Peru é adversário que pode incomodar Brasil de Tite
Foto: Divulgação / Seleção peruana de futebol

Comandada por Tite desde setembro de 2016, a Seleção Brasileira volta a campo nesta terça-feira (13), quando encara o Peru em Lima pela segunda rodada das Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022. 

Desde que Tite assumiu, o Brasil venceu 35, empatou 10 e perdeu quatro jogos - para Argentina (duas vezes), Bélgica e Peru. Neste período foram 105 gols marcados e 17 sofridos.

O revés para os peruanos foi em novembro de 2019. Em jogo que marcou a estreia do atacante Vinicius Jr, o zagueiro Abram fez de cabeça o único gol do amistoso disputado em Los Angeles (EUA). Ele jogou os noventa minutos no 2 a 2 diante do Paraguai na estreia das Eliminatórias e deve ser mantido no time. 

Os gols do último jogo foram de André Carrillo, meio-campista que atua no Al-Hilal (Arábia Saudita). A seleção peruana abriu aos sete minutos do segundo tempo, depois tomou a virada e conseguiu empatar aos 40 minutos. Ex-Corinthians, Ángel Romero também marcou duas vezes. 

Guerrero está fora, Trauco deve ser titular

Além de Guerrero, o técnico Ricardo Gareca ganhou dois desfalques de última hora. Os atacantes Alex Valera e Raúl Ruidíaz testaram positivo para a Covid-19 e estão fora do jogo. O último, aliás, era titular na vaga do principal artilheiro da seleção peruana.

Quem também é dúvida contra o Brasil é o meia atacante Christian Cueva. Com passagens por Santos e São Paulo, ele sofreu uma lesão muscular na perna direita e já iniciou tratamento.

Sendo assim, são duas mudanças em relação à equipe da estreia. Saem Cueva e Ruidíaz, entram Christofer Gonzáles e Jefferson Farfán.

Ricardo Gareca deve escalar o Peru com Gallese; Advíncula, Zambrano, Abram e Trauco; Tapia, Aquino, Yotún, Carrillo, Gonzáles; Farfán.

A torcida brasileira vai reconhecer outros nomes que já passaram por aqui: o lateral direito Luis Advíncula e o esquerdo Miguel Trauco. O primeiro teve passagem relâmpago pela Ponte Preta em 2013 (seis jogos), enquanto o outro teve mais sucesso - foi campeão carioca pelo Flamengo mas nunca caiu nas graças da torcida. 

Além deles, o técnico Ricardo Gareca também já trabalhou no Palmeiras em 2014 - mas também não deixou saudade e deixou o clube após três vitórias em 13 partidas.

Neste cenário, nos 24 jogos oficiais o aproveitamento de Tite é ainda melhor, visto que a única derrota foi a que eliminou o Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo de 2018. 

VAVEL Logo