Diego pela ponta-direita, Léo Pereira subiu no meio da marcação e cabeceou para dentro, empatando o clássico. Porém, no lance seguinte, o Vasco quase ficou na frente de novo também de cabeça, com Castan. Diego tentava chamar a responsabilidade, desde o primeiro tempo.

Aos 18, 65% em posse ainda para o visitante, além da vantagem em finalizações: 7 a 4. O jogo era lá e cá, com as duas equipes buscando o desempate. Destaque para Cayo Tenório, ativo na marcação e no corredor direito, autor da assistência do gol vascaíno. Domènec resolveu mexer: Diego saiu para a entrada de Michael, reposicionando Gerson para o meio-campo.

Até que, aos 24 minutos, belo lançamento de Thiago Maia do campo de defesa para Bruno Henrique na entrada da área, que tirou a bola das mãos de Fernando Miguel, tirou o goleiro e finalizou para a virada rubro-negra. Grasseli, então, sacou Cayo Tenório para a entrada do atacante Vinícius. E o Flamengo, mais uma vez, fazia um segundo tempo melhor que o primeiro.

O Cruzmaltino buscava o gol, mas sem conseguir penetrar na área, optando por chutes de longe. Mais troca: Talles Magno deu vez a Parede. E deu resultado. Aos 39, boa e rápida troca de passes pela esquerda começando com Benítez, a bola sobrou para Parede cruzar rasteiro no pé de Cano na pequena área, e o artilheiro marcar. Entretanto o gol foi anulado pelo VAR por impedimento de Parede.

Aos 44 minutos, eram 11 finalizações do Vasco contra 9 do Rubro-negro. Ainda houve tempo para substituições dos dois lados. Gerson e Bruno Henrique saíram para as entradas de Vitinho e Lincoln respectivamente, enquanto Marcos Júnior deu espaço a Gabriel Pec. O time da Gávea tentava fechar o placar em um contra-ataque. Já o time da casa fazia a tradicional pressão total no ataque. Mas foi só, fim do Clássico dos Milhões: 2 a 1 Flamengo de virada.

Classificação e próximos compromissos

Com a terceira derrota seguida no Campeonato Brasileiro, o Vasco permanece na décima posição com 18 pontos. O próximo compromisso do Cruzmaltino é fora de casa contra o Internacional no próximo domingo (18) às 18h15.

Já o Flamengo, ao contrário, com a terceira vitória seguida na competição, subiu para a vice-liderança, com 27 pontos. Mesma pontuação do líder Atlético-MG, que ainda joga na rodada. O Rubro-negro volta a campo na terça-feira (13) às 18h, quando recebe o Goiás em jogo atrasado da 11ª rodada.

VAVEL Logo