Roger Machado pondera empate no Morumbi e destaca exibições individuais do Fluminense
Roger Machado em São Paulo 0 a 0 Fluminense (Mailson Santana / Fluminense FC / Divulgação)

Empatar fora de casa é um resultado visto com bons olhos por muitos. Na primeira rodada do Campeonato Brasileiro 2021, o Fluminense visitou o Morumbi e conseguiu empatar com o São Paulo neste sábado (29).

Na entrevista coletiva, Roger Machado, treinador do Tricolor das Laranjeiras, destacou que o ponto obtido foi importante, mas que a equipe, pela exibição, poderia render uma vitória.

Ponderado como de costume, Roger equilibrou resultado e exibição. "Foi um grande jogo, uma partida segura. Penso que os pequenos ajustes feitos no jogo do River e repetidos hoje foram muito importantes porque conseguimos ter volume de jogo e postura agressiva, mesmo quando estávamos com o bloco mais baixo. Pressionamos alto quando precisou, retomamos a bola no campo de ataque, contra-atacamos e tivemos as melhores oportunidades. O São Paulo teve uma ou duas mais contundentes. Fomos muito bem, claro que fica o gosto de que algo poderia ter acontecido de diferente pelo o que nós produzimos. Mas conquistar ponto fora contra o São Paulo, atual campeão paulista, e que vinha de grandes atuações, foi muito bom. Salientei para os atletas que estava feliz pela atuação e pelo ponto conquistado, mas sabendo que poderíamos sair com a vitória", comentou, após a estreia no Brasileirão 2021.

O São Paulo, jogando no 3-5-2 de Hernán Crespo, teve muito mais posse de bola: 71%. Nas finalizações, entretanto, melhor para o Fluminense, enviado por Roger Machado no 4-2-3-1: 11 finalizações (ante sete dos paulistas) e cinco certas - contra três dos mandantes.

Atuações individuais

O treinador do Tricolor das Laranjeiras fez questão de destacar alguns jogadores em especial. O primeiro deles foi Nenê, que errou um pênalti na peleja.

"A escolha é definida pela comissão técnica e por mim. Dependendo do jogo, a gente escolhe dois ou três e tem uma ordem dos batedores para penalidades. O Nenê é um batedor eficaz, errou hoje, mas converteu inúmeros outros. Não é obrigatoriedade de sempre ser o centroavante a bater . Por isso a escolha pelo Nenê, mas faz parte", comentou.

Indagado sobre as poucas oportunidades dadas a Paulo Henrique Ganso, a resposta do treinador do Fluzão foi positiva para o atleta. "Tenho tido a opção pelo Cazares, que vai ficar 40 dias fora agora. O Paulo Henrique Ganso passar a ser uma opção quase imediata. Por isso que a gente precisa desses jogadores do mesmo nível. Alguns vão ficar fora, mas quando tiverem oportunidade sei que estarão preparados para isso", destacou após a estreia no Campeonato Brasileiro 2021.

Sobre Nino, o supremo elogio: "Ele, para mim é, sem sombra de dúvidas, o melhor zagueiro do futebol brasileiro na atualidade", disparou.

Para finalizar, dois dos tantos garotos do Tricolor Carioca também foram valorizados pelo primeiro combate dado em cada peleja. "Precisa evoluir, e essa segurança que a gente teve no jogo se deu pelas características. Kayky e Luiz Henrique estão evoluindo, entraram mais atentos, vi eles roubando bolas defensivamente, pressionando alto... mas essa é uma das razões, sim, ter jogadores pelas beiradas que conseguem pressionar pelo corredor com mais agilidade e retomar a bola para atacar", finalizou o treinador.

VAVEL Logo