Após derrota no clássico, Mohamed disse: "Não podemos dar 30 minutos de presente"
Foto: Pedro Souza/Atlético

Neste sábado (7), o Atlético-MG perdeu o clássico mineiro para o América-MG por 2 a 1, pelo Campeonato Brasileiro,, três dias após ter vencido o mesmo rival na Libertadores. Diferente daquele jogo, o clube não teve tanto foco nos primeiros minutos e em um vacilo acabou cometendo um pênalti bobo e consequentemente sofrendo o gol. O Galo se recuperou, criou, mas conseguiu balançar as redes, mas irregular.

Já na segunda etapa, inúmeras situações foram geradas e Nacho empatou. Apesar disso, do alto volume de jogo e das novas grandes chances criadas, que poderiam ter virado a partida, sofreram um contra-ataque em seu melhor momento do jogo e tomaram o segundo. A falta de atenção e de efetividade no ataque, levou inúmeros problemas para a defesa.  No final, o rival quase ampliou num contra-ataque em vantagem numérica, mas acabou não acontecendo.

Com os resultados negativos aumentando, as duras críticas vem cercando o treinador argentino, sobre o time ser o atual campeão nacional e estar numa sequência de resultados ruins, como os dois empates e esta derrota. Tony Mohamed afirmou que a equipe entrou meio desligada e que isso não pode acontecer.

"Eles começaram nos pressionando e estávamos preparados para isso. Tivemos vinte e cinco minutos de dúvida, perdemos muitas bolas perto do nosso gol e isso contra um time que tem muitas finalizações. Nós não podemos dar de presente trinta minutos, que isso sirva de aprendizagem."

Bastante questionado sobre a saída de bola errada num primeiro momento, e também, num segundo momento, no qual acabou ocasionando o pênalti, o treinador foi direto ao ponto. Além disto, o treinador ainda comentou sobre os próximos passos, após a derrota.

"Entramos um pouco desconcentrados e isso não pode acontecer em uma equipe que quer ser vencedora. Volto a repetir, o mais importante é como vamos nos levantar. Fazia muito tempo que não perdíamos como mandante e agora é pensar passo a passo, com muita humildade, saber o que deixamos de fazer e só assim, a equipe volta a ser forte. Se todos assumirmos o que deixamos de fazer, em algum momento, a equipe volta a mostrar a sua força."

A defesa do Galo vem sendo bastante vazada nos últimos jogos e o ataque vem perdendo muitas oportunidades. Ainda sobre isso, chegou a ser questionado sobre o que poderia fazer para corrigir tais erros. Tony puxou a responsabilidade para si, mas deixou um mistério.

"Sim, mas eu não vou falar publicamente dos problemas que podemos ter. A questão é que, quando a equipe não funciona a responsabilidade é minha. A solução nós temos que dar quando jogamos a próxima partida. Temos que demonstrar a solidez que tínhamos antes, mas foi uma partida ruim. Isto tem que ser um despertador para todos nós voltarmos a fazer uma grande temporada."

No meio da semana (11), o Galo enfrenta o RB Bragantino no interior de São Paulo, em partida antecipada da sétima rodada do Brasileirão, às 20h30.

VAVEL Logo