Em duelo de invictos, Brasil tenta quebrar tabu de 36 anos diante do Paraguai
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Em meio a uma crise nos bastidores que incluiu o afastamento do presidente da CBF, Rogério Caboclo, por uma denúncia por abuso sexual e moral contra uma funcionária, a seleção brasileira volta a campo nesta terça-feira (8) para concluir a participação na Data Fifa com o confronto diante do Paraguai no Estádio Defensores del Chaco, em Assunção, pela oitava rodada das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo Catar 2022.

"Tenho muito respeito à seleção brasileira e a maneira de retribuir é fazer o melhor trabalho possível para que a seleção jogue bem e possa vencer, e é nisso que vou me ater", declarou o técnico Tite na véspera da partida, em coletiva realizada em Porto Alegre, local da vitória sobre o Equador na última sexta-feira (4).

Neste jogo haverá um reencontro entre a comissão técnica liderada por Tite e o zagueiro Balbuena e o atacante Ángel Romero, que trabalharam juntos no Corinthians em 2016, antes do treinador assumir a seleção. "O Paraguai é uma equipe que desgasta muito na marcação, tem uma defesa muito bem organizada, meio-campistas de movimentação e bom passe, e boa qualidade ofensiva com o Almirón e Romero. Sabemos da importância que tem um resultado positivo lá até para nos deixar mais próximos da Copa do Mundo", analisou o auxiliar Cléber Xavier.

A última vitória da seleção brasileira no Paraguai foi em 1985, por 2 a 0, quando Zico e Casagrande marcaram os gols. Desde então foram quatro confrontos, sendo duas vitórias e dois empates, o último sem gols na Copa América de 2019, já na Era Tite.

"Há um grau de dificuldade muito grande pela qualidade da equipe do Paraguai, ainda mais jogando em casa. Temos um grupo de atletas do mais alto nível, a utilização de um ou outro vai depender das estratégias, do momento de cada um, do histórico dentro da Seleção... Isso acaba gerando muita possibilidade de uso, sempre no mais alto nível", acrescentou Tite.

Quem vai jogar?

Apesar da vitória na estreia, o time pode sofrer mudanças em relação ao Paraguai. Ao contrário da última semana, Tite preferiu manter o mistério, disse que tem um plano A e um plano B e que os jogadores estão adaptados a ambos. Nas imagens divulgadas do último treino antes do jogo contra o Paraguai, o técnico distribuiu coletes a alguns jogadores mas não foi possível identificar a escalação.

A tendência é que a defesa permaneça a mesma - uma alternativa poderia ser a volta de Renan Lodi, titular nas quatro primeiras rodadas das Eliminatórias. No entanto, as principais novidades podem ser no meio de campo, com a volta de Douglas Luiz, que cumpriu suspensão contra o Equador, e no ataque, onde Gabriel Jesus é o principal candidato a ganhar oportunidade.

"O Gabriel Barbosa te dá uma flutuação e infiltração de espaço para finalização. O Gabriel Jesus produziu muito pelo lado, foi um dos destaques nossos na Copa América. Ele ataca o espaço com muita força, o Richarlison também dá isso. O Firmino é um 9 que exerce o papel de 10, juntamente com o Neymar. Esses jogadores vão te dando essas possibilidades de utilização dentro de uma determinada forma", explicou Tite.

Provável escalação do Brasil: Alisson, Danilo, Marquinhos, Éder Militão e Alex Sandro (Renan Lodi); Douglas Luiz (Fred ou Firmino), Lucas Paquetá; Gabriel Jesus (Gabigol), Neymar e Richarlison.

Como chega o Paraguai

A história do Paraguai nas Eliminatórias inclui quatro empates em cinco jogos, o que coloca o país em 4º lugar na classificação. A única vitória aconteceu em 13 de outubro de 2020, diante da Venezuela fora de casa, com gol do volante Giménez. O time conseguiu inclusive evitar a derrota diante de potências sul-americanas como Argentina e Uruguai.

O comandante da Albirroja é o argentino Eduardo Berizzo, que está no cargo desde maio de 2019. Dentre os convocados estão nomes que atuam no futebol brasileiro, casos de Gatito Fernández, goleiro do Botafogo, os zagueiros Gustavo Gómez, do Palmeiras, e Junior Alonso, do Atlético-MG, e o meio-campista Piris da Motta, do Flamengo.

"Todos os jogadores estão à disposição, nos recuperamos bem de um dos jogos mais intensos das Eliminatórias. O aspecto defensivo é muito importante contra uma equipe com um poder de ataque tão notório e com qualidade individual como é o Brasil. Somos uma equipe com um ritmo muito alto e temos que nos portar da mesma maneira, uma postura equilibrada, com agressividade na retomada da posse de bola", declarou Berizzo.

Provável escalação do Paraguai: Antony Silva, Robert Rojas, Junior Alonso, Gustavo Gómez e Omar Alderete; Gastón Giménez, Villasanti e Ángel Cardozo e Arzamendia; Almirón e Angel Romero.

VAVEL Logo