Interino, Alexandre Grasseli exalta entrega no empate fora na Sul-Americana: "Houve uma superação"
Foto: Divulgação/Vasco

O Vasco ficou no empate em 1 a 1 com o Defensa y Justicia nesta quinta-feira (26), no jogo de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. A equipe foi comandada pelo interino Alexandre Grasseli. Já que o técnico Sá Pinto testou positivo para Covid-19. Em entrevista ao final da partida, Grasseli avaliou a partida e se mostrou confiante na classificação.

Temos de ser muito claros no que temos como proposta de jogo: uma equipe equilibrada. Quando digo equilibrada, é uma equipe forte defensivamente e que também possa ser eficaz ofensivamente. Conseguimos marcar um gol com o Cano, vejo que fomos eficazes. Sofremos um gol num momento de desequilíbrio e acredito que, no final da partida, saímos com uma clara ideia e pensamento de que podemos conquistar em casa a classificação e avançar” disse.

Na sequência, o interino falou sobre o baixo número de finalizações na partida, apenas três: “Foram as circunstâncias. A gente está jogando dentro da casa do adversário, que criou muitas dificuldades. Acredito que, no primeiro tempo, poderíamos ter um volume maior ofensivo. No segundo, trabalhamos em cima da proposta do plano de jogo, que era a transição rápida. Mas vejo isso de uma forma muito equilibrada e acho que podemos fazer um segundo jogo melhor no Brasil”.

O gol do Cruz-maltino foi marcado por Germán Cano. Inclusive, o atacante argentino dedicou a Diego Maradona, que faleceu na última quarta-feira (26). Grasseli revelou que Cano disse antes da partida que seria muito importante fazer um gol.

O Cano tem sido um jogador muito significativo para a equipe, principalmente no terço final. Não conseguimos a vitória que queríamos, mas alcançamos o resultado com a ajuda dele e de todos os atletas, da comissão técnica, principalmente do mister Sá Pinto e do mister Rui (Mota), que estão no Rio”.

Quando questionado como a equipe pode melhorar defensivamente, o interino admitiu que a vitória seria o ideal, mas ressaltou que a partida de volta será em casa. Assim, a equipe poderá mostrar seu aspecto ofensivo, que, segundo ele, é o forte.

Sobre essa disputa da Sul-Americana, temos que entender que são duas partidas de 90 minutos. Ocorreu a primeira dentro da nossa estratégia e do nosso plano de jogo. Poderia ser melhor evidentemente, a vitória seria o ideal, mas temos uma segunda partida em casa, nos nossos domínios. Aí sim a gente pode resolver principalmente no aspecto ofensivo, onde somos muito fortes. Temos jogadores de qualidades. Temos uma semana para trabalhar esse aspecto”.

Em relação às dificuldades enfrentadas na partida, Alexandre Grasseli afirmou que a principal foram os desfalques, muitos deles por conta da Covid-19. Por outro lado, exaltou a superação e a entrega dos jogadores que estiveram em campo.

A maior dificuldade sem dúvida alguma foram as ausências que tivemos hoje. Muitos jogadores não puderam vir devido ao Covid-19. Como disse anteriormente, a nossa comissão. O mister Sá Pinto, o Rui Mota e o Miguel (Fernando, goleiro). Fazem realmente muito falta. Como disse, acredito que houve uma superação e uma entrega muito grandes de todos que estiveram aqui conosco. Acredito que, com um tempo maior de trabalho, poderemos ter mais alegrias e superar todas essas ausências que tivemos até hoje na próxima quinta-feira” finalizou.

O jogo de volta será na próxima quinta-feira (3), em São Januário, às 21h30 (horário de Brasília). Antes, o Cruz-maltino volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro. Já que na segunda-feira (30), a equipe recebe o Ceará, em casa, às 18h. O duelo é válido pela 23ª rodada da competição. O Vasco é o 17º colocado, com 24 pontos.

VAVEL Logo