Abel Ferreira reclama de maratona de jogos e exalta equipe
Foto: Reprodução / Palmeiras

O Palmeiras teve um resultado ruim na última terça-feira (26). No Allianz Parque, em jogo atrasado da primeira rodada do Campeonato Brasileiro 2020, o Verdão ficou no empate em 1 a 1 com o Vasco da Gama. Se o resultado igual não era o esperado, Abel Ferreira fez questão de frisar que a quantidade de jogos em sequência da equipe atrapalhou.

Para Abel Ferreira, o Palmeiras, apesar de não ter conquistado a vitória, teve bom desempenho ao longo das últimas pelejas. "Acho que tem sido a primeira vez na história que uma equipe tem dez jogos no mês. Não sei se mais alguém teve, mas desafio quem gosta de estudar futebol. Estou convencido que somos uma das únicas equipes com dez jogos no mês. É duro, pesado, temos de pensar no presente e no futuro, pensar de forma global, na gestão de energia e jogar na máxima força. A cada jogo jogaram aqueles que estavam na máxima força. É humanamente impossível. Temos jogadores que só com um dia de intervalo tiveram de jogar hoje e deram conta do recado, poderíamos ter chegado ao intervalo com dois ou três. Infelizmente não conseguimos materializar em gol. Mas o processo está lá e temos de continuar a fazer. A gestão foi feita para chegarmos ao décimo jogo e termos toda a equipe. Essa era nossa estratégia, conseguimos chegar com a equipe inteira a esta final", comentou o treinador.

Especificamente sobre a partida contra o Vasco da Gama, Abel destacou que, conforme novos atletas vão entrando, a tendência é que "o que me agrada como treinador é perceber que uma equipe que nunca tinha jogado junto, nunca vimos Felipe Melo, Scarpa e Lucas Lima no meio, Renan na lateral esquerda, o Gabriel Silva na frente, que é um garoto com qualidade e muito caminho para andar, com Lucas Esteves adaptado como extremo, e a equipe criar como criou. Isso que tenho que ressaltar. Falhar gols falham as equipes do Klopp, do Guardiola, as melhores equipes do mundo. O importante é ter identidade da equipe. Eu fiquei contente que nós, em condições físicas difíceis, conseguimos, por 45 minutos, ter jogo e nossa equipe ter uma boa circulação de bola", elogiou o treinador.

As estatísticas da partida indicam equilíbrio, apesar de uma aparente vantagem alviverde. Os mandantes tiveram 54% de posse de bola, com catorze finalizações (ante doze dos rivais). Quanto a chutes a gol certos, três para cada lado.

Decisão da Libertadores

Mesmo falando sobre o empate, todo palmeirense está ansioso para a final da Copa Libertadores da América 2020, no próximo sábado (30), contra o Santos, no Rio de Janeiro. "É um jogo muito particular, é uma final. É fruto de um grande trabalho das duas equipes. Chegam as duas com mesmo desejo e ambição. Da minha parte, vamos nos preparar como temos feito em todos os jogos, encarar as emoções que temos e aceitá-las. Quando chegar o momento do apito do árbitro concentrar nossa energia para o plano de jogo... não é esta semana. Tenho falado antes. Não vamos nos preparar agora, estamos nos preparando. Tenha certeza absoluta que essa galera está preparada para esta final", exaltou Abel Ferreira.

VAVEL Logo