Cruzeiro 100 anos: do céu ao inferno na última década
Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Desde 1997, o Cruzeiro conquistou grandes títulos em sua história e aumentou ainda mais a sua importância no cenário nacional e Internacional. No centenário do clube celeste reunimos alguns momentos marcantes do clube reunidos entre altos e baixos.

Em 2000, o Cruzeiro bate São Paulo e conquistava o tetra da Copa do Brasil

Em uma decisão pra lá de emocionante, o Cruzeiro venceu o São Paulo por 2 a 1, de virada na final da Copa do Brasil em 2000. O Tricolor Paulista abriu o placar aos 20 minutos do segundo tempo, com gol de Marcelinho Paraíba. A Raposa não desanimou, foi guerreiro e arrancou o empate com Fábio Júnior. Porém, a equipe precisava de mais um gol e foi desesperador até os 44 minutos.

Tudo começou com um erro no recuo de bola da equipe paulista, aos 42 minutos. Geovanni acabou sendo derrubado na entrada da área. O próprio foi para a cobrança de falta, bateu forte, a bola passou pela barreira e foi para o fundo das redes. A conquista da Copa do Brasil era a terceira do Cruzeiro, que já havia erguido as taças em 1993 e 1996. Posteriormente se tornaria o maior campeão do torneio, com seis titulos em 2003, 2017 e 2018.

Cruzeiro conquista o tricampeonato brasileiro na era dos "pontos corridos"

Com uma campanha impecável e 57 mil torcedores presentes no Mineirão, o Cruzeiro bateu o Goiás por 2 a 1 e garantiu o título do Campeão Brasileiro em 2014, com duas rodadas de antecedência. A raposa conquistou 23 vitórias, sete empates e seis derrotas, somando 76 pontos e 70,4% de aproveitamento. Com o melhor ataque da competição.

Só que engana-se quem acha que foi fácil chegar ao título. Os mineiros assumiram a liderança na sexta rodada, após vencer o Sport por 2 a 0, no Mineirão. A partir daí, nenhum outro clube conseguiu alcançar a equipe, que havia sido campeã em 2013.

Cruzeiro bate o rival e conquista o Campeonato Mineiro de forma invicta

Em 2019, o Cruzeiro venceu o Campeonato Mineiro de forma invicta. Esse foi o segundo título consecutivo. Após vencer o jogo de ida por 2 a 1 diante do maior rival, Atlético- MG, um empate no jogo de volta garantia o 38º título do time celeste.

No jogo de volta, no Estádio Independência, Elias abriu o placar, aos 30 minutos do primeiro tempo. Mas a Raposa não se abateu, seguiu em busca do empate. O técnico Mano Menezes colocou Pedro Rocha partida e o jogador foi decisivo.

Em uma jogada individual pela esquerda, o atacante tentou cruzar, mas viu seu passe ser interrompido com um toque de mão. Pênalti para o Cruzeiro, que foi convertido com perfeição pelo artilheiro Fred, para garantir o título mineiro para a Raposa.

Dividas do Cruzeiro 

O Cruzeiro ultrapassou o Botafogo e se tornou o clube que mais deve no futebol brasileiro. Até maio de 2020, a empresa de consultoria Pluri divulgou alguns dados sobre a situação financeira do clube. De acordo com os números, a antiga gestão deixou uma dívida líquida de R$ 1 bilhão.

Em seu balanço, o clube declarou receita de R$ 54 milhões até maio, além de um déficit de R$ 259 milhões (sendo R$ 103 à provisões e mais R$ 76 de indenização de atletas). R$ 225 milhões eram referentes ao que o Cruzeiro teria de pagar a clubes do Brasil e do exterior, R$ 130 milhões à instituições financeiras e R$ 290 são dúvidas fiscais ao PROFUT, programa do qual a equipe celeste foi excluído.

Rebaixamento para a Série B

No mesmo palco aonde o Cruzeiro viveu os seus melhores momentos no decorrer dos seus 99 anos de existência, também viveu o pior. Em 2017, o clube celeste caiu pela primeira vez em sua história para a Série B do Campeonato Brasileiro em partida contra o Palmeiras, no Mineirão. A equipe mineira terminou em 17º e se chutou ao CSA, Chapecoense e Avaí que caíram para a segunda divisão nacional.

A queda se deu por graves problemas financeiros na gestão de Wagner Pires de Sá e do vice Itair Machado. Além de conviverem com dívidas, a gestão se tornou alvo de investigação e inquérito para apurar denúncias de falsificação de documentos, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e possíveis infrações na CBF e Fifa.

Sai Itair Machado, entra Zezé Perella

Após a saída de Itair Machado, o presidente do conselho deliberativo Zezé Parella passou a ser o presidente do clube celeste. Sua maior responsabilidade era cuidar da saúde financeira do clube, mas não foi bem isso que aconteceu.

O clube acabou caindo para a Série B e em maio de 2020, o juiz Elton Pupo Nogueira, da terceira vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte, determinou o bloqueio de R$ 1.294.024,79 das contas bancárias do ex-senador e presidente do Cruzeiro, por improbidade administrativa no período em que foi deputado estadual em Minas Gerais, entre 2007 e 2010. 

Sérgio Santos Rodrigues é eleito presidente

Em maio, Sérgio Santos Rodrigues, 37 anos, foi eleito o novo presidente do Cruzeiro em meio ao caos político e financeiro que a equipe vivia.

Punições na Fifa

O Cruzeiro iniciou o Brasileirão Série B com menos seis pontos, por não ter depositado- por determinação da Fifa- os pouco mais de R$ 5 milhões ao Al Wahda, pelo empréstimo do volante Denilson em 2016. E logo depois sofreu a segunda punição de não poder contratar novos jogadores, em consequência da ação imposta pelo Zorya, da Ucrânia, pela compra do atacante William em 2014.

Serie A cada vez mais distante

O clube que já teve seis treinadores desde 2019, teve uma queda de rendimento e se viu muito próximo ao rebaixamento para a Série C. Para salvar o clube, Luiz Felipe Scolari foi contratado e tirou a Raposa do Z-4 e o levou para o 11º lugar.

A equipe, no entanto, não consegue instabilidade na competição, perdeu muitos pontos e viu o seu 1% de chances de conseguir o acesso irem por água abaixo após o empate com o Cuiabá, na última rodada.

VAVEL Logo