CRB é mais eficaz que CSA e sai com boa vantagem no Alagoano

Azulão perdeu boas oportunidades nos primeiros 50 minutos de jogo e viu Regatas ser preciso nas finalizações e sair com a vitória; Galo pode perder por um gol de diferença que conquista o bicampeonato na próxima semana

CRB é mais eficaz que CSA e sai com boa vantagem no Alagoano
(Foto: Douglas Silva/CRB)
CRB
2 0
CSA
CRB: Juliano; Jonathan Bocão, Diego Jussani, Audálio e Diego; Somália, Olívio (Rafinha – 27’/2ºT), Rivaldo e Marcos Aurélio (Dakson – 13’/2ºT); Luidy e Lúcio Maranhão (Neto Baiano – 35’/2ºT). Técnico: Mazola Júnior.
CSA: Jeferson Gomes; Henrique Choco, Leandro Souza, Douglas Marques e Rafinha; Jean Cléber, Didira (Hudson – 30’/2ºT), Cleyton (Bismarck – 18’/2ºT) e João Paulo Penha (Kahuan – 38’/2ºT); Luís Soares e Rafael Oliveira. Técnico: Oliveira Canindé.
Placar: 1-0, Diego, 10'/2ºT. 2-0, Neto Baiano, 37'/2ºT.
ÁRBITRO: Wilton Pereira Sampaio (FIFA/GO), auxiliado por Fabrício Vilarinho da Silva (FIFA/GO) e Tatiane dos Santos Camargo (FIFA/SP) | Cartões amarelos: Audálio (CRB - 36'/1ºT), Luís Soares (CSA - 36'/1ºT), Olívio (CRB - 04'/2ºT), Rafinha (CSA - 34'/2ºT), Leandro Souza (CSA - 34'/2ºT) e Dakson (CRB - 38'/2ºT).
INCIDENCIAS: Partida realizada no Estádio Rei Pelé, em Maceió/AL, na tarde deste domingo (1º). Jogo válido pela final do Campeonato Alagoano 2016.

O CRB ainda não tinha vencido nenhum Clássico das Multidões em 2016. Nos três confrontos anteriores, duas vitórias do CSA e um empate. Na tarde deste domingo (1º), porém, o Galo voltou a vencer o arquirrival e conseguiu uma boa vantagem. No primeiro duelo da final do Campeonato Alagoano, os alvirrubros venceram por 2 a 0. Os gols foram marcados por Diego e Neto Baiano, ambos no segundo tempo.

Com o resultado, o Galo pode perder por um gol de diferença que conquista o bicampeonato alagoano. Para encerrar o jejum de oito anos sem conquistas estaduais, o Azulão precisa devolver o resultado para levar a disputa à prorrogação ou vencer por três gols de vantagem para faturar o título nos 90 minutos restantes. O segundo e decisivo confronto será realizado às 16 horas do próximo domingo (08), novamente no Estádio Rei Pelé, em Maceió.

CSA perde boas oportunidades em primeiro tempo equilibrado

O primeiro tempo começou eletrizante. Os times adotaram a postura ofensiva, se movimentaram e buscavam chegar à meta adversária. Os sistemas defensivos, porém, conseguiam evitar as finalizações. A primeira boa oportunidade de jogo veio aos três minutos, quando Luís Soares foi acionado na direita, avançou e chutou para fora. Aos 13, outra boa chance desperdiçada. Cleyton foi acionado em velocidade e rolou para a área. Sozinho, Luís Soares se antecipou a Rafael Oliveira e desviou de carrinho para fora.

O CRB tentava tocar a bola, mas a marcação do CSA levava a melhor na disputa. Quando o Azulão atacava, a defesa regatiana dava espaços, o que deixava o time marujo muito de perto de balançar as redes. Aos 31 minutos, outro bom ataque azul. Rafinha cruza para Luís Soares. Sozinho na área, o vice-artilheiro do Campeonato Alagoano desviou de cabeça e a bola foi por cima da meta defendida por Juliano.

Aos 39, o Azulão voltou a levar perigo em um chute despretensioso. Bem marcado, Rafael Oliveira arriscou da intermediária. A bola fez curva e acertou o travessão. O CRB teve a primeira chance de perigo aos 45 minutos, quando Jonathan Bocão cruzou do lado direito e Marcos Aurélio não conseguiu aproveitar o lance.

CRB aproveita espaços defensivos e vence clássico

O segundo tempo parecia indicar mais movimentação do CSA no ataque. Diferente da primeira etapa, quando o time marujo finalizou, mas não teve criação de jogadas e nem trabalhou bons lances, a equipe começou a levar perigo em jogadas trabalhadas e deixar o Regatas acuado em seu sistema defensivo. Aos dois minutos, em jogada ensaiada na cobrança de falta executada por João Paulo Penha, Rafinha avançou sozinho na linha de fundo e levantou bola na área. Dentro da pequena área, Leandro Souza não foi feliz no cabeceio e a bola foi para fora. Aos oito, Luís Soares deu belo drible em Olívio e cruzou. Sozinho, Cleyton não aproveitou.

Esse foi o último lance do CSA no ataque. A partir desse instante, o CRB controlou o jogo e foi feliz nas finalizações. Aos 10 minutos, Douglas Marques tentou afastar a bola e Leandro Souza escorregou. A bola ficou com Lúcio Maranhão na intermediária. O artilheiro do Campeonato Alagoano rolou para Diego. O lateral recebeu na esquerda e bateu no canto do goleiro Jeferson. Festa alvirrubra no Rei Pelé.

O gol mudou o panorama da partida. O CSA sentiu o golpe e não conseguiu produzir jogadas. O time caiu de rendimento com a desvantagem. Coube ao CRB administrar o resultado, aumentar a marcação e impedir os ataques azulinos. Quando o Azulão chegava nos lances de bola parada, a defesa do Galo afastava o perigo. Os mandantes do clássico tinham o contra-ataque nas mãos, e souberam usar muito bem o artifício para aumentar a vantagem na decisão.

Aos 37 minutos, no primeiro toque na bola, a defesa do CSA cometeu um erro absurdo. Dakson passou pela marcação e viu Neto Baiano completamente isolado no lado esquerdo. O centroavante só teve o trabalho de dominar a bola e dar um preciso e categórico toque por cima de Jeferson para garantir a vitória do CRB e dar números finais aos primeiros 90 minutos da decisão do Campeonato Alagoano 2016.