Após vencer Atlético-MG, Luxemburgo mantém cautela contra a queda: "Vou me doar ao máximo"
Foto: Reprodução/TV Vasco

Neste sábado (23), o Vasco venceu o Atlético-MG por 3 a 2, em São Januário, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. Após a partida, o técnico Vanderlei Luxemburgo foi questionado sobre a estratégia do jogo e avaliação do resultado. 

Estratégia

“Nós armamos no treinamento e conversamos porque o Atlético quer que o adversário marque em cima pra poder encontrar os espaços, e quando você tira os espaços deles e fecha a equipe, ele acaba deixando o espaço para nós. A estratégia foi sofrer um pouco, porque pra ganhar do Atlético tem que saber sofrer. O Benítez fez uma função importantíssima, porque ele vinha fechar o lado direito como segundo homem do meio-campo. E quando saía, a jogada sempre iniciava com ele. Então, foi o melhor jogo no primeiro tempo, mas no segundo tempo, sofremos. Quero dar os parabéns porque no terceiro gol foi um gol de jogo de futebol. Foi um gol bonito, bem jogado, com toque de qualidade, visão de jogo, finalização perfeita e nosso time está de parabéns pelo resultado”.

A função de Benítez e Cano

Luxemburgo foi questionado também sobre a importância de Martín Benítez, Cano e a preocupação com o físico do camisa 10.

"O Cano é um grande finalizador, a bola só precisa chegar nele porque ele bota ela pra dentro. Com respeito ao Benítez, as pessoas acham que a gente não tem planejamento, mas ela é decidida em reunião com comissão técnica para tomar uma decisão. O Benítez vinha parado por muito tempo, trouxe ele para jogar contra o Coritiba porque era um jogo em casa e era importante. Solicitou muito da parte física dele, e sobre Bragança, o jogo seria difícil com ele ou sem ele, então preferimos deixá-lo aqui treinando para ter uma condição melhor para hoje. Ele mostrou que jogou bem no primeiro tempo até os 30 minutos, depois cansou, voltou no segundo tempo, jogou mais do que deveria e ficou até a hora que aguentou. Então, acho que a vitória foi merecida contra um adversário muito difícil, que está na zona de cima, e tem que valorizar a vitória sabendo que na terça-feira tem mais".

Vanderlei Luxemburgo foi questionado também sobre a convocação que fez para a torcida apoiar o Vasco na competição de "12 jogos" que restavam para o Cruzmaltino escapar da zona de rebaixamento.

“Então, fugiu o Coritiba, né. Uma derrota em Bragança Paulista, o São Paulo foi lá e perdeu, outras equipes foram lá e perderam. O Coritiba era uma vitória que queríamos porque era um confronto direto, mas infelizmente não conseguimos. Estamos no caminho certo para a busca da manutenção na primeira divisão, a vitória foi fundamental para subirmos um pouquinho, mas não terminou. Tem muita coisa para acontecer”.

Ritmo e paciência para fugir da zona de rebaixamento

Luxemburgo falou sobre a permanência e constância para a equipe manter o mesmo ritmo até o final do campeonato.

“O mais difícil foi recuperarmos jogadores dos quatro gols que tomamos em Bragança Paulista, e levantar o emocional deles. Tive muita paciência e calma, não dei nenhuma pancada e não levantei a voz. Porque era uma derrota doída, entramos na zona de rebaixamento.

O importante para os jogadores era pra me olhar, saber que eu estava tranquilo e que eu confiava neles que nós pudéssemos ter uma atuação convincente. Foi tudo um processo de construção para hoje muito complicado.

Foi importante irmos através da TV Vasco da Gama que queremos manter a equipe na primeira divisão, não estamos preocupados com a parte política, parte financeira e se vamos receber o salário. Falta tão pouco para acabar, sete jogos, nós queremos manter o Vasco na primeira divisão.

Essa camisa tem que ser honrada de uma maneira que os jogadores entendam a grandeza desse clube. Claro que existem equívocos durante o trabalho, porque o pagamento atrasado é ruim, mas entre pagamento atrasado e o compromisso de manter o Vasco na primeira divisão, então vamos manter o compromisso.

O mais importante era pro torcedor saber que estamos empenhados para manter o Vasco na primeira divisão. Amanhã não tem folga, vamos para o CT para trabalhar. Vamos para São Paulo, jogar na terça-feira e vamos ficar em Atibaia, trabalhando a equipe para voltarmos pra cá pra jogarmos no domingo contra o Bahia.

Tudo é planejamento e trabalho para manter o Vasco na primeira divisão, porque o Vasco é grande e tem uma história muito bonita. Então, eu vou me doar ao máximo e cobrar os jogadores ao máximo para manter o Vasco na primeira divisão”.

VAVEL Logo