Sport
quebra sequência de derrotas, bate Coritiba e mantém distância do Z-4
Foto: Divulgação/Sport

O Sport derrotou o Coritiba pelo placar de 1 a 0 neste domingo (13) pela 25ª rodada do Brasileirão e afastou-se mais do Z-4. Na Ilha do Retiro, Thiago Neves foi o autor do único gol do jogo.

Leão e Coxa tinham um inimigo em comum: a zona de rebaixamento. Enquanto a equipe pernambucana queria aumentar a distância até então de apenas um ponto para o Vasco, que abria o Z-4, a paranaense buscava se aproximar da saída do grupo indesejado, já que precisava de mais que três pontos para escapar. Ambas não venciam há cinco rodadas, e o time da casa vinha de quatro derrotas seguidas. Já o visitante ainda não havia conseguido resultado positivo com o técnico Rodrigo Santana.

Estratégias

Jair Ventura não pôde contar com o volante Ricardinho, o atacante Hernane (incômodo na coxa) e o lateral Sander (entorse no tornozelo). Em compensação, Marquinhos e Adryelson voltaram após suspensão, e Júnior Tavares pôde retornar depois de ficar fora contra o São Paulo por questão contratual. Esquema tático: 4-4-2. No gol, Luan Polli. Iago Maidana e Adryelson formaram a dupla de zaga. Nas laterais, Patric pela direita e Júnior Tavares pela esquerda. No meio-campo, Ronaldo Henrique e Marcão eram os nomes mais recuados na marcação e na transição ofensiva; Lucas Mugni e Thiago Neves eram os responsáveis pela construção. No ataque, Marquinhos e Dalberto, com o último tomando conta da área.

Rodrigo Santana teve os desfalques de William Matheus, Matheus Sales e Matheus Galdezani por suspensão. Entretanto Giovanni Augusto pôde começar entre os titulares após desconforto muscular. Esquema tático: 4-3-3. Wilson no gol. Rhodolfo e Sabino formaram a dupla de zaga, enquanto Maílton e Mattheus Oliveira cuidaram das laterais. No meio-campo, Hugo Moura e Matheus Bueno compuseram a dupla de volantes no primeiro combate e transição; mais à frente, Giovanni Augusto tinha a função de criação. E, no ataque, Robson subia pela direita, Rafinha pela esquerda, e o experiente Ricardo Oliveira marcava posição na área como centroavante.

Leão consegue atuação mais ofensiva, enquanto Coxa não se acerta no meio-campo

A primeira etapa teve o Coritiba começando com mais atitude, postando marcação alta e buscando o ataque. Mas o Sport não demorou a se impor como o dono do campo e dominar as ações, muitas vezes aparecendo inteiro no campo ofensivo. Mugni se posicionava mais pela ponta-direita, ativo na tentativa de encontrar alguém na área. Já seu parceiro de função, Thiago Neves, construía e chamava o jogo na esquerda.

O Leão também pressionava a saída de bola adversária, conseguindo forçar o erro e manter a superioridade em posse de bola. Do outro lado, Giovanni Augusto tentava ser participativo no ataque flutuando na frente da área, com cruzamentos e bolas paradas. Porém, pela falta de ritmo de jogo, errava muitos passes. Aos 16 minutos, eram 74% de posse para o time da casa e 1 a 1 em finalizações. O Coxa ia bem nos cortes dentro da área, mas permitia ao adversário muita facilidade para colocar e manter a bola na área de ataque.

A equipe paranaense chegava desorganizada ao setor ofensivo, faltando troca de passes no meio. Como não tinha a bola de pé em pé, forçava ligações diretas, principalmente tentando encontrar Ricardo Oliveira na área. E, aos 37, Patric recebeu bom passe de Marquinhos na linha de fundo, cruzou rasteiro para trás e encontrou Thiago Neves chegando sem marcação para chutar no fundo do gol, abrindo o placar. Números parciais: 61% em posse, 7 a 4 em chutes e 2 a 1 no alvo, todos favoráveis ao mandante.

Matheus Bueno e Robson não voltaram do intervalo, sendo substituídos por Neílton e Yan Sasse para reforçar o ataque paranaense. E o início do segundo tempo foi como o do primeiro: tentativa de pressão do Coritiba, que chegou a mandar bola no travessão, e Sport logo tomando o ritmo do jogo. O Leão ia para o ataque e posicionava marcação a partir do campo ofensivo mesmo com a vantagem no placar. Do outro lado, Yan Sasse deu movimentação ao ataque do Coxa, contribuindo também com os cruzamentos para Ricardo Oliveira.

Com 16 minutos, 60% de posse de bola e 10 a 6 em finalizações para o mandante. Entretanto a equipe visitante começou a melhorar em campo, aumentando sua posse na segunda etapa pela necessidade de reação e pelas substituições. Jair Ventura resolveu sacar Lucas Mugni e Ronaldo para as entradas de Raul Prata (ficando dois na lateral-direita) e Betinho. Dalberto passou a se destacar no ataque pernambucano, só que por oportunidades reais perdidas, com direito a bola no travessão. Patric também chamava atenção, desde o primeiro tempo, auxiliando muito o ataque com subidas pela direita e pisando na área.

Rodrigo Santana trocou Rafinha por Osman na tentativa de dar novo ânimo ao ataque. Giovanni Augusto ainda tentava ser decisivo, com finalizações. E mais mexidas no Leão: Marquinhos, Thiago Neves e Dalberto deram lugar a Luciano Juba, Jonatan Gomez e Mikael, respectivamente. Nos minutos finais, o jogo era equilibrado, com as duas equipes buscando o gol, mas o Sport ainda com mais facilidade de chegar na área adversária que o Coritiba. E foi só, 1 a 0 para o time da casa. Números finais: 55% em posse, 20 a 14 em chutes e 6 a 3 no alvo, todos a favor do Sport.

Classificação e próximos compromissos

Com os três pontos valiosos, o Sport sobe uma posição, ficando na 15ª colocação com 28 pontos, quatro a mais que o Vasco momentaneamente. O próximo compromisso do Leão é, novamente, em casa contra o Grêmio no próximo sábado (19) às 19h.

Já o Coritiba permanece na 18ª posição com 21 pontos, agora a sete do Bahia, primeiro time fora do Z-4. O Coxa volta a campo também no sábado (19) às 21h, quando recebe o Botafogo em confronto direto dentro da zona de rebaixamento.

Standings provided by SofaScore LiveScore
VAVEL Logo