Santos cobra providências da Conmebol sobre não utilização do VAR
Foto: Divulgação/Santos FC

Após o empate em 0 a 0 com o Boca Juniors, na Bombonera, na última quarta-feira (6), pelo jogo de ida da semifinal da Copa Libertadores, o Santos divulgou que vai oficializar sua insatisfação à Conmebol por causa de um pênalti não marcado em Marinho.

No segundo tempo, Marinho foi derrubado dentro da área por Izquierdo, mas o árbitro Roberto Tobar mandou o lance seguir e marcou tiro de meta para os Xeneizes. O juiz sequer foi ao monitor do VAR analisar a jogada.

O presidente do Peixe, Andres Rueda, enviou nesta quinta-feira (07), ofício ao presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, e ao responsável pela Comissão de Arbitragem da entidade, Wilson Seneme, solicitando providências sobre o ocorrido na partida contra a equipe argentina.

Na nota, o clube alega que quer entender o motivo pelo qual o VAR não foi utilizado pelo árbitro da partida.

Mais uma vez presenciamos um episódio que não conduz com as recentes melhorias, os investimentos e os pilares de desenvolvimento da Conmebol nos últimos dois anos", ressalta, citando até o jornal Olé, da Argentina, que reconheceu o pênalti.

Solicitamos que isso não ocorra mais. São dois clubes muito grandes, dois dos maiores times do mundo, e isso só atrapalha o espetáculo. Queremos que as tecnologias sejam bem utilizadas e que todos sejam tratados da mesma forma", disse.

O clube também disse que enviou ofícios para os presidentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, e da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, solicitando apoio e medidas enérgicas diante do ocorrido. Rueda argumentou que não só o Santos, mas outros clubes brasileiros já passaram por situações similares em competições organizadas pela Conmebol.

chega! Está acontecendo com muitos clubes e solicitamos que isso não ocorra mais e, principalmente, os atos não fiquem impunes”, falou.

Reiteramos nossa confiança para a adoção das medidas cabíveis, primando sempre pelo espírito do Fair Play e pelo profissionalismo nas competições organizadas pela entidade”, concluiu.

Nesta quinta-feira (7), a Conmebol divulgou a conversa entre o árbitro Roberto Tobar e os assistentes de vídeo que mandou o lance seguir. No principal trecho, o árbitro de vídeo Eduardo Gamboa disse que não houve "nada" e que a disputa no lance foi um "choque de jogo".

VAVEL Logo