Em jogo equilibrado, Bragantino
marca no fim e supera Fortaleza para se afastar do rebaixamento
Foto: Ari Ferreira/RB Bragantino

O RB Bragantino conquistou os três pontos sobre o Fortaleza após vitória pelo placar de 2 a 1 neste sábado (12) pela 25ª rodada do Brasileirão. No Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista/SP, Luan Cândido abriu o placar, Juninho empatou, e Thonny Anderson garantiu o resultado positivo aos 42 minutos do segundo tempo.

Ocupando o meio da tabela, Massa Bruta e Leão entraram em campo com o mesmo objetivo: continuar distante da zona de rebaixamento. A equipe cearense, então na décima posição, poderia subir mais uma, mantendo-se na primeira metade da tabela. Já a paulista teria a chance de dar um salto, ultrapassando o próprio adversário do confronto (da 14ª à décima colocação), dependendo também de outros resultados na rodada. Mandante e visitante vinham de boa sequência de invencibilidade (cinco e quatro jogos, respectivamente), mas apenas empataram suas duas últimas partidas.

Estratégias

Maurício Barbieri não pôde contar com os atacantes Bruno Tubarão e Helinho por suspensão e lesão na coxa, respectivamente. Em compensação, o também atacante Artur retornou após dores no tornozelo. Esquema tático: 4-3-3. No gol, Cleiton. Léo Ortiz e Ligger formaram a dupla de zaga. Nas laterais, Aderlan pela direita e Luan Cândido pela esquerda. No meio-campo, Raul era o nome mais recuado na marcação e na transição ofensiva; Lucas Evangelista e Claudinho foram os responsáveis pela construção e criação. Mais à frente, Artur atacava pelo corredor direito, Cuello pelo esquerdo, enquanto Ytalo tomava conta da área.

Marcelo Chamusca teve o desfalque do atacante Romarinho por Covid-19. Porém Wellington Paulista pôde ficar à disposição após se resuperar da doença. Esquema tático: 4-3-3. Felipe Alves no gol. Paulão e Jackson formaram a dupla de zaga, enquanto Tinga e Carlinhos cuidaram das laterais. No meio-campo, Felipe e Juninho compuseram a dupla de volantes no primeiro combate e na transição; mais à frente, Mariano Vázquez foi o responsável pela criação ofensiva. E, no ataque, David subia pela direita, Osvaldo pela esquerda, e Bergson marcava posição na área.

Massa Bruta e Leão fazem jogo intenso e equilibrado com gol no fim

O início da primeira etapa foi de um ritmo mais acelerado que o normal. Com dois minutos, os dois times já haviam finalizado uma vez cada. O Bragantino logo postou um posicionamento que incomodaria o Fortaleza ao longo dos 45 minutos iniciais: marcação adiantada para conseguir roubadas importantes na intermediária ofensiva. Postura que o adversário também optou por tentar, mas com menos eficiência. O jogo era rápido, bem movimentado de ambos os lados.

Aos 12 minutos, cobrança de escanteio pela direita, Luan Cândido subiu mais que os marcadores, cabeceou, e a bola desviou em Carlinhos para enganar o goleiro e entrar, abrindo o placar para o time da casa. Aos 16, eram 52% de posse de bola para o Leão, vantagem que mudou de lado poucos minutos depois (55% para o mandante), evidenciando que eram duas equipes lutando para ficar com a bola, não apenas reativas. Pelo Massa Bruta, Aderlan era participativo no ataque pela lateral-direita.

Foto: Ari Ferreira/RB Bragantino
Foto: Ari Ferreira/RB Bragantino

O trio de ataque cearense tentava com velocidade, movimentação (principalmente com David) e chutes. Entretanto o Fortaleza precisava superar a marca de terceiro pior ataque da temporada, convertendo as chances. O jogo era de dois times que queriam a bola, nenhuma apostando apenas em contra-ataque. As oportunidades não mantiveram o ritmo dos minutos iniciais, mas a partida era lá e cá quanto a posse de bola e subidas, apesar de certo domínio e tranquilidade do Bragantino após o gol.

Até que, aos 44 minutos, pênalti a favor do Fortaleza: Ligger pisou no pé de Mariano Vázquez em cima da linha da grande área, e o árbitro marcou a penalidade após o VAR chamar para revisão. Juninho foi para a cobrança e converteu, deixando tudo igual. E o Leão ficou animado após o gol de empate, buscando a virada antes mesmo do intervalo. Números parciais: 51% em posse a favor do mandante, mas 7 a 4 em finalizações e 3 a 2 em chutes a gol a favor do visitante.

Foto: Marcio Persivo/Fortaleza EC
Foto: Marcio Persivo/Fortaleza EC

Na volta dos vestiários, novamente uma finalização pra cada lado nos dois minutos iniciais. O Bragantino mantinha a pressão na saída de bola adversária, enquanto o Fortaleza dava espaço para o adversário sair jogando. Uma alteração de posicionamento deu resultado para o Leão: David passando para a ponta-esquerda. O visitante não conseguia chegar na área trocando passes no meio, também pela boa marcação adiantada do time da casa.

Até que a atuação da equipe cearense começou a mudar, com momentos de pressão no ataque. Em um deles, David perdeu grande chance de frente para o gol. Barbieri decidiu trocar: Ytalo saiu para a entrada de Alerrandro, um dos artilheiros do elenco. Com 15 minutos, 53% em posse para o mandante (que pouco mudaria até o apito final) e 8 a 7 em chutes para o visitante, mostrando que o embate se mantinha equilibrado. Claudinho aparecia mais no segundo tempo, centralizado, chamando a responsabilidade e arriscando finalizações.

Chamusca também resolveu mudar: Bergson e Osvaldo deram lugar a Wellington Paulista e Yuri César, renovando o ataque para continuar em busca da vitória. David era quem mais ameaçava no ataque cearense na segunda etapa, com velocidade e conclusão. O corredor esquerdo passou a ser a válvula de escape do Fortaleza, conseguindo chegar em velocidade. Mais uma sequência de substituições: de um lado, Cuello deu vez a Morato, Claudinho a Ryller e Lucas Evangelista a Thonny Anderson, respectivamente; do outro, Vázquez saiu para a entrada de Gabriel Dias.

Felipe Alves ia salvando o Leão com defesas salvadoras desde o primeiro tempo. O jogo continuava intenso e dividido quanto à manutenção da bola e subidas, mas faltava maior qualidade de finalização a ambos. Mais mexidas: Felipe e David deram lugar a Ronald e João Paulo na equipe visitante. Do outro lado, a mudança foi de posicionamento: Artur foi para a ponta-esquerda. E fez parte do resultado final. Aos 42 minutos, a partir de subida rápida, Artur recebeu na área pela esquerda e deu a assistência para Thonny Anderson, que chegou de trás para chutar no gol e fazer o gol da vitória já no fim. Números finais: 14 a 13 em finalizações e 6 a 5 em chutes a gol.

Classificação e próximos compromissos

Com os três pontos, o Bragantino salta, ao menos momentaneamente, para a décima colocação com 31 pontos, passando o próprio Fortaleza. O próximo compromisso do Massa Bruta é, novamente, em casa contra o Athletico no domingo que vem (20) às 16h.

Já o Fortaleza, com a derrota nos últimos minutos, perdeu posição para o adversário e desceu para o 11º lugar com 30 pontos, seis a mais que o Vasco, primeiro no Z-4 e que ainda joga. O Leão volta a campo também no domingo (20) às 20h30, quando recebe o Ceará para o clássico nordestino.

Standings provided by SofaScore LiveScore
VAVEL Logo