Em crise profunda, Botafogo tem os quatro primeiros do Brasileirão pela frente
Foto: Vítor Silva / Botafogo

No último domingo (22), o Botafogo chegou a sua terceira derrota consecutiva no Brasileirão e ao oitavo jogo sem vencer. Está apenas a quatro pontos de distância da saída da zona de rebaixamento — apenas o Goiás está pior. O revés de 2 a 1 para o Fortaleza pela 22ª rodada foi mais um demonstrativo que o time precisa urgentemente de uma direção e, outro fator importante, preparo psicológico.

Contra o Leão do Pici no Nilton Santos, a equipe carioca até que tentou: teve 58% de posse de bola e deu 19 chutes (seis a gol), mas não conseguiu carregar os três pontos. Em certo momento do jogo, o Botafogo se mostrou entregue psicologicamente. Naturalmente, já era um time sem força de reação. Afundado na zona de rebaixamento, isso só piorou ao decorrer dos gols nordestinos.

É claro que Emiliano Díaz, auxiliar técnico do clube, não tem nenhuma receita mágica. O que ele disse após a derrota para o Fortaleza está mais que correto. Precisa-se pensar bastante agora no trabalho, não em respostas. Focar na evolução é o ideal. Ela virá? Talvez sim, mas também talvez não.

"Sabíamos que a situação era complicada quando chegamos aqui. E que seria necessário trabalhar em todos os aspectos táticos, físicos, psicológicos. Então, o único que resta é trabalhar, trabalhar. Acredito na nossa capacidade, na nossa forma de trabalhar. Falar pouco e trabalhar muito. Principalmente pelo Botafogo, que confiou em nós. Não tenho dúvida que vamos sair dessa", disse Díaz.

Sequência duríssima pela frente

Nada está tão ruim que não possa piorar. É esse o cenário que a parte negativa da torcida pensa. Pela frente, o Fogão tem Atlético-MG fora de casa, Flamengo no Nilton Santos, São Paulo no Morumbi e Internacional em Porto Alegre. Ou seja, as próximas quatro rodadas do Botafogo têm os atuais quatro primeiros colocados do Brasileirão.

Standings provided by SofaScore LiveScore
VAVEL Logo