Brasil de Pelotas bate Bragantino em pleno Nabi Abi Chedid e cola no G-4 da Série B

Felipe Garcia e Ramon marcaram os tentos que decidiram a partida a favor dos pelotenses

Brasil de Pelotas bate Bragantino em pleno Nabi Abi Chedid e cola no G-4 da Série B
Felipe Garcia comemora o tento que abriu o marcador. (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)
Bragantino
0 2
Brasil de Pelotas
Bragantino: Felipe; Alemão, Ednei, César Gaúcho, Fabiano; Gabriel Dias, Rivaldo (Watson), André Rocha, Erick; Matheus Rodrigues (Jefferson Baiano) e Léo Jaime (Eliandro) Técnico Marcelo Veiga
Brasil de Pelotas: Eduardo Martini; Weldinho, Leandro Camilo, Teco, Marlon; Washington, Leandro Leite, Diogo Oliveira (Clébson), Elias (Nem); Felipe Garcia e Ramon (Marcão) Técnico Rogério Zimmermann
Placar: 0-1, 9' 1T, Felipe Garcia 0-2, 36' 1T, Ramon
ÁRBITRO: Rodrigo Nunes de Sá (RJ), auxiliado por Andrea Izaura Maffra Marcelino de Sá (RJ) e Wendel de Paiva Gouveia (RJ). Cartões Amarelos: Jefferson Baiano, Léo Jaime e André Rocha; Washington e Leandro Leite
INCIDENCIAS: Partida válida pela 22° rodada da Série B do Campeonato Brasileiro

Na noite desta terça-feira (30), o Brasil de Pelotas conquistou sua terceira vitória fora de casa na Série B do Campeonato Brasileiro. No Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, o time gaúcho dominou a partida e derrotou o Bragantino por 2 a 0, com gols de Felipe Garcia e Ramon.

Apesar disso, os comandados de Rogério Zimmermann seguem na quinta colocação, agora com 36 pontos ganhos, enquanto o time paulista segue na zona de rebaixamento, em 19° com 21 pontos.

O Brasil agora volta a campo na sexta-feira (02), quando enfrentará o Goiás (16°) no Estádio Bento Freitas, em Pelotas. Já o Alvinegro viaja até Juiz de Fora para encarar o Tupi (17°) no Estádio Municipal.

Brasil manda na partida e abre boa vantagem

Consistente, o Rubro Negro dominava a posse de bola já nos minutos iniciais. Trocando passes com calma, a bola chegou até Weldinho, que cruzou para Felipe Garcia. A zaga do Alvinegro parou completamente, pedindo impedimento na jogada. Mas era lance legal, e o atacante só empurrou para as redes, abrindo o placar logo aos nove minutos.

Após alguns lances de muitos erros de passes, o Bragantino finalmente começou a pressionar. Com 23', o centroavante Léo Jaime isolou uma boa chance bem na pequena área. Já nos minutos seguintes, foi a vez de Eduardo Martini brilhar. Ele saiu nos pés de Jaime na entrada da área, e, aos 28', fez bela defesa em chute perigoso de César Gaúcho.

Depois que o Brasil restaurou a posse, Marlon efetuou lançamento para Ramon, que apareceu livre para ampliar o placar para o Xavante. Até o final da primeira etapa, o Massa Bruta até chegou novamente, mas César Gaúcho viu sua bela cabeçada ser novamente defendida pelo arqueiro dos visitantes.

Ritmo lento, vaias e muitos erros de passe

No segundo tempo, quem começou melhor foi o Braga. Com seis minutos no relógio, Léo Jaime levou perigo novamente, batendo de fora da área e forçando Martini a defender em dois tempos. Na sequência, o meia Gabriel Dias viu-se sem opções e bateu de longe, acertando o travessão da meta adversária.

Monótona, a segunda etapa teve o Bragantino com mais posse de bola, mas com pouca efetividade. Aos 25', André Rocha arriscou chute de longa pela esquerda e forçou o arqueiro xavante a fazer boa defesa, mandando para escanteio.

Daí pra frente, o time da casa tentou atacar, mas só errava e ouvia as estrondosas vaias da torcida. Até o apito final, nenhum lance de perigo, e o Brasil confirmou seu terceiro triunfo fora de casa no campeonato.