Brasil de Pelotas joga pouco e só empata com Sampaio Corrêa debaixo de chuva

Xavante frustra torcedor no estádio Bento Freitas e fica no empate por 1 a 1 com lanterna da Série B do Campeonato Brasileiro

Brasil de Pelotas joga pouco e só empata com Sampaio Corrêa debaixo de chuva
Empate foi ruim para pretensões de G-4 do Brasil (Foto: Divulgação / Grêmio Esportivo Brasil)
Brasil de Pelotas
1 1
Sampaio Corrêa
Brasil de Pelotas: Eduardo Martini, Weldinho, Cirilo, Camilo e Brock. Nem, Washington, Diogo Oliveira (Clebson) e Felipe Garcia. Ramon (Belusso) e Elias (Gustavo Papa). Técnico: Rogério Zimmermann
Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Éder Sciola, Wagner; Fogolari, Luiz Otávio e Heverton; Diogo Orlando, Diego Lorenzi, Lucas Sotero (Tássio) e Gustavo Marmentinha; Hiltinho e Thiago Santos (Felipe Paulista). Técnico: Flávio Araújo
Placar: 0-1, min. 2', Lucas Sotero; 1-1, min. 9', Ramon.
INCIDENCIAS: Partida válida pela 29ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, disputada no estádio Bento Freitas, em Pelotas.

Com chuva no estádio Bento Freitas, em Pelotas, o Brasil recebeu o Sampaio Corrêa, pela 29ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Os maranhenses saíram na frente com golaço de Lucas Sotero, o Xavante empatou em finalização de Ramon e o placar do primeiro tempo permaneceu até o fim.

As trocas nos dois times não mudaram o desenho da partida. Os mandantes erraram muitos passes, tiveram pouca criação e não superaram os visitantes do Sampaio Corrêa. Com o resultado, o lanterna da competição fica com 22 pontos e segue desafiando a matemática para respirar no torneio. Já o Brasil de Pelotas também fica do objetivo de G-4, sendo o sexto colocado, com 45 pontos somados na competição. O Londrina, quarto na tabela, tem 48 pontos.

Na próxima rodada, o Brasil de Pelotas vai a Recife enfrentar o Náutico, pela 30ª jornada, na sexta-feira (7). Duelo direto pelo G-4, já que o Náutico tem a mesma pontuação do Xavante e ocupa o quinto lugar. No sábado, o Sampaio Corrêa recebe o seguro Luverdense, que é o 11º na tabela da Série B.

Jogo começa a mil e Brasil erra muito na sequência

O lateral-esquerdo Marlon voltou a desfalcar o Brasil. Cotado para o jogo, ele teve uma amigdalite e deu lugar novamente a Brock, na terceira participação consecutiva do substituto imediato. O jogo começou a todo vapor no estádio Bento Freitas. Logo a 2 minutos, o Sampaio Corrêa conseguiu uma recuperação de bola no campo de defesa e puxou um ataque veloz. Na frente, Lucas Sotero trouxe a bola e descolou uma finalização precisa para colocar no ângulo, em belo gol: 1 a 0 ao visitantes.

Em seguida, aos 9 minutos, o Brasil voltou à partida. Deu literalmente o troco. Roubada de bola do volante Washington e bola acionada até o atacante Ramon. O Ramonstro invadiu a área e tocou sutilmente na saída do goleiro dos maranhenses: bola no canto e 1 a 1 no placar, para delírio da torcida rubro-negra.

O Brasil partiu para a reação, pois só a vitória interessava pelo reingresso ao G-4. Em escanteio da direita, aos 20 minutos, Cirilo subiu para o toque de cabeça e mandou à direita. Os jogadores até pediram novo escanteio, mas a arbitragem confirmou o tiro de meta. Aos 28 minutos, um contra-ataque do Sampaio quase foi letal. Bola saiu do meio de Gustavo Marmentini, foi liberada para direita, Sotero cruzou e Thiago Santos cabeceou para grande defesa de Eduardo Martini, que espalmou sobre a linha.

O Brasil esperava a vitória para seguir firme em casa e na parte de cima da tabela, porém, errava muitos passes e dificultava a ligação do meio para o ataque. Aos 35', Weldinho tocou para Diogo Oliveira, o meia invadiu a área pela direita e chutou rasteiro para fora. Na alternância das chances, Thiago Santos saiu da área, cruzou e ninguém desviou, ficando a bola para firmeza do caído goleiro Eduardo Martini. Primeira etapa marcada por falhas na saída de jogo xavante e desatenção para culminar no empate, inclusive nas criações.

Sampaio Corrêa volta melhor, Brasil não reage e fica no empate

A primeira chance da etapa final foi do Brasil. Jogada pelo meio de Elias, ele abriu na direita para Weldinho, o lateral cruzou rasteiro e Ramon, mesmo impedido, não alcançou em cheio para marcar, aos 3 minutos. Quem chegou junto ao segundo tempo foi a chuva em Pelotas, acompanhada dos permanecentes frio e vento. Em encaixe de passes do Sampaio, um chute pelo meio terminou em defesa espalmada de Martini.

Aos 8 minutos, Lucas Sotero fez par com o companheiro de Sampaio Corrêa, resolveu arriscar e mandou por cima. As chegadas dos maranhenses deixavam o Brasil em maus lençóis, em combinações de jogada com toques rápidos. O Brasil buscou se organizar, mas a missão estava difícil no estádio Bento Freitas.

O técnico Rogério Zimmermann resolveu mudar e tirou Ramon para entrada de Jonathas Belusso. Já o meia Diogo Oliveira fez jornada abaixo e saiu para dar lugar a Clebson. O técnico Flávio Araújo, por sua vez, tirou o atacante Thiago Santos para o ingresso de Felipe Paulista. O Brasil buscou ataques pela direita, com Belusso, mas a defesa estava presente para rechaçar.

A última esperança do Brasil foi a entrada de Gustavo Papa, autor dos gols contra o Ceará, na saída de Elias. Com bolas cruzadas de forma errada, o goleiro Rodrigo Ramos não teve problemas maiores para segurar a igualdade no placar. 1 a 1 na chuvosa noite de Pelotas.