Com boas atuações, brasileiros largam com vantagem nas semifinais da Copa Sul-Americana

O futebol brasileiro emplacou dois semifinalistas na Copa Sul-Americana 2021. E é justo dizer que, após os jogos de ida, ambos praticamente se garantiram na decisão da competição. Tanto Red Bull quando Athletico venceram os adversários e, graças ao gol fora de casa como critério de desempate, estão muito próximos da decisão.

A final da competição acontecerá no Centenário, em Montevideo. A peleja está marcada para o dia 20 de novembro.

Dando asas

É bem verdade que o Libertad, no 4-1-4-1 de Daniel Garnero, teve pouco mais de posse de bola - 51%. Mas as ações ofensivas foram inteiramente dominadas pelo Red Bull, jogando no 4-3-3 de Mauricio Barbieri, na última quarta-feira (22), no Nabi Abi Chedid: nove finalizações totais, contra nove dos adversários; quatro delas certas, ante apenas uma dos gumarelos. 

Aos 29 minutos, Artur cruzou da ponta direita e Ytalo cabeceou no canto esquerdo. Com cinco da segunda etapa, Artur cobrou pênalti no canto esquerdo e alto de Martín Silva para dobrar a vantagem do Toro Loko. Aos 49, Luan Cândido chegou a marcar o terceiro, mas o tento foi anulado por impedimento.

Após a peleja, em entrevista coletiva, Barbieri, além de destacar o fato de não ter sofrido gols em casa, valorizou a peleja da equipe bragantina. "A equipe foi bastante disciplinada, organizada, soube anular as principais armas do adversário ofensivamente, soube ter paciência para encontrar os espaços e ser efetivo nas oportunidades. Acho que fizemos um grande jogo. É uma equipe muito aguerrida também", pontuou o técnico do Massa Bruta.

Qualquer vitória, empate ou derrota por apenas um gol de diferença classifica o clube do interior de São Paulo. Caso o Libertad vença por 2 a 0, a decisão vai para os pênaltis; derrota com ao menos um gol dos brasileiros por dois tentos de diferença também leva o Red Bull para a próxima fase. Os paraguaios avançam no tempo normal apenas com vitória por três ou mais gols de diferença.

Rumo ao bicampeonato

Em pleno Campeón del Siglo, o Athletico, no 3-4-2-1 de Paulo Autuori, foi reativo e teve estatísticas inferiores ao Peñarol, no 4-1-4-1 de Mauricio Larriera: 60% de posse de bola, dezessete finalizações totais ao gol (contra sete atleticanas) e sete certas, ante cinco dos brasileiros. Sem problemas: na quinta-feira, (23), os paranaenses venceram por 2 a 1 e, praticamente, se garantiram na decisão da Copa Sul-Americana

Logo aos dois minutos de jogo, Guilherme Bissoli cruzou da direita e David Terans virou uma bicicleta de tirar o fôlego para inaugurar o placar. O empate veio vinte minutos depois: Facundo Torres cruzou da esquerda e Agustin Alvarez finalizou alto. Aos trinta minutos da segunda etapa, aproveitando bate rebate na área, Pedro Rocha deu números finais ao cotejo.

Auxiliar técnico fixo do CAP, Bruno Lazaroni frisou que a equipe ainda não está classificada. "Ambiente difícil, arbitragem complicada para o nosso lado. Temos uma equipe madura. Eliminatória em aberto. Mesmo após sofrer o empate, nunca perdemos o equilíbrio. Um grande resultado. É uma vantagem, mas não é definitiva", pontuou.

Para avançar direto na fase final, o Manya precisa vencer os paranaenses por um ou mais gols de diferença a partir do 3 a 2 - o 2 a 1 para os uruguaios leva a decisão para os pênaltis. Qualquer outro resultado classificar o Furacão.

VAVEL Logo