Em atuação brilhante, Santos passa fácil pelo Boca Juniors e disputará final da Libertadores
Foto: Divulgação/Santos

O Santos bateu o Boca Juniors por 3 a 0 nesta quarta-feira (13), na Vila Belmiro. O duelo foi válido pela volta da semifinal da Libertadores. Diego Pituca abriu o placar no primeiro tempo. E Soteldo e Lucas Braga balançaram as redes logo no início da segunda etapa. Como o primeiro jogo terminou empatado sem gols, o Peixe ficou com a vaga para a grande final.

Estratégias

O Santos começou no esquema 4-2-3-1, com Lucas Veríssimo e Luan Peres na zaga. Além disso, o técnico Cuca escolheu Alison e Diego Pituca como volantes. Ainda no meio de campo, Marinho pelo lado direito e Lucas Braga no esquerdo, com Soteldo no meio. E Kaio Jorge mais a frente.

No Boca Juniors, o esquema escolhido pelo técnico Miguel Angel Russo foi o 4-4-2. Na zaga, Carlos Izquierdoz e Lisandro López. Já o meio de campo começou com Sebastián Villa e Eduardo Salvio pelas pontas e Diego González e Jorman Campuzano. Na frente, Franco Soldano e Carlos Tévez comandam o ataque.

Domínio do Santos

O Santos começou em cima e, no primeiro minuto, Marinho mandou a bola na trave e aos quatro minutos o atacante cobrou falta e a bola desviou. Com isso, Andrada defendeu sem problemas. Com 72% de posse de bola, o Peixe seguiu tendo as melhores oportunidades com os atacantes Lucas Braga e Kaio Jorge. A pressão surtiu efeito e a equipe brasileira abriu o placar aos 15 minutos, com Diego Pituca. Soteldo finalizou e a bola bateu no braço de López. Na sequência, os jogadores do Santos ameaçaram reclamar, mas Pituca chegou e mandou a bola para o fundo das redes.

Em busca do empate, o Boca avançou com Tévez, que tentou o passe para Salvio. Mas Veríssimo apareceu para afastar o perigo. Na sequência, o camisa 10 da equipe argentina tentou finalizar, mas a bola foi fraca. Além disso, a arbitragem já marcava impedimento no lance. Ao passo que o Santos passou a apostar nos contra-ataques. Um deles foi aos 26', com Kaio Jorge, que acabou sofrendo falta de Salvio. Já o Boca Juniors assustou com Villa, que bateu de primeira e a bola passou perto. Nos minutos finais, o Santos voltou a pressionar no fim em cobrança de falta de Marinho e em chute de Kaio Jorge, ambas passando perto.

No decorrer da primeira etapa, o Boca passou a ter mais posse de bola, 58%, e passes certos, mas o Santos foi mais efetivo, tendo finalizado 14 vezes, contra apenas duas dos visitantes. Além disso, nenhuma das duas foi com perigo e o goleiro João Paulo não teve trabalho.

Dois gols no início da etapa final

No intervalo, Russo promoveu as entradas de Buffarini e de Capaldo nas vagas de Jara e Diego González, respectivamente.  Ao passo que o Santos retornou sem modificações. No entanto, não demorou muito e os donos da casa ampliaram, com Soteldo, aos quatro minutos. O camisa 10 recuperou a bola no meio de campo e avançou, chutando para o gol. Dois minutos depois, marcaram o terceiro com Lucas Braga. Marinho avançou e cruzou para o atacante, sem goleiro, balançar as redes. Em desvantagem no placar, os argentinos ficaram com um jogador a menos. Já que Fabra empurrou e pisou em Marinho e recebeu cartão vermelho direto. Na sequência, Russo colocou Ábila no lugar de Soldano e Más no lugar de Salvio. Enquanto Cuca fez as primeiras alterações, Sandry e Jobson entraram nas vagas de Pituca e Soteldo, respectivamente.

Após as alterações, o Boca Juniors teve uma falta a seu favor. Tévez cobrou, e Más não conseguiu fazer o domínio. Já o Santos quase chegou ao quarto gol com Marinho. Pará cruzou e atacante chutou no canto e a bola bateu no lado de fora da rede. Ainda em busca de reverter o placar, os argentinos chegaram com Villa. No entanto, o Peixe contou com ótima defesa do goleiro João Paulo. Posteriormente, o técnico Cuca fez mais duas alterações: Madson entrou no lugar de Felipe Jonatan e Jean Mota, no lugar de Lucas Braga. E depois, Vinícius Balieiro entrou na vaga de Alison. Inclusive, as modificações fizeram com que a equipe passe a atuar no 4-3-3.

Na segunda etapa, a posse de bola foi mais equilibrada, com 53% para os argentinos. Além disso, foram seis finalizações para cada lado, sendo três com perigo do Peixe, contra apenas uma do Boca Juniors.

Final brasileira

Com o resultado, o Santos está na final da Taça Libertadores da América. O adversário será o Palmeiras, que eliminou o River Plate, na outra semifinal. A decisão será no Maracanã, no próximo dia 30, às 17 horas.

VAVEL Logo