Em clássico movimentado, Cruzeiro derrota América-MG
Foto: Cruzeiro/Divulgação

Nesta quarta-feira  (2), América-MG e Cruzeiro se enfrentaram pela 25ª rodada do Brasileirão Série B. No Independência, as equipes fizeram um clássico fervoroso, com muita reclamação, faltas, cartões, lances polêmicos e gols.

Quem levou a melhor foi a Raposa que chegou como visitante à casa do Coelho. A equipe celeste venceu a partida por 2 a 1 e subiu para a 15ª posição se afastando sete pontos do Z-4 e, a dez pontos do G-4.

Já o América-MG, com a derrota, permaneceu na vice-liderança do campeonato mas viu a líder Chapecoense abrir seis pontos de vantagem.

Disposição Tática

Felipão mexeu na equipe para enfrentar o alviverde. As entradas de Matheus Pereira e Adriano foram a novidade da vez para o clássico.

No geral, o treinador escalou a equipe com Fábio; Manoel e Ramón que formaram uma dupla de zaga sólida e ainda contribuíram para jogadas ofensivas; Raul Cáceres e Matheus Pereira atuaram pelas laterais trazendo mais velocidade nos contra-ataques; Adriano e Jadsom compuseram a dupla de volantes; Felipe Machado, Willian Potker e Airton auxiliaram na criação ofensiva, oferecendo muito perigo ao gol adversário; isolado na frente estava o atacante Rafael Sóbis que impôs velocidade ao setor ofensivo e muita vontade nas disputas de bola.

Lisca não alterou o América-MG e foi a campo com o time definido em 4-1-4-1. 

O treinador contou com a presença de Matheus Cavichiolli que fez ótimas defesas; os zagueiros Anderson e Messias que atuaram bem e ainda contribuíram com um gol; os laterais João Paulo e Diego Ferreira colaboraram na recomposição da defesa; Flávio atuou no meio-campo como articulador (ele fazia a bola ir da defesa ao ataque); nas alas Felipe Azevedo pela esquerda não fez um grande jogo ao contrário de Ademir que ofereceu muito perigo ao gol celeste; Alê e Juninho atuaram no meio campo servindo o atacante Rodolfo que não conseguiu finalizar as jogadas.

Primeira etapa

Logo no início da partida, pudemos ver o América-MG partindo para o ataque e o Cruzeiro se retraindo ainda desorganizado. O nervosismo celeste durou alguns minutos até que a equipe conseguiu se encaixar e passou a jogar mais tranquilamente.

O nervosismo da Raposa foi transferido ao Coelho quando Willian Potker caiu na área e o juiz assinalou a penalidade máxima. Lisca não concordou com a marcação e foi expulso da área técnica furioso. 

Rafael Sóbis converteu o pênalti e fez 1 a 0 para o Cruzeiro aos 14'. Daí em diante, o jogo ficou mais truncado, com muitas faltas e cartões distribuídos para ambos os lados.

O América-MG não se acanhou e abaixou suas linhas defensivas para chamar o Cruzeiro ao seu campo e partir no contra-ataque. Apesar disso, a equipe celeste não conseguia chegar com perigo a área do Coelho e, o alvinegro também não conseguia revidar. 

O Cruzeiro precisou substituir William Potker que se lesionou na jogada do pênalti ao esticar a perna. Mancando, o atacante deu lugar a Artur Caíke. 

Sem a força física de William Potker, a Raposa teria de priorizar a velocidade mas não foi bem sucedida. 

Segunda etapa

O segundo tempo começou quente. A Raposa subiu as linhas ofensivas e pressionou o América-MG no campo de defesa. Em uma sequência de dois lances muito perigosos, o Cruzeiro ganhou um escanteio e Manoel ampliou a vantagem para 2 a 0.

O ritmo intenso deu lugar a fadiga e a equipe celeste recuou o time. O Coelho se aproveitou da chance e partiu pra cima da defesa cinco estrelas. Daniel Borges que havia acabo de entrar no minuto 55, serviu o companheiro Anderson que mandou, de cabeça, na bochecha da rede celeste.

Daí em diante o América-MG controlou a partida e teve chances de empatar ou até mesmo virar o placar. Mas a pontaria falhou na concretização das jogadas.

 

VAVEL Logo