No reencontro com a torcida, Flamengo joga bem e elimina Defensa y Justicia
(Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Na noite dessa quarta-feira (21), no Mané Garrincha, em Brasília, o Flamengo voltou a jogar bem, dessa vez diante de quase 6 mil torcedores, depois de 497 dias sem jogar diante do público. O Rubro-Negro foi superior durante grande parte do jogo, sofreu por um curto momento, mas terminou a noite goleando o Defensa y Justicia por 4 a 1, se classificando para as quartas de final da Copa Libertadores.

  • Flamengo abre o placar cedo, perde chances claras, e leva o castigo após falha de Diego Alves

Mesmo com a vantagem após vencer na Argentina, o Rubro-Negro começou com tudo a partida na capital federal. Bruno Henrique, retornando de lesão estava bastante inspirado, e aterrorizou o lado direito da equipe visitante, voltando a demonstrar a sua já conhecida alta velocidade nas arrancadas. 

Aos 9, Everton Ribeiro cobrou escanteio na medida para Rodrigo Caio, outro que voltou após se lesionar, mandar uma bomba de cabeça, vencer Unsain, Fla 1 a 0. Logo depois, o camisa 27 seguiu fazendo o que queria contra a defesa do Defensa, inclusive gerando cartão para o zagueiro Frías. Aos 15, Gabigol levou pela direita e inverteu para Bruno que, sem ângulo, conseguiu tirar do goleiro, mas acertou a trave.

Após lance que começou com chapéu no meio campo, Gabigol entrou na área para finalizar de cabeça e forçar uma grande defesa de Unsain. Aos 21, Arrascaeta achou o camisa 9 com um passe cheio de estilo, o atacante lutou por espaço contra Paredes, caiu na área, mas Roberto Tobar mandou a partida seguir. No minuto seguinte, Beccacece reforçou o lado direito defensivo, colocando Tripichio. Aos 24, Arrascaeta cobrou falta na lateral da área e mandou no travessão, após o goleiro do Defensa desviar com a ponta dos dedos.

Aos poucos, o time argentino ia conseguindo anular as descidas de Bruno, mas pouco conseguia fazer com a bola no pé. Aos 29, nova falta cobrada pelo meia uruguaio do Flamengo, e Gustavo Henrique tocou, na pequena área, tirando tinta da trave. Quando a partida se encaminhava para o intervalo com a sensação de que o time brasileiro poderia ter aumentado a vantagem, Diego rolou para Diego Alves se livrar da bola, mas o goleiro parou em Loaiza, que esticou a perna e fez o gol de empate dos visitantes, aos 39 minutos: 1 a 1.

O Defensa passava a precisar de apenas um gol para se classificar e novamente fazer a festa em Brasília, e o Flamengo sentiu o baque, mas conseguiu segurar o empate até o intervalo, deixando um clima de apreensão entre os torcedores rubro-negros.

  • Renato tem noite iluminada, Vitinho e Michael brilham e Rubro-Negro avança na Libertadores 

Sem mudanças, as duas equipes voltaram do intervalo com o mesmo panorama dos últimos minutos da primeira etapa, e o Flamengo dava sinais de nervosismo, com dois cartões em 10 minutos. Novamente na bola parada, Gustavo Henrique subiu bem e quase marcou o segundo em falha de Unsain, que se recuperou a tempo e fez a defesa em dois tempos. 

Enquanto as equipes trocavam as posses em um jogo meio morno, Renato Gaúcho fez a primeira mudança aos 18 minutos, colocando Michael no lugar de Everton Ribeiro. Foi a primeira estrela do treinador na noite pois, aos 20, o camisa 19 emendou um sem-pulo fantástico na área, a bola explodiu no travessão e sobrou para Arrascaeta, que voou para mandar de cabeça no fundo do gol e aliviar a tensão dos torcedores no Mané Garrincha, 2 a 1.

Voltando a precisar de dois gols, Beccacece tentou as últimas cartadas para manter o Defensa y Justicia vivo na partida, mas além de Michael estar em uma noite inspirada, Renato mostrou que ainda tinha carta na manga, lançando Vitinho aos 35. Dois minutos depois, o camisa 11 recebeu de Arrascaeta, cortou para o meio e chutou de canhota, sem chances para Unsain, praticamente definindo a eliminatória: Fla 3 a 1.

Aos 42, com o Defensa todo no ataque, o Flamengo teve o contra-ataque ainda mais a disposição e quase aproveitou em ótima jogada de Michael, que terminou com a finalização passando perto do travessão. Nos acréscimos, o time argentino quase diminuiu novamente com chute de Merentiel, mas dessa vez Diego Alves apareceu bem e espalmou.

Aos 49, no último lance, saiu um contra-ataque de almanaque do time brasileiro: Arão lançou na medida para Michael, que tocou para Gabigol na área, o camisa 9 deu de calcanhar para Vitinho, que fintou a marcação e bateu no contrapé do goleiro, marcando um belo gol para encerrar a noite rubro-negra em Brasília, 4 a 1.

  • Próxima partida

O duelo de ida das quartas de final, contra Internacional ou Olímpia-PAR, será apenas no dia 11 de agosto. Antes disso, nesse domingo (25), às 16h, o Rubro-Negro enfrentará o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro, no Maracanã.

VAVEL Logo