Palmeiras luta, mas Chelsea vence na prorrogação e conquista Mundial de Clubes
Foto: Divulgação/Chelsea FC

Na tarde deste sábado (12),  em Abu Dhabi, o Chelsea superou o Palmeiras pelo placar de 2 a 1, e levantou pela primeira vez em sua história o título do Mundial de Clubes. Lukaku e Havertz marcaram para os Blues, e Raphael Veiga descontou para o Alviverde.

Primeiro tempo equilibrado

A primeira etapa foi bem equilibrada, com as duas equipes se estudando muito. Nos minutos iniciais, o Palmeiras foi quem der as cartas, e finalizou com perigo logo aos três minutos, com Danilo. O Chelsea, por sua vez, buscava rodar a bola, mas mostrava dificuldades em penetrar o forte sistema defensivo de Abel Ferreira.

A melhor oportunidade foi do Verdão, quando Dudu, aos 26 minutos, recebeu boa bola na esquerda, mas se desequilibrou e chutou mal. Aos 43, foi a vez de Zé Rafael receber outra "bola do jogo", mas o meio-campista tentou um passe de três dedos para Rony e acabou sendo interceptado. O Chelsea só chegou com perigo nos minutos finais, numa finalização de fora da área de Thiago Silva que Weverton buscou.

Segundo tempo de gols

A segunda etapa já foi mais movimentada. O Chelsea abriu o placar logo aos 9 minutos, após cruzamento de Hudson-Odoi na cabeça de Lukaku, que aproveitou sua estatura para superar a defesa e cabecear firme, sem chances para Weverton.

Com o gol, se esperava um Palmeiras atacando e cedendo oportunidades, mas antes que esse cenário viesse acontecer, Thiago Silva cometeu um pênalti e Raphael Veiga colocou o Palmeiras de volta no jogo.

Os Blues sentiram o gol, e o Palmeiras melhorou no jogo, criando oportunidades para virar o marcador ao seu favor. Apesar do jogo de xadrez dos técnicos, realizando substituições, o empate persistiu no placar e a partida foi para a prorrogação.

Prorrogação coloca fim ao sonho Alviverde

O Palmeiras pareceu querer a disputa de pênaltis, enquanto o Chelsea mostrava querer resolver com a bola rolando, mas não conseguia criar jogadas perigosas. A partida estava, de fato, parecendo que iria terminar empatada. Mas, já nos minutos finais, Luan colocou a mão na bola e o árbitro, após consulta no VAR, assinalou pênalti para os Blues. Havertz converteu e colocou fim ao sonho Alviverde.

Cabeça fria, coração quente

Apesar da derrota, Abel se mostrou, mais uma vez, um treinador diferente. O português conseguiu, por diversos momentos do jogo, anular uma equipe com peças superiores à suas. Em diversos momentos da partida, quem armava o jogo para o Chelsea era o zagueiro Rüdiger, já que os meio-campistas estavam completamente anulados. Lukaku, apesar do gol, foi outro que sofreu com a forte marcação do Palmeiras.

Nem o Palmeiras e nem Abel saíram vitoriosos do Catar, mas conseguiram mostrar que existe sim competitividade entre América do Sul e Europa.

VAVEL Logo