Rogério Ceni comemora volta de Gabigol e elogia Diego Alves: "Ótimo profissional"
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

O Flamengo goleou o Santos por 4 a 1 neste domingo (13), no Maracanã, pelo Brasileirão. Em entrevista coletiva do treinador Rogério Ceni após a partida, entre os assuntos abordados, as negociações com o goleiro Diego Alves para renovação.

Todos sabem da capacidade dele. A direção faz o melhor que pode, mas é decisão muito particular dos dois. Não quero entrar nessa questão. É deles, tem a parte financeira, não trabalho com isso. Só posso dizer que ele é um baita profissional, assim como o Hugo Souza, o Cesar, que é um baita menino. Não me envolvo na parte financeira, mas todos sabem do carinho que tenho por ele. Acho um ótimo profissional”, disse Ceni.

E completou afirmando que a escolha do goleiro como capitão da equipe foi sua: “Acredito que eles tenham relação de amizade. Não só entre eles, mas outros que conquistaram tantos títulos. Mas não é o primeiro jogo que ele foi capitão. Estou aqui há nove jogos, em três ele foi capitão. Tenho maturidade suficiente para escolha, fui capitão mil vezes na minha carreira e tenho total de liberdade de escolher. Já foi Diego Alves, foi Diego, foi Everton Ribeiro, Arão, Filipe Luís pode ser também. É uma escolha minha, particular e exclusivamente minha”.

Titular em diversas partidas, o atacante Pedro começou a partida no banco e entrou durante o segundo tempo, no lugar de Gerson. Assim sendo, o quarteto ofensivo foi formado por Everton Ribeiro, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel Barbosa. Ceni explicou a decisão, mas afirmou que também há a possibilidade de Pedro começar jogando ao lado destes jogadores.

Você fica um pouco mais exposto, confesso. Acho que o gol sai neste momento do jogo, apesar de termos feito gol também nesse momento. Mas são cinco jogadores diferenciados. Difícil para o treinador colocar os cinco ao mesmo tempo porque são cinco muito ofensivos. Mas acho que era o momento certo para testar essa formação, arriscar um pouco. Para tentar em determinados jogos, quando a gente precise vencer, usá-la de fato. Jogo apertado, fim de jogo ou quem sabe, se ela amadurecer, se encontrarmos melhor maneira de marcar também, por que não jogar com os cinco juntos? ”.

Assim sendo, afirmou que Gabigol e Pedro podem, sim, jogar juntos: “Bruno Henrique compõe bem com qualquer um dos dois. Acho que o Pedro é mais 9 que o Gabriel, joga mais centralizado na área. Precisa de um jogador mais à sua volta. Quando o Gabriel joga compõe melhor lado a lado com Bruno Henrique. Gabriel é jogador inteligente, sabe jogar pelo lado, Bruno Henrique é jogador que pode fazer lado esquerdo. Mas prefiro ele à frente, próximo ao gol, pela velocidade que ele imprime, mas também é bom jogador de lado de campo. Mas, então, há chances totais de Gabriel e Pedro jogarem juntos”.

Aliás, a partida marcou a volta de Gabigol, que ganhou elogios do comandante. Segundo Ceni, o atacante lhe deu muita dor de cabeça quando jogava contra. Inclusive, o jogador marcou dois gols, ambos de pênalti, na vitória.

Gosto muito dele (Gabigol), me deu muita dor de cabeça pra mim quando jogava contra. Então só de tê-lo ao lado, já me deixa mais tranquilo. Ele teve calma para bater os pênaltis, treinou bem durante a semana. Separamos ele para fazer uma semana a mais de parte física e foi importante. Quando ele consegue competir mais, participar mais, se torna muito importante” encerrou.

Com a vitória, o Flamengo chegou aos 45 pontos e segue em terceiro lugar, na briga pelo titulo do Campeonato Brasileiro. O próximo compromisso do Rubro-negro é contra o Bahia, no domingo (20). O duelo será no Maracanã, às 18h15 (horário de Brasília), válido pela 26ª rodada do Brasileirão.

VAVEL Logo