Vivendo momentos diferentes, Atlético-GO e Vila Nova fazem clássico goiano pela Série B

Dragão está 100% na competição e assim quer se manter; Tigrão busca a reabilitação, após duas derrotas seguidas

Vivendo momentos diferentes, Atlético-GO e Vila Nova fazem clássico goiano pela Série B
Foto: Divulgação/Atlético-GO
Atlético-GO
Vila Nova
Atlético-GO: Klever; Matheus Ribeiro, Marllon, Lino, Romário; Pedro Bambu, Michel, Magno, Gilsinho; Alison, Júnior Viçosa. Técnico: Marcelo Cabo.
Vila Nova: Edson; Jefferson Feijão, Vinícius Simon, Anderson, Marcelo Cordeiro; Magno Silva, Robston, Rafinha, Fabinho; Roger, Vandinho. Técnico: Roberto Mancini.
ÁRBITRO: Rodrigo Batista Raposo (DF). Auxiliares: Márcio Soares Maciel (GO) e Tiago Gomes da Silva (GO).
INCIDENCIAS: Partida válida pela quarta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, realizada no Estádio Serra Dourada, em Goiânia/GO.

Tem clássico na quarta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016. Atlético-GO e Vila Nova se enfrentam neste sábado (28), às 16h, no estádio Serra Dourada em Goiânia/GO. A partida marca o encontro de dois rivais do mesmo Estado que vivem momentos diferentes no campeonato. 

100% na competição, com três vitórias em três jogos, o Atlético é vice-líder e tem os mesmos nove pontos do líder Vasco, mas perde no saldo de gols. Já o Vila ocupa a 14ª posição, com três pontos e apenas uma vitória em três partidas, sendo esta na estreia contra o Bragantino.

Dragão voando e com a confiança lá em cima

Vindo de uma vitória fora de casa contra o Ceará, o Atlético-GO chega com moral para o clássico deste sábado. O técnico Marcelo Cabo não definiu qual equipe iniciará a partida, mas certamente nela estará o zagueiro Marllon, que foi titular nos três primeiros jogos e é um dos destaques do atual elenco do Dragão. Ciente das dificuldades de um clássico, o atleta ainda elogiou os companheiros de ataque, que também ajudam na marcação.

“Nós estamos felizes com o rendimento do time com um todo. O fato de não termos levado nenhum gol também faz parte do trabalho dos jogadores do ataque, que começam a defender desde o início. O Vila Nova vem de duas derrotas, mas está jogando muito bem. Eu acompanhei alguns jogos e sei da dificuldade do clássico”, disse Marllon.

Sem Luiz Fernando, expulso por tirar a camisa após marcar o gol da vitória contra o Ceará, Marcelo Cabo não tem demais problemas para montar sua equipe titular. O treinador confia que o time pode brigar lá em cima durante o campeonato. "Acreditamos, sim. Sonhar sempre é possível. Coloquei na cabeça dos jogadores que precisamos sonhar e acreditar que é possível. Falei que poderíamos brigar na parte de cima da tabela e está acontecendo. Mas pés no chão. Ainda tem 35 rodadas. A competição de pontos corridos é traiçoeira. Se você não estiver bem, despenca na tabela.", comentou.

Oscilante no começo da Série B, Tigrão quer se reabilitar contra rival

Após o começo animador, vencendo o Bragantino na primeira rodada, as derrotas contra Náutico no Recife e Vasco da Gama no Serra serviram para mostrar que um campeonato de pontos corridos se ganha ou se perde através da regularidade. Este é o caminho que o Vila quer percorrer do clássico em diante. Ciente do começo irregular do Tigrão no campeonato, o lateral Marcelo Cordeiro sabe da existência da pressão por bons resultados, mas confia na experiência de grande parte do elenco para superar o momento complicado.

“A pressão no futebol é normal, e a maior pressão é intrínseca, aquela que vem de dentro da gente, para a gente querer buscar um bom resultado e querer ter uma vitória. Começamos muito bem, o que deixou todo mundo muito empolgado naquele jogo contra o  Bragantino. E no jogo contra o Náutico foi um jogo atípico, jogamos com um jogador a menos, e mesmo assim não deixamos de lutar, corremos o jogo todo, e o jogo do Vasco nossa equipe foi muito bem. Mas a gente tem que saber lidar com a pressão e nós temos jogadores experientes para poder ajudar os mais novos com isso”, declarou.

O técnico Rogério Mancini terá de lidar com o desfalque do meia Jean Carlos, uma das principais peças do time, que foi expulso na derrota para o Vasco. O comandante do Vila se mostrou preocupado com o emocional de seus comandados. "E preocupa agora a reação que os atletas vão ter. Não podemos nos abalar. A gente tem de ter consciência que tem uma boa equipe e que só está no começo do campeonato", declarou.