Ceni exalta Bruno Henrique, elogia arbitragem e comenta sobre ‘maratona de jogos’
Foto: Divulgação/Flamengo

O Flamengo venceu o Vasco por 2 a 0 nesta quinta feira, no Maracanã. Com muita posse de bola e volume de jogo, cercando o adversário, o rubro-negro carioca conseguiu se manter na busca pelo título do Campeonato Brasileiro.

"Eu vejo cada jogo da mesma maneira. Às vezes o resultado não vem, como nos dois primeiros jogos desse ano. Mas eu trabalho da mesma maneira todos os dias. Eu vim para cá com o sonho de trabalhar muito e poder brigar pelo título", comentou.

"Bruno Henrique não se destaca só nos clássicos, é um jogador que na maioria dos jogos faz gol ou dá assistência. Ele é imprescindível, tem velocidade, jogo aero, cabeceio", disse sobre seu atacante.

Na segunda etapa, o técnico Rogério Ceni voltou a substituir Gabigol por Pedro. O camisa 9 saiu de campo demonstrando sua insatisfação. Após a partida, o treinador explicou a substituição.

"Eu acho que nenhum jogador gosta de ser substituído. Eu acho que cada um tem um comportamento e age de uma maneira. Conheço o Gabriel, trabalho com ele todos os dias. Sei que ele queria ficar mais tempo em campo, mas temos também o Pedro. É um jogador importante. Naquele momento precisava de um jogador para segurar a bola para a chegada dos outros jogadores. Logo depois até saiu o gol. Não há problema nenhum. Ele se doou muito em campo, fez a recomposição. Centroavante normalmente é mais fominha. Vai chegar um momento em que ele e o Pedro estarão em campo juntos, outras ele será substituído", esclareceu o técnico.

O técnico rubro-negro aproveitou pra comentar sobre a arbitragem de Klaus.

"Antes de responder sobre os que acumulam dois cartões... A arbitragem do Klaus é a melhor para mim, mas no caso do Diego é curioso. Uma bola dividia, ao meu ver, estava bem na minha frente, ele salta, bate a cabeça, cabeça com cabeça, e ele toma um cartão amarelo... Aí tem um pênalti a nosso favor, o jogador que evita uma chance clara de gol e ele já tinha amarelo. Chama o VAR, vê o pênalti. Eu obviamente não tenho conhecimento tão profundo quanto a arbitragem da regra, mas eu acho estranho como, num contato no meio do campo, toma um 3º cartão e desfalca a gente para o jogo de domingo, e num pênalti claríssimo não há o segundo cartão amarelo", informou.

Por fim, comentou sobre a maratona de jogos que o Flamengo enfrenta.

"O que eu posso falar é que nós estamos jogando numa intensidade um pouco maior. Me da medo sempre o terceiro jogo em três dias. Acho estranho outra coisa, Inter e Atlético jogam na quarta, só o Flamengo joga no domingo", desabafou.

O Flamengo viaja até o interior de São Paulo, onde enfrentará o Red Bull Bragantino no Domingo (07), 20h30.

VAVEL Logo