Murat Yakin cita falta de profundidade e menciona preparação mental para Suíça avançar ao mata-mata
Foto: Divulgação/SFV

A Suíça não conseguiu repetir o feito de atrapalhar grandes seleções e mesmo assim deu trabalho para o Brasil. Por pouco não saiu com um empate. Esse pouco foi o suficiente para Casemiro acertar um lindo chute, indefensável para Sommer, garantindo o triunfo verde e amarelo, no estádio 974, pela segunda rodada do grupo G.

Brasil sofre, mas vence Suíça com gol de Casemiro e carimba vaga às oitavas da Copa do Mundo

Murat Yakin salientou que a Squadra Nazionale teve os seus momentos. Porém, a falta de coragem atrapalhou a forma de jogar com mais profundidade.

"Tivemos bons momentos. Talvez com melhor cruzamento poderíamos ter um resultado diferente, poderíamos ter um jogo com maior profundidade, foi aí que nos faltou coragem”.

O técnico relembrou a evolução da seleção suíça, que chegou a eliminar a atual campeã França na Euro de 2020 e quase tirou a Espanha, além de garantir a primeira colocação nas eliminatórias do Mundial, colocando a Itália na repescagem. 

"Podemos ver o desenvolvimento da nossa equipe, que começa a ganhar mais experiência neste tipo de torneio, fomos competitivos e já pudemos demonstrar isso. Estaremos mentalmente preparados para passar para a próxima rodada".

Apesar do tropeço, a Suíça ainda ocupa o segundo lugar, somando três pontos. Na última rodada na fase de grupos, a  Squadra Nazionale fará o jogo decisivo contra a Sérvia, às 16h (de Brasília), e tem a vantagem do empate para ir às oitavas de final da Copa do Mundo.

"Considero que estamos bem preparados, o que é necessário para que tenhamos força para jogar. Temos que nos concentrar no futebol, será um jogo decisivo, todo o resto não importa”.

VAVEL Logo