Capitão do São Paulo-RS, Emílio repudia agressão de companheiro a árbitro: "Deplorável"
Foto: divulgação/Assessoria

Na partida entre São Paulo-RS e Guarani-RS, aconteceu algo não muito comum em um campo de futebol: William Ribeiro, do São Paulo, agrediu o árbitro Rodrigo Crivellaro Dias da Costa após descontentamento com a atuação do mesmo. Rodrigo precisou ser hospitalizado por conta da agressão fortíssima. 

O capitão do São Paulo no momento do ocorrido, o zagueiro Emílio, condena a atitude do companheiro e faz valer que nada justifica a agressão.

"Não somos coniventes com esse tipo de atitude. É inadmissível a violência, sabemos que a arbitragem erra, como nós jogadores também erramos. Reclamar é normal, assim como ficar descontente, mas não somos a favor com a violência, a raiva não pode chegar a esse ponto. É uma atitude deplorável.”

O capitão que iniciou o jogo, o volante Fernando Urnau, precisou sair e Emílio herdou a braçadeira na sequência da partida e, consequentemente, era a liderança em campo na hora da agressão, o zagueiro fala que ficou aterrorizado na hora, mas que a primeira coisa que passou em sua cabeça foi acalmar os ânimos e checar a situação do árbitro.

"Nunca passei por essa situação, fiquei aterrorizado na hora, mas imediatamente tentei acalmar os ânimos de quem estava por lá e ver como o árbitro estava. Ele caiu de uma forma preocupante. Felizmente, parece não ser nada muito grave, dadas as circunstâncias, mas é algo que a gente precisa ter frieza para não incendiar ainda mais o ambiente.”

O jogo, válido pela 12ª rodada da fase classificatória da Divisão de Acesso, equivalente a segunda divisão do Gauchão, foi interrompido aos 19 minutos do segundo tempo. A equipe de arbitragem resolveu pausar a partida e retomá-la na terça (5), ainda em horário incerto, mas especula-se que seja às 11 da manhã. Emílio fala em tentar focar no jogo e passa mensagem para a torcida:

"Vamos jogar, com foco total e em busca da vitória. Passo a mensagem para os torcedores, informando que esse tipo de conduta não faz parte da linha de atitudes do nosso grupo de atletas. A busca é total pelo acesso e vamos lutar até o fim com isso, dentro das regras.”

VAVEL Logo