Garotos da base decidem, e São Paulo derrota Atlético-MG com autoridade
Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Conhecidos pelo estilo de jogo ofensivo, os técnicos Fernando Diniz e Jorge Sampaoli travaram um duelo à parte na abertura da 26ª rodada do Brasileirão, na última quarta-feira (16) no Morumbi. O São Paulo levou a melhor sobre o Atlético-MG e devolveu os 3 a 0 do primeiro turno.

Estratégias de ambos 

Nem Pablo nem Vitor Bueno. O técnico Fernando Diniz deixou os atacantes no banco e escolheu o meio-campista Tchê Tchê como substituto do artilheiro Luciano, lesionado, o que confundiu a marcação do time mineiro.

Sem posição fixa, Tchê Tchê abriu caminho para a vitória flutuando pelos dois lados do campo - ora no ataque pressionando a saída de bola rival, ora compondo o meio de campo. Em um destes momentos, ocupou espaço deixado pela defesa rival e conduziu a bola até Igor Gomes. O garoto de Cotia arriscou de fora da área um chute colocado que balançou a rede do goleiro Everson.

Sampaoli também manteve a ideia de mexer na equipe em relação ao último jogo. Desta vez ele escalou um trio de zagueiros com Igor Rabello ao lado de Junior Alonso e Gabriel, mas a principal novidade foi a entrada de Calebe no meio com Allan. Guga e Arana ficavam mais abertos nas laterais e às vezes avançavam para municiar o ataque mais móvel formado por Savarino, Keno e Eduardo Vargas.

A primeira finalização do time mineiro foi aos 15 minutos de jogo, em chute de fora da área de Allan que passou à esquerda de Volpi. Eduardo Vargas foi o mais participativo no setor ofensivo, visto que Reinaldo conseguia anular Savarino e Keno também estava em noite pouco inspirada.

Bola na trave e mais gols no segundo tempo

Insatisfeito com a derrota parcial, Sampaoli desfez o esquema com três zagueiros durante o intervalo e colocou Alan Franco. O time melhorou, se movimentando mais no setor ofensivo, só que Volpi praticamente não foi incomodado. O argentino então colocou Sasha na vaga de Calebe para deixar o time com mais presença de área. A estratégia deu certo: o atacante acertou a trave em um chute de longa distância e quase diminuiu.

O segundo tempo também foi mais pegado, tanto que o número de faltas aumentou e cinco dos seis cartões amarelos foram distribuídos neste período. Um deles foi para Allan, que se desentendeu com Tchê Tchê em uma disputa de bola no meio de campo e ambos foram advertidos. Houve um princípio de confusão com jogadores discutindo e trocando empurrões, mas a situação foi controlada tanto pela arbitragem quanto por outros atletas. 

A vida do Atlético-MG piorou quando Allan derrubou Daniel Alves e como a bola já havia passado ele recebeu o segundo amarelo e, em seguida, foi expulso. 

Escolhas certeiras de Diniz

Com um jogador a mais, o técnico do São Paulo sacou Tchê Tchê e colocou Vitor Bueno, que três minutos após entrar em campo avançou pela ponta esquerda e cruzou para Gabriel Sara aparecer como elemento surpresa dentro da área e ampliar a vantagem do São Paulo. 

Os técnicos realizaram mais alterações e um dos que ganhou oportunidade foi Toró. Após uma troca de passes com Daniel Alves, Luan lançou o atacante da base do São Paulo na ponta esquerda, ele limpou Guga e chutou de fora da área para completar o placar no Morumbi.

Classificação e próximos jogos

Com este resultado o São Paulo atingiu 53 pontos e ficou a sete do próprio Atlético-MG, vice-líder com 46. O Flamengo tem 45, mas dois jogos a menos. Palmeiras, Internacional e Grêmio, nesta ordem, completam o G-6.

O tricolor do Morumbi volta a campo na quarta-feira (23), na abertura das semifinais da Copa do Brasil diante do Grêmio. Já o alvinegro de BH só joga depois do Natal, no dia 26, quando recebe o Coritiba no Mineirão.

VAVEL Logo