Inter fura retranca do Juventude, goleia e está na final do Gauchão
Foto: Ricardo Duarte/SC Internacional

Maior vencedor da história do Campeonato Gaúcho, o Internacional segue firme na luta pelo 46º título. No sábado (8), o time colorado eliminou o Juventude ao aplicar um 4 a 1 no Beira-Rio.

Esta foi a quarta goleada do Inter nos últimos cinco jogos. O único ponto fora da curva neste período foi justamente a primeira semifinal diante do Juventude em Caxias do Sul, quando Marcos Vinicios fez o gol da vitória.

Como o empate era suficiente para avançar à decisão, Marquinhos Santos adotou a cautela quando atuou como visitante. O Inter buscou o jogo desde o início, tanto que a única chegada mais perigosa do Juventude nos primeiros minutos foi um chute de fora da área de Matheus Peixoto que saiu pela linha de fundo.

Enquanto isso, Moisés e Maurício incomodavam a defesa jaconera pela esquerda, Palacios e Rodinei se movimentavam mais do outro lado. O atacante chileno, aliás, foi substituído ainda no primeiro tempo com dores no tornozelo e deixou o campo chorando. Outro que pediu substituição foi Edenílson, no segundo tempo, que também sentiu o tornozelo.

A pressão do Inter se transformou em gol aos 43, quando Galhardo armou contra-ataque e deixou Yuri Alberto livre para marcar o 17º dele com a camisa colorada. Três minutos depois, a defesa do Juventude se atrapalhou na saída de bola, João Paulo tocou errado para Rafael Forster e Edenílson interceptou o passe. O meio-campista então cruzou na medida para Mauricio, que ampliou. 

A vitória parcial era suficiente para classificar o Inter, mas o Juventude voltou mais ligado no segundo tempo e teve duas boas chances com Matheus Peixoto. Em uma delas ele foi travado por Rodrigo Dourado e na outra finalizou pra fora, assustando Marcelo Lomba. O goleiro também apareceu com boa defesa em chute de Capixaba que ele espalmou.

Aos 14, Edenílson lançou a bola para o campo de ataque, Galhardo tocou para Yuri Alberto, que dividiu com o goleiro Marcelo Carné perto da linha de fundo e caiu na área. O árbitro Daniel Bins não marcou pênalti, mas após ser alertado pelo VAR, revisou a jogada e então o próprio Edenílson acertou o ângulo.

O gol de honra do Juventude aconteceu praticamente cinco minutos depois, quando Paulo Henrique avançou pela ponta direita e Cuesta tentou tirar de carrinho, mas derrubou o atleta do Juventude. Daniel Bins apontou falta fora da área, mas foi chamado novamente pelo árbitro de vídeo e então Matheus Peixoto colocou a bola na rede.

Miguel Ángel Ramírez preservou alguns titulares na etapa final, tirando Praxedes e Galhardo, porém os substitutos deram conta do recado. Dois jogadores que saíram do banco construíram a jogada do terceiro gol - Nonato apareceu na esquerda e tocou para Caio Vidal, que obrigou Carné a espalmar, porém no rebote o lateral Rodinei desviou de cabeça e fez o terceiro do Inter.

O Juventude conseguia chegar ao ataque, principalmente com Castilho, Capixaba e Matheus Peixoto, mas faltava precisão no último passe. Quando Lindoso errou na saída de bola, o centroavante partiu livre do campo de defesa, deixou a marcação pra trás e ficou cara a cara com Lomba, porém bateu fraco, rasteiro, nas mãos do goleiro.

Daniel Bins estendeu o jogo até os nove minutos, o que não foi suficiente para mudar a realidade da partida.

Classificação e próximos jogos

Finalistas em 2020, Caxias e Grêmio decidem neste domingo (9) quem será o adversário do Inter. A expectativa é pelo terceiro Grenal em 2021 - o Inter ganhou em janeiro por 2 a 1 e o Grêmio fez 1 a 0 em abril. Enquanto isso, o técnico Ramírez trabalha a equipe para o confronto de terça-feira (11) diante do Deportivo Táchira pela Libertadores.

Eliminado na Copa do Brasil, o Juventude concentra suas forças a partir deste momento na disputa do Brasileirão. De volta à elite nesta temporada, a equipe de Caxias do Sul estreia fora de casa contra o Cuiabá no dia 30.

VAVEL Logo