CSA administra vantagem, vence Parnahyba novamente e avança às oitavas da Série D

Azulão marca no começo da partida e joga com o regulamento a seu favor para continuar na competição nacional; adversário na próxima fase será o Altos-PI

CSA administra vantagem, vence Parnahyba novamente e avança às oitavas da Série D
(Foto: Emerson Júnior/Ascom CSA)
CSA
3 0
Parnahyba
CSA: Jeferson; Denílson, Leandro Souza, Douglas Marques e Rafinha; Panda, Éverton Heleno, Cleyton, Washington (Didira, min. 57) e Jeferson Maranhense (Bismarck, min. 64); Kattê (Azul, min. 45). Técnico: Oliveira Canindé.
Parnahyba: Fábio; Tiago Granja, Gilmar Bahia, Allan Rosário e Rian; Ramon, Cassiano (Denis, min. 59), Idelvando, Robério (Carlinhos, min. 70) e Augusto; Ricardo Codó (Puxinha, min. 59). Técnico: Fernando Tonet.
Placar: 1-0, Panda, min. 7. 2-0, Didira, min. 58. 3-0, Azul, min. 78.
ÁRBITRO: Caio Max Augusto Vieira (RN), auxiliado por Jean Márcio dos Santos (RN) e Vinícius Melo de Lima (RN) | Cartões amarelos: Robério (min. 62), Leandro Souza (min. 76) e Ramon (min. 81)
INCIDENCIAS: Partida válida pela segunda fase do Campeonato Brasileiro da Série D 2016, disputada na tarde deste domingo (31), no Estádio Rei Pelé, em Maceió/AL.

 

O CSA tinha a boa vantagem de até sofrer uma derrota simples para manter vivo o sonho do acesso à Série C em 2017. Ainda assim, não abusou do que o regulamento concedia ao clube azulino. No segundo confronto diante do Parnahyba, válido pela segunda fase do Campeonato Brasileiro da Série D, os alagoanos venceram novamente o Parnahyba por 3 a 0. O gols foram marcados por Panda, Didira e Azul, no duelo disputado no Estádio Rei Pelé.

Com o resultado, a equipe piauiense encerra as atividades na atual temporada e se organiza para a disputa do Estadual do ano que vem. O Azulão segue e garante vaga nas oitavas de final da Série D. O adversário será o Altos-PI. As equipes têm uma semana de folga e o primeiro confronto será realizado no domingo (14), novamente no Estádio Rei Pelé.

CSA marca no início e sofre pressão no primeiro tempo

O CSA tinha o regulamento a seu favor e podia ter muita tranquilidade para controlar o jogo. Com vantagem e diante da torcida, parecia ser fácil conseguir o resultado positivo quando quisesse. E a impressão nos 10 minutos iniciais ajudava nessa tese. Aos sete minutos, Rafinha cobrou falta na segunda trave e Panda subiu sozinho para abrir o marcador no Rei Pelé.

No entanto, a ampliação da vantagem não deu tranquilidade aos donos da casa. O Parnahyba continuava ofensivo e tentava atacar com perigo. O CSA reagiu mal à estratégia piauiense e não conseguia trocar passes, finalizar, impor seu mando de campo. Aos 12 minutos, Ricardo Codó cabeceou para baixo e Jeferson fez bela defesa. No rebote, o próprio atacante teve a chance de empatar, mas mandou para fora. Aos 19, Ricardo Codó bateu forte e assustou.

A administração do resultado positivo não deixava o CSA tranquilo e a insegurança chateava o torcedor. Aos 26 minutos, Cleyton arriscou de fora da área e o goleiro Fábio espalmou para escanteio. Na cobrança feita por Washington, a defesa não afastou e os alagoanos não foram efetivos. O Parnahyba voltou a ficar muito perto do empate aos 36. Mesmo sem ângulo, Augusto chutou e Jeferson fez grande defesa ao espalmar para escanteio. Mesmo diante de todo esse cenário difícil, o CSA terminou o primeiro tempo na frente.

CSA muda postura, sela vitória e classificação

O técnico Oliveira Canindé promoveu a entrada de Azul no lugar de Katê para ter a referência no ataque. O time tentava equilibrar o jogo e evitar a pressão do adversário. Após o meio de campo não render no começo da etapa complementar, o treinador azulino promoveu a reestreia de Didira. E o meia deu sorte. Aos 13 minutos, logo na primeira jogada, o jogador bateu de fora da área, o goleiro Fábio falhou e a bola entrou para a euforia da massa azulina.

O gol mudou o panorama do jogo. O Parnahyba sucumbiu à desvantagem e praticamente não atacou mais. Fragilizado, os piauienses entregaram os pontos e, enfim, o CSA pôde administrar o resultado como esperado. Aos 23 minutos, Didira deu passe para Azul. O atacante tirou do goleiro, mas a defesa adversária evitou o perigo. Por mais que o Parnahyba tentasse sair ao ataque, não tinha competência.

Com o poder na mão, o Azulão do Mutange controlou o jogo e selou a vitória que garantiu a classificação. Aos 33 minutos, Rafinha arriscou e o goleiro Fábio deu rebote. Azul ficou com a sobra, passou pelo goleiro do Parnahyba e marcou o terceiro gol do time marujo. Os donos da casa ainda tiveram chance de transformar a boa vitória em goleada. Aos 43 minutos, Azul fez bela jogada individual e acionou Bismarck, mas o meia desperdiçou a chance.