Desorganizado, Palmeiras é envolvido pelo Fortaleza e perde a quarta seguida no Brasileirão
Foto: Bruno Oliveira/Fortaleza EC

No dia em que completou 102 anos de história, o Fortaleza recebeu o Palmeiras na Arena Castelão e deu um presente à torcida ao vencer por 2 a 0 com gols de David e aumentou para dez jogos a invencibilidade nesta temporada.

Para comemorar o aniversário, o tricolor estreou o terceiro uniforme que tem o azul como cor predominante e é inspirado na bandeira da França porque o fundador do Leão estudou no país europeu e quando voltou ao Brasil trouxe a paixão pelo futebol na bagagem e então nasceu o clube. 

Um diferente Palmeiras sem Vanderlei contra o entrosado Fortaleza

No primeiro jogo após a demissão do técnico Vanderlei Luxemburgo, o Palmeiras entrou em campo com novidades em relação à derrota para o Coritiba no meio de semana. O interino Andrey Lopes escalou Weverton no gol, promoveu o retorno de Mayke e Viña às laterais e de Gustavo Gómez na zaga para formar dupla com Emerson Santos. A saída de bola ficou por conta de Patrick de Paula, posicionado mais perto da linha defensiva, Gabriel Menino e Raphael Veiga mais adiantados. Para completar tinha Lucas Lima na direita, Zé Rafael no lado oposto e Luiz Adriano centralizado. 

Preocupado com o desgaste físico pela maratona de jogos da temporada e também com a final do Campeonato Cearense na próxima quarta-feira (21), o técnico Rogério Ceni admitiu que alguns atletas alegaram cansaço e trocou cinco titulares em relação à equipe que enfrentou o São Paulo no meio de semana.

A novidade começou no gol, com Max Walef. Na defesa, uma linha de quatro com Tinga e Bruno Melo mais abertos, Paulão e Roger Carvalho na zaga. Felipe era responsável pela saída de bola e no setor ofensivo Ceni manteve a estratégia de não usar um centroavante de ofício, apostando em um ataque móvel com Marlon, Yuri César, Osvaldo e David.

Os primeiros minutos foram de estudo, com o Palmeiras apertando a saída de bola, o Fortaleza girando a bola, mas sem agredir muito para evitar o contragolpe, e isso fez com que o jogo ficasse travado. Bastante participativo à beira do gramado, o técnico Rogério Ceni deu a Yuri César a liberdade para circular e ele participou da primeira chance de perigo. No lance, ele lançou Osvaldo e o veterano ficou cara a cara com o goleiro Weverton, que saiu do gol e travou a finalização com o pé. 

Enquanto o Fortaleza dominava a posse de bola e procurava passes verticais, o meio de campo do Palmeiras apresentava a recorrente dificuldade na criação e então a válvula de escape era Viña pela esquerda ou a bola parada. O primeiro gol quase saiu dali, em cruzamentos que acharam Gustavo Gómez e Raphael Veiga mas não tiveram a direção certa. 

O goleiro Weverton salvou mais uma vez o Palmeiras em outra jogada de Osvaldo, desta vez um contra-ataque armado após erro na saída de bola do time paulista.

A pressão do tricolor deu resultado aos 35 minutos, quando David recebeu de Ronald e abriu o placar. A torcida do Fortaleza demorou a soltar o grito de gol porque a a assistente assinalou impedimento, mas o árbitro Marcelo de Lima Henrique confirmou após revisão na sala do VAR. Este foi o segundo gol do atacante no Brasileirão.

Se havia um peso pela sequência de derrotas, o alviverde piorou após sofrer o gol e não conseguia mais agredir o rival.

David mostrou que estava em uma semana inspirada. Após anotar contra o São Paulo, ele também marcou o segundo do Fortaleza nesta noite. Em mais uma jogada pela direita entre Tinga e Ronald, a bola chegou na área e o lateral Mayke quase marcou um gol contra, só que o o chute acertou a trave. O rebote caiu no pé do camisa 17 do Fortaleza, que encheu o pé.

Fortaleza e Palmeiras pareciam estar em ritmos diferentes. Enquanto o tricolor apostava na velocidade com uma intensa troca de passes, a lentidão e a falta de criatividade eram nítidas entre os jogadores do time paulista. 

No segundo tempo...

O alviverde voltou do intervalo com os atacantes Willian e Wesley nas vagas do lateral Mayke e do volante Patrick de Paula. O interino Andrey Lopes deslocou Gabriel Menino para a direita e recuou Zé Rafael, mas a proposta ofensiva não se consolidou dentro das quatro linhas. 

No decorrer do segundo tempo Rogério Ceni realizou mais alterações para minimizar os efeitos da maratona de jogos, mas mesmo assim o Fortaleza esteve mais perto de ampliar do que de levar o gol. Inicialmente ele recuou Marlon, colocou Romarinho no lugar de Ronald e a equipe ficou num 4-3-3. Na reta final da partida, ele ainda lançou o centroavante Wellington Paulista na vaga de David e terminou o jogo no 4-4-2 ao tirar Yuri César e colocar Juninho.

O Palmeiras também mexeu, lançando jovens como Danilo e Gabriel Veron, mas desta vez eles não conseguiram transformar o cenário da partida.

Se por um lado sobrava confiança, ao descontrole emocional era evidente no time paulista e foi representado pela expulsão do capitão Gustavo Gómez. Nos acréscimos, o paraguaio encarou o árbitro Marcelo de Lima Henrique, que o advertiu com o cartão amarelo. A reclamação continuou e então ele recebeu o vermelho. O zagueiro ainda precisou ser contido por companheiros porque saiu de campo revoltado, vociferando. 

Classificação e próximos jogos

Última equipe a ter a invencibilidade quebrada no Brasileirão, o Palmeiras aumentou para quatro jogos a sequência negativa - perdeu para Botafogo, São Paulo, Coritiba e Fortaleza. 

Com este resultado, o tricolor cearense ultrapassou o Palmeiras na classificação e subiu para o sétimo lugar, com 24 pontos, dois a mais do que o rival, que estacionou na tabela e caiu para a oitava posição.

Enquanto a diretoria trabalha nos bastidores para contratar um novo técnico, dentro de campo o Palmeiras tem pouco para se ajustar até quarta-feira (21), quando recebe o Tigre no Allianz Parque no encerramento da fase de grupos da Libertadores.

Já o Fortaleza terá pela frente o Clássico-Rei que decide o campeão cearense de 2020. O tricolor possui vantagem porque venceu o Ceará por 2 a 1 no primeiro jogo.

 

VAVEL Logo