Pintado lamenta falhas do Juventude na bola parada: "Precisamos consertar isso"
Foto: Malon Costa/Pernambuco Press

Na noite desta terça-feira (5), o Juventude foi derrotado pela terceira vez seguida como visitante, desta vez, para o Cuiabá por 1 a 0, na Arena Pantanal, pelo Campeonato Brasileiro da Série B.

Após a partida, o técnico Pintado foi questionado sobre a atuação da equipe nos últimos jogos e imediatamente tentou encontrar explicações.

“A estratégia de jogo era ter um homem a mais por dentro. Defensivamente, estivemos bem posicionados no primeiro tempo, tomamos um gol só de bola parada. A equipe adversária ofereceu pouco perigo para a gente. Não conseguimos encontrar esse último passe na frente, porque também enfrentamos uma boa equipe”.

Dependendo da partida, o comandante do Jaconero tenta encontrar soluções modificando sempre o ataque da equipe gaúcha, o que não foi diferente dessa vez.

“Hoje, o Capixaba sentiu uma lesão. Em alguns momentos, temos que arriscar um pouco mais, que é uma situação de final de campeonato. Temos que procurar algumas situações diferentes para enfrentar, como foi contra a Ponte Preta, que conseguimos essa solução. Temos que olhar para a frente, pensar no próximo jogo, e seguir acreditando na gente”.

O Juventude agora terá uma semana pela frente para se preparar para o duelo gaúcho na próxima terça-feira (12), contra o Brasil de Pelotas.

“Importante que a gente tenha um pouco mais de atenção na bola parada. Estamos treinando, trabalhando e precisamos consertar isso. Nossa equipe tem clareza do que tem que fazer durante os jogos. Não podemos esquecer que a gente enfrenta adversários, não jogamos sozinhos. Sempre propomos jogar, tentamos encontrar o caminho do gol, isso é uma coisa que sempre buscamos”.

No entanto, o comandante do Juventude recebeu o terceiro cartão amarelo e foi suspenso para a próxima partida, porém, Pintado não tentou se esconder ou pedir desculpas sobre o fato ocorrido dentro de campo.

“Eu não falei com a arbitragem. O cartão não foi por falta de equilíbrio. É uma situação dentro de jogo, não tem como explicar para vocês porque vai parecer desculpa. Mas o cartão, eu nem falei de situação de jogo, é uma coisa totalmente diferente. Já é passado, eu também sou ser humano, não sou máquina. Não fui reclamar. Fui primeiro tirar nossos atletas dali. Quando ele me dá o cartão, só digo que nossos atletas tinham razão. Por uma interpretação dele, falei que não adiantava a gente falar mais, ficar ali discutindo um lance claro que ele errou. Mas é entendimento do árbitro. Infelizmente isso aconteceu”.

Próxima partida

O Juventude está na quarta colocação com 52 pontos, com apenas um ponto a mais que o quinto colocado, CSA, com 51 pontos, que ainda joga na rodada. O duelo contra o Brasil de Pelotas acontece na terça-feira (12), às 19h15, no Bento Freitas, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

VAVEL Logo