Abel Ferreira: "Futebol brasileiro não é tão agressivo para existir tantas faltas"
Foto: Cesar Greco / S.E. Palmeiras

O Palmeiras foi vencido pelo Internacional em jogo válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro 2020. No Beira-Rio, o time comandado pelo técnico Abel Ferreira perdeu por 2 a 0 para o Colorado, após atuação decepcionante - sobretudo no primeiro tempo. Em entrevista coletiva após o duelo, o treinador português falou sobre os ensinamentos que a equipe deve tirar do resultado adverso.

Para o luso, o aprendizado é, acima de tudo, mental. "A primeira é perceber que temos que ser sempre humildes, que temos que entrar com um ritmo forte nos jogos. A segunda é que jogamos com um time com qualidade individual e que jogou bem, administraram o ritmo de jogo. Mas temos que entender e dar a volta nisso", destacou.

Abel Ferreira aproveitou a coletiva para fazer algumas críticas. A primeira delas direcionada à qualidade técnica da peleja. Pouco depois, ele deu a entender que o fato do espetáculo não ter sido dos melhores também está na conta da arbitragem.

"Como disse, eu e meus jogadores fazemos análises do nosso trabalho, acredito que o Internacional também. Eu queria muito que o jogo tivesse outro ritmo e intensidade, um espetáculo diferente para quem assiste. As três equipes poderiam ter feito melhor. Acredito que os árbitros, tal como os profissionais do futebol, sobre o jogo, o que para ele, precisa do ritmo. Eu acho que o futebol brasileiro não é tão agressivo para existir tantas faltas, mas se o árbitro andar com o apito o tempo inteiro na boca vai apitar", afirmou o treinador, querendo referir-se a Savio Pereira Sampaio, que comandou o duelo.

Apesar de todas as críticas, em outro momento, o treinador alviverde destacou que a atuação da equipe não o preocupa. E ele explicou o motivo. 

"Esses jogos são muito equilibrados e definidos por detalhes. No primeiro tempo, fomos lentos com a circulação da bola, devíamos ser mais rápidos e sabemos fazer isso. Eles fizeram o gol no escanteio, mas não podemos conceder o escanteio dessa forma. O adversário deixou um ritmo lento, não gosto desse tipo de jogo. Por isso a importância da eficácia nesses tipos de jogos, porque não são muitas oportunidades. Tivemos chances. Depois de ter arriscado tudo, porque perder não nos interessa, acabamos sofrendo um gol no contra-ataque. Primeiro tempo equilibrado, entramos muito bem no segundo, podíamos ter feito nas poucas que criamos, mas o adversário foi eficaz", comentou o profissional no Beira-Rio.

Copa do Brasil

Na próxima quarta-feira, o Palmeiras faz o jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil 2020. Adversário do confronto, o América-MG foi elogiado pelo treinador alviverde. "Jogo importante para nós. A equipe que eliminou o Inter, o Corinthians, é muito organizada. É uma equipe que sabe o que faz, não está na semifinal por acaso. Temos que respeitar 100% nossos adversários, mas somos o Palmeiras e queremos passar de fase. Vamos nos preparar para isso", finalizou.

VAVEL Logo