Rogério
Ceni assume culpa por falta de efetividade do Flamengo após derrota
para Ceará
Foto: Reprodução/Fla TV

Agora sem vencer há três jogos, sendo duas derrotas consecutivas, o Flamengo foi derrotado pelo Ceará neste domingo (10), no Maracanã, em jogo válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Vinícius e Kelvyn marcaram os gols do triunfo cearense por 2 a 0.

O técnico Rogério Ceni precisou responder aos pesados questionamentos sobre o atual momento do clube carioca e comentou sobre a escolha de manter Everton Ribeiro entre os titulares.

“Porque na formação inicial, Everton e Arrascaeta, eu gosto dos dois pelos lados. Eu cheguei aqui faz pouco menos de dois meses, eu acho, e o Everton estava na Seleção Brasileira, 10 [camisa] da Seleção Brasileira, eleito o melhor jogador em campo, se não me engano no jogo contra o Uruguai, e o grande jogador do Flamengo, um dos melhores jogadores da temporada passada; nessa temporada, no início do ano também. Então, na minha concepção, ele é um jogador diferenciado. Ele pode não estar produzindo como no auge dele, mas ainda é um jogador muito importante para a equipe, que eu considero como titular e está entre os dez melhores para ocupar a posição de titular”.

Ceni também lamentou as chances perdidas de se aproximar do líder São Paulo, em momento que assumiu a culpa junto com a situação como um todo dentro do campo, além de manifestar que a ausência da torcida no estádio é ruim para a equipe. 

“Eu só lamento, porque eu vim aqui pra ser campeão quando me convidaram pra vir pro Flamengo e a gente tá deixando passar as oportunidades. E é por culpa nossa, minha, e nossa como um todo dentro do campo. A gente faz até por merecer em alguns momentos, mas não vem sendo efetivo, sofrendo principalmente com a ausência do torcedor. Acho que esses jogadores são muito movidos ao grito do torcedor, da torcida, que de 50, 60 mil que tinha o Flamengo na temporada, eu acho que é um combustível importante para esses jogadores e eu só posso acreditar que seja isso, porque de resto, tem sido feito de tudo. Eles mesmos têm se dedicado muito nos treinos, intensidade muito alta e tudo. Acho que a campanha dentro de casa, eu posso avaliar que a ausência da voz do torcedor que faz a diferença. Não tem como explicar”.

Questionado se ainda se sente confortável para continuar no comando do Flamengo, o treinador respondeu que não se sente confortável, mas sim capacitado para trabalhar no clube.

“Confortável, acho que ninguém se encontra nesse momento aqui. Nem eu, os jogadores, a direção. Eu me sinto capacitado para trabalhar no Flamengo. Confesso que não consegui até agora os resultados que a gente gostaria”, começou.

“No Brasileiro, nessas últimas duas rodadas, por mais que tenha criado, o controle de jogo, essas coisas, não conseguimos realizar. Confortável, acho que nenhum flamenguista, ninguém que trabalha no Flamengo estaria em uma situação como essa, vendo a liderança como possível de se alcançar, duas rodadas onde o líder não marca pontos e você também cede essa chance de conseguir chegar próximo da liderança, então não é confortável para ninguém”, complementou.

Com o resultado negativo, o Flamengo caiu para a quarta colocação e se mantém com os mesmos 49 pontos. O rubro-negro terá uma semana sem jogos e somente voltará a campo na próxima segunda-feira (18), em partida diante do Goiás, fora de casa, às 20h.

VAVEL Logo