Portuguesa e Vitória fazem jogo fraco e não saem do zero no Canindé

Equipes criam muito pouco ao longo dos 90 minutos e frustam o baixo público presente ao estádio

0
0
0: Portuguesa: Luis Carlos; Digão (Caique, min. 83), Talis e Cesinha; Ferdinando, Boquita, Diego Gonçalves (Marcelo Labarthe, min. 73) e Gustavo Tocantins; Caio Cezar e Bruno Mineiro (Bruno Nunes, min. 80). Técnico: Anderson Beraldo
0: Vitória:Wallace; Zé Welison, Victor Ramos, Ramon e Diego Renan; Amaral, Marcelo e Tiago Real (Flávio, min. 80); Vander (David, min. 65), Alípio (Willian Henrique, min. 65) e Kieza. Técnico: Wagner Mancini
ÁRBITRO: Árbitro: Devarly Lira do Rosário (ES) Assistentes: Andrea Izaura Maffra Marcelino de Sá (RJ) e Thiago Rosa de Oliveira (RJ) Cartões Amarelos: Portuguesa: Bruno Mineiro (min. 37), Caique (min. 91) e Ferdinando (min. 93) Vitória: Vander (min. 41) e José Wellison (min. 77)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 2ª fase da Copa do Brasil 2016

Nessa quarta (11) o Canindé foi palco de duelo pela segunda fase da Copa do Brasil 2016 entre Portuguesa e Vitória. E em uma partida muito disputada e em grande parte equilibrada, o zero não saiu do placar. E como já dito a partida não foi necessariamente primorosa tecnicamente mas teve seus momentos com os goleiros evitando os possíveis tentos no duelo.

Com o resultado a Portuguesa se classifica com um empate com gols jogando no Barradão na semana que vem, já o Vitória assim como a Lusa depende de uma vitória simples para chegar a próxima fase.

Os times voltam a campo por esse confronto na semana que vem, na quinta (19) às 19h30 no estádio do Barradão, em Salvador para assim definir qual dos conjuntos irá para a terceira fase do torneio.

Jogo se inicia equilibrado e com chances pros dois times

Logo com três minutos o time da casa teve boa chance em cruzamento na área e a bola sobrou para Bruno Mineiro que fintou Victor Ramos e a bola saiu no cantinho da meta defendida por Wallace, o Vitória veio a responder com Vander que recebeu bom passe após combinação entre Diego Renan e Alípio que mandou pro atacante que mandou na rede pelo lado de fora.

Aos 24 minutos nova chance dos visitantes que contou com Tiago Real tocando pra Diego Renan que mandou pro meio, onde estava o defensor Talis que afastou a bola para a linha de fundo. Depois disso ouveram muitas dificuldades para criação de jogadas e o jogo teve pouca fluência no jogo.

Com 43 minutos Guilherme cabeceou para o gol após bom cruzamento e obrigou Wallace a fazer boa intervenção para evitar o tento. E assim terminou o primeiro tempo com o placar inalterado e com poucas oportunidades de marcar.

Segunda etapa é bem morna e de poucas chances

Após o intervalo se enganou quem imaginava que o emparelhamento fosse ganhar mais em emoção e a primeira chance só foi aparecer aos 14 minutos em cobrança de escanteio com Talis que subiu pra cabecear e forçou Wallace que fez boa defesa. O jogo só voltou a ter uma chance de real perigo quando o Vitória em boa jogada de Diego Renan que fez bom drible e tocou pra Tiago Real que abteu pra boa defesa de Luis Carlos.

Depois disso aos 34 minutos novamente Diego Renan em boa subida pela esquerda e fez um cruzamento a feição para Kieza que mandou ao lado da meta lusitanta, desperdiçando boa chance de abrir o placar. Aos 42 minutos do segundo tempo Diego Renan novamente tentou e dessa vez arriscou de longe e obrigou a Lusi Carlos há no reflexo defender a bola.

Na reta final ainda houveram oportunidades para os visitantes e aos 45 minutos, Willian Henrique em subida pela esquerda e bateu pra boa defesa de Luis Carlos. Com 47 no relógio, Diego Renan cobrou falta e a bola ainda bateu na ponta da trave e saiu pela linha de fundo. Depois disso muita disposição e poucas chances para marcar e o placar permaneceu em 0 a 0.