Seu clube é prejudicado porque seus dirigentes são coniventes com isso

Não basta gritar em microfones quando convém se não for para propor mudanças reais para a arbitragem

Seu clube é prejudicado porque seus dirigentes são coniventes com isso
Seu clube é roubado porque seu dirigente é conivente com isso

O cenário é conhecido. Foi discutido em 2015, em 2014, em 2013, em 1999 e talvez na primeira partida de futebol já realizada. Um cartão vermelho exagerado aqui, um impedido mal marcado ali, um gol mal anulado acolá e o circo está montado: são jogadores e dirigentes colocando a boca no trombone, rodada após rodada, para reclamar da arbitragem. Vence aquele que fizer mais barulho. E a melhoria de fato, quando será discutida?

Discussão clássica em toda rodada de Campeonato Brasileiro: time A é prejudicado contra time B. Dirigente de time A reclama da arbitragem que favoreceu time B. Dirigente do time B faz piada da reclamação e cita outros casos onde time A foi favorecido. Então, o foco muda. A queda de braço nas reclamações passa a ser foco, não mais a arbitragem. E sabe por que? Porque nenhum dos dois lados quer melhorias, quer é vencer no grito.

Os mandatários do seu clube não gritam por uma arbitragem melhor, gritam para que, lá na frente, quando houver outro lance duvidoso, a decisão penda para seu lado. E, quando isso ocorrer, o mesmo que esbravejou pelo prejuízo, se calará no benefício, e assim seguirá girando a roda da hipocrisia. Por quê escolhi a frase 'Seu clube é prejudicado porque seus dirigentes são coniventes com isso' como título? Porque é o retrato atual do futebol brasileiro. 

Os mandatários do seu clube são os mesmos que vão ironizar a reclamação de um rival quando convir. É 'mimimi', o 'choro é livre', e assim serão cúmplices da mesma arbitragem fraca que tanto reclamam. O apito que te beneficia hoje é o mesmo que te prejudica amanhã. Menosprezar reclamação alheia é ser conivente com o nível atual. Não são casos isolados, são eventos semanais. E não porque existe um esquema, mas sim porque a arbitragem é fraca. 

Os mandatários do seu clube vão passar o ano inteiro esbravejando, gritando, fazendo todo tipo de show possível na frente das câmeras, para votar nos mesmos coronéis que comandam a CBF na única chance efetiva que têm para mudar esse cenário. Passarão anos e anos reclamando para reeleger as mesmas pessoas que irão reclamar no futuro. Círculo vicioso e novamente de conivência.

Você pode acreditar na lenda urbana que preferir. Esquema, arbitragem comprada, eixo Rio-São Paulo, qualquer uma. Todos têm o direito de se iludir com aquilo que achar melhor. Mas, enquanto a guerra seguir para quem grita mais alto e não para propor mudanças, seguiremos compactuando com o mesmo circo.

Enquanto isso, a NFL transmite partidas ao vivo pelo Twitter, a NBA faz cálculo de segundos para tornar a partida mais justa, e no Brasil se discute se a televisão deve ou não ser usada para esclarecer lances polêmicos... Paciência.

PS.: Existem árbitros inexperientes e despreparados. São duas categorias diferentes e todos eles são os menos culpados nessa história. Profissionaliza-los é o primeiro passo a ser feito. Os grandes culpados disso tudo estão muito acima de quem sopra um apito. Não sejam injustos com quem não merece.