Marcão elogia poder de reação do Fluminense e exalta ponto conquistado
Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

O Fluminense ficou no empate em 3 a 3 com o Coritiba nesta quarta-feira (20), no Couto Pereira. O duelo foi válido pela 31ª rodada do Brasileirão. Após estar perdendo por 2 a 0, o Tricolor empatou. Na sequência, sofreu mais um gol, mas, novamente, buscou a igualdade. Em entrevista após a partida, o técnico Marcão falou sobre o poder de reação da equipe.

Lógico que a gente queria estar comemorando um grande resultado, tivemos o volume total do jogo. O Coritiba, nas chances que eles tiveram, finalizaram com gols, e isso foi freando o ímpeto da nossa equipe. Quando tomamos o terceiro gol, foi onde ganharam mais 10 minutos de sobrevida, mas mesmo assim continuamos agredindo, atacando, continuamos infiltrando e criando situações de gol. Por pouco não conseguimos virar um resultado que seria de grande importância. Sentimento é de que buscamos um ponto que no final vai fazer diferença a nosso favor” disse.

O primeiro gol do Fluminense foi marcado pelo jovem John Kennedy. Aos 18 anos, o atacante fez sua estreia como profissional ao entrar no lugar de Luiz Henrique. Sua atuação rendeu elogios do comandante.

Entrou bem e correspondeu. Ele é novo, tem bastante talento e vai nos ajudar bastante. Vai estar conosco, e tenho certeza que ele vai ter um grande sucesso pela carreira”.

Sobre o sabor do empate, Marcão admitiu que o pensamento é sempre na vitória. E explicou o que planejava quando proveu a entrada de John Kennedy, que atuou ao lado de Fred.

Lógico que a gente saiu do Rio com o pensamento positivo de atacar, de agredir o Coritiba. Foi dessa forma que a gente propôs o jogo, mas no decorrer o Coritiba fez 2 a 0, e a gente teve que arriscar ao máximo. Tanto é que no intervalo colocamos o John (Kennedy), um menino que vem treinando bem, produzindo bem. Contra uma equipe que estava com as linhas baixas, optamos pelo Fred mais posicionado e o John, que é um atleta de grande movimentação”.

O Coritiba abriu o placar com dois minutos de jogo e terminou o primeiro tempo vencendo por 2 a 0. Além disso, o terceiro gol saiu após falha do goleiro Marcos Felipe na saída de bola. Marcão afirmou que os gols foram em momentos ruins.

Na verdade, o jogo a gente propôs bastante, mas tomamos gols que realmente foram em momentos ruins. A gente tem até domingo para ajustar isso na palavra, no treino, para equilibrar. Para estar atacando e não estar sofrendo esse tipo de contra-ataque do adversário. Acredito que temos que sentar, achar os erros cometidos nesse jogo para domingo não cometer os mesmos erros”.

O primeiro gol do Coxa foi marcado por Luiz Henrique, em chute de fora da área. O treinador reconheceu que a equipe já sabia dessa qualidade do adversário. E ressaltou que os erros de marcação vão ser corrigidos nos próximos treinamentos.

A equipe do Coritiba trabalha bem esse chute de média e longa distância. A gente tinha avisado, mas no primeiro lance o menino foi muito feliz. Ele veio por dentro, fez isso contra o Vasco, eles trabalharam bem o Neilton por dentro, o outro menino saindo do extremo por dentro para finalizar. Foi uma situação que a gente pontuou e vai corrigir, nós vamos nos cobrar porque avisamos da situação. Internamente a gente corrige para que não aconteça mais”.

Por estar atrás no placar, Marcão ressaltou que a equipe teve que se abrir. Além disso, também explicou como corrigiu o posicionamento de Fred. Aliás, o centroavante marcou o segundo gol do Fluminense, de cabeça, após cobrança de falta de Egídio.

No segundo tempo a gente teve que realmente se abrir. Estávamos em uma condição adversa e optamos pela formação de duas linhas e levar mais um homem do lado do Fred, para evitar ter a saída do lado esquerdo do Coritiba. O Fred estava sozinho marcando dois, e a gente corrigiu esse posicionamento. Eles tiveram que alongar bastante o jogo, e a gente tomou conta. Arriscamos, ficamos com Yago e Martinelli mais por dentro, sabia que nessas condições iria sofrer algum tipo de contra-ataque, mas precisava criar, empatar o jogo. Tivemos que buscar situações, arriscar atrás e tentar buscar um ponto que no primeiro tempo estava bastante distante”.

Na sequência, o comandante do Tricolor explicou também a opção por Egídio como titular na lateral esquerda, na vaga de Danilo Barcelos. Marcão afirmou que todos podem contribuir na equipe e citou também os jogadores que entraram no decorrer da partida. Entre eles, Caio Paulista, que marcou o terceiro gol da equipe.

Desde quando a gente assumiu colocou para o grupo que realmente vai precisar de todos, como precisou hoje. Enaltecer a concentração dos que entraram no segundo tempo e ajudaram bastante. O Caio (Paulista), Felippe (Cardoso), Nenê, Wellington Silva e John Kennedy entraram em uma situação adversa e nos ajudaram. Em relação ao Danilo (Barcelos), conversando com a fisiologia analisamos uma queda física de um tempo para cá e optamos nesse momento em preservá-lo. Recuperá-lo para estar saudável nos próximos jogos. Não decidimos ainda se ele volta no jogo seguinte ou se continua o Egídio, que foi bem, participou bastante. É algo pensando no grupo e vamos até o final”.

E falou sobre a ausência de Fernando Pacheco entre os relacionados: “Foi uma opção de minutagem do Pacheco. Optamos pelo John e pelo Miguel, que fez uma semana boa de treinamento”.

O próximo adversário do Fluminense no Brasileirão é o Botafogo, lanterna do campeonato e que vem de cinco derrotas seguidas. Mesmo com a situação delicada do rival, Marcão destacou que é um clássico.

É clássico, independentemente de qual situação a equipe do Botafogo esteja. Lógico que o Fluminense entra para vencer sempre, buscar os três pontos sempre, e vai tentar usar o momento do adversário a nosso favor. Fazer um jogo de pressão, imposição, tornar a colocação na tabela um fator positivo ao nosso favor. Vamos trabalhar, descansar para domingo fazer um grande jogo” encerrou.

O clássico contra o Botafogo, válido pela 32ª rodada do Brasileirão será no próximo domingo (24), em São Januário, às 20h30. O Fluminense é o sétimo colocado, com 47 pontos e segue na briga pelo G-4 da competição.

VAVEL Logo