Com atuação de gala Leandro Camilo, Brasil de Pelotas vence Avaí com autoridade

Xavante não dá chances e define resultado antes dos vinte minutos de jogo

Com atuação de gala Leandro Camilo, Brasil de Pelotas vence Avaí com autoridade
Foto: Carlos Insaurriaga/GEB
Brasil
3 0
Avaí
Brasil: Martini, Weldinho, Camilo, Teco e Marlon; Leandro Leite, Washington (Nem), Felipe Garcia, Diogo Oliveira (Clébson) e Elias (Nathan); Ramon.
Avaí: Renan, Alemão, André Santos, Gabriel e Capa; Judson, Jajá, Rafinha (Romarinho), Diego Jardel (Vinícius); Romulo e William (Tatá).
Placar: 1-0, min. 5, Leandro Camilo. 2-0, min.15, Ramon. 3-0, min. 19, Leandro Camilo.
ÁRBITRO: Vinicius Gonçalves Dias Araújo, auxiliado por Daniel Paulo Ziolli e Gustavo Rodrigues de Oliveira.

Espetacular. Assim se pode descrever a atuação do Brasil na noite desta terça-feira (2). Jogando em casa contra o Avaí, os xavantes definiram o jogo na primeira etapa. Leandro Camilo, duas vezes, e Ramon marcaram os gols do Rubro-Negro.

Com a vitória, os comandados de Rogério Zimmermann vão a 30 pontos na tabela e se aproximam de vez do G-4. O Avaí estaciona nos 23 pontos.

Os próximos compromissos das duas equipes são só daqui a duas semanas, devido a pausa na Série B. O Brasil enfrenta o Paraná, em Curitiba, iniciando sua caminhada no returno da competição, enquanto o Leão da Ilha encara o Bahia em Florianópolis.

Avassalador, Brasil faz 3 a 0 antes dos vinte minutos de partida

Não deu nem para respirar. Com menos de 5 minutos de partida, Marlon bateu escanteio perfeito, na cabeça de Leandro Camilo. Cabeçada forte e sem chances para Renan. 1 a 0 Brasil, incendiando o Bento Freitas.

Buscando a recuperação na partida, o Avaí chegou perigosamente menos de 1 minuto após o gol Xavante. William recebeu de Romulo e ficou frente à frente com Martini. O capitão do Leão da Ilha porém, parou no camisa 1 do Rubro-negro.

O jogo em Pelotas era cheio de alternativas, com as duas equipes procurando o ataque. Elias teve chance em uma arrancada, mas foi parado por Gabriel. O Avaí tentava nos chutes de média distância, mas sem qualquer perigo a meta do Brasil.

Tantas alternativas, que os comandados de Rogério Zimmermann conseguiram o segundo tento antes dos 20 minutos de jogo. Diogo Oliveira fez bela jogada e deixou Ramon na boa. O 11 do Brasil limpou a marcação de Gabriel, e finalizou no canto esquerdo de Renan. Gol, e 2 a 0 a favor dos Rubro-negros.

O segundo gol pareceu ter abalado o time catarinense. Mas o Xavante não queria nada a ver com isso. Novo escanteio de Marlon, é novo gol de Camilo. 3 a 0 ao natural, com menos de metade da primeira etapa disputada.

Perplexos, os comandados de Silas não esboçavam reação. Até que Rafinha recebeu no bico da área e foi pra cima de Marlon. O lateral só conseguiu parar o ponta Avaiano com falta. Pênalti. Na cobrança, o capitão William tinha a chance de diminuir o placar, e, quem sabe, recolocar o Avaí no jogo. Ele só não contava com Martini. O goleiro do Brasil voou no seu canto esquerdo, e frustrou o plano dos catarinenses, mantendo o 3 a o.

O Brasil queria mais. Ramon partiu em velocidade contra a marcação de André Santos. O zagueirão não conseguiu acompanhar e cometeu a infração, levando cartão amarelo, o primeiro da partida.

Os minutos finais da primeira etapa foram menos movimentados. Apenas dois lances chamaram a atenção. Primeiro, a interessante jogada individual de Romulo. O 11 do Avaí passou por vários, mas concluiu por cima do gol. Novamente ele, Romulo, levou perigo ao Brasil. Após saída errada da zaga, o atacante da equipe de Florianópolis viu-se cara a cara com Eduardo Martini. A dois passos da pequena área, Romulo perdeu a chance e chutou por cima. Fim de primeiro tempo, com Xavante em vantagem muito confortável.

Xavante administra e mantém resultado

Nos primeiros minutos, os comandados de Rogério Zimmermann continuavam buscando o gol, chegando em cabeçada de Felipe Garcia e chute de Marlon.

O Avaí tentava diminuir o prejuízo, saindo mais, e tentando se utilizar da presença de William na frente. Com mais espaços, o Brasil também se utilizava de saídas em velocidade, com Diogo Oliveira e Elias, principalmente.

Em uma escapada dessas, Ramon cruzou e a bola chegou aos pés de Diogo Oliveira. O camisa 10 porém não conseguiu a conclusão a gol. Em outro contra-ataque, Elias chutou de fora da área e a bola passou perto da trave de Renan. O Brasil estava mais próximo do quarto do que o Leão da Ilha do primeiro.

E o quarto ficou no quase novamente. Weldinho cruzou na cabeça de Ramon. A finalização saiu à direita de Renan. Os catarinenses estavam completamente batidos em campo, sem nenhuma reação. Enquanto o Rubro-negro fazia uma apresentação de luxo, ainda com chances de ampliar o marcador. Clébson, de fora da área também, mandou um torpedo, mas ele não encontrou as redes, e sim a placa de publicidade atrás do gol.

O final da partida não reservou emoções, ficando no 3 a 0.