Gegê marca de cabeça e ABC vence Brasil de Pelotas após oito revés consecutivos

Time de Natal é o penúltimo colocado da Série B, mas voltou a triunfar após 10 rodadas; Xavante segue próximo da zona de rebaixamento e mantém sinal de alerta

Gegê marca de cabeça e ABC vence Brasil de Pelotas após oito revés consecutivos
Foto: Andrei Torres / ABC FC
ABC
1 0
Brasil de Pelotas
ABC: Edson; Bocão, Filipe, Cleiton e Levy; Anderson Pedra, Márcio Passos, Erivelton e Gegê; Dalberto e Daniel Cruz
Brasil de Pelotas: Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Evaldo e Breno; Itaqui, João Afonso, Nem e Juninho; Wagner e Rodrigo Silva
Placar: 1-0, Gegê. 44'/1º.
ÁRBITRO: Heber Roberto Lopes (PR)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 17ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2017, disputada no estádio do Frasqueirão em Natal.

O ABC voltou a vencer. O time de Natal entrava pressionado pela péssima campanha, com oito derrotas seguidas e apenas a 19ª colocação na tabela entre os 20 clubes da Série B do Campeonato Brasileiro. Mas eis que no confronto desta terça-feira (25), o alvinegro nordestino sorriu ao soar o apito final. Diante do Brasil de Pelotas, o meio-campista Gegê foi o destaque na construção das jogadas e ainda foi o definidor no gol marcado por ele, de cabeça, aos 44 minutos do primeiro tempo. E foi só em termos de gol para consolidar três pontos ao time de Natal.

Com o resultado, o ABC mantém a 19ª posição, subindo sua pontuação para um total de 15. O Xavante pelotense segue ameaçado pelo Z-4. É o 15º colocado com 20 pontos ganhos até aqui. Na próxima jornada, o Brasil de Pelotas recebe o Boa Esporte de Vargninha no estádio Bento Freitas. Na Arena Barueri, o jogo seguinte do ABC é contra o Oeste de Itápolis.

Jogo começa intenso, decai em ritmo, mas Gegê abre o placar

Aos 2 minutos, Juninho, ingressante na vaga do expulso e suspenso Marcinho, fez jogada pela esquerda, finalizou e o goleiro Edson praticou sua primeira boa defesa no jogo. Todavia, os instantes iniciais foram os mais movimentados. Após esse ataque do Xavante pelotense, o time da casa criou situações em busca do seu gol. Em falta cobrada de forma frontal aos 7 minutos, Gegê, meio-campista que pertence ao Botafogo do Rio de Janeiro, mandou a bola próxima ao ângulo. No minuto seguinte, Bocão conduziu e finalizou uma bola que passou à frente da meta.

Do lado do Brasil de Pelotas, somente mais duas finalizações até o fim da etapa. Juninho estava a fim de jogo, mas chutou alto demais, à esquerda da meta. Em outro chute, o ex-atacante do ABC, Rodrigo Silva tentou exercer a lei do ex, mas novamente a bola se perdeu por cima da meta. O ABC tratava mais a bola, trocando passes, mas com ritmo lento e sem ofensividade. Eis que um lançamento, às costas da cobertura xavante aos 44 minutos, resultou em cruzamento certeiro da direita, a defesa não subiu e quem guardou em cabeceio foi Gegê: 1 a 0 ao ABC, em cabeçada no cantinho da meta, sem chances ao goleiro.

O time da casa provocou o apoio da torcida que se fazia presente no Frasqueirão. Um chute no canto no último minuto da primeira metade ainda obrigou o goleiro Marcelo Pitol a espalmar em excelente defesa.

Chuva, desgaste, mas vitória alvinegra

O segundo tempo foi de intensidade nas chuvas que chegavam à capital do Rio Grande do Norte. No Xavante do técnico Clemer, em seu segundo jogo à frente do time, trocas no início do segundo tempo. O atacante Rodrigo Silva deu lugar a Cassiano. Wagner saiu em seguida para entrada de Misael. Nada resolvia e a criação não estava fértil no rubro-negro.

Do lado do ABC, o desgaste físico ficava evidente. Gegê e Bocão tentavam as melhores ações, mas os demais companheiros não os acompanharam na maioria dos lances e a meta adversária não era incomodada. Somente passada a marca dos 30 minutos, duas chegadas venenosas. Do lado do ABC, Gegê abriu espaço pelo meio e mandou o chute no canto, obrigando Pitol a espalmar e defender em dois tempos. Não passou um minuto para o Xavante responder. Trama pelo meio da defesa, o atacante Cassiano encontrou proximidade com Juninho, ele invadiu a área, mas Edson fechou o ângulo e defendeu para salvar os nordestinos.

O jogo se aproximava do final. Recém chegado ao clube do ABC, o técnico Márcio Fernandes consultava seus auxiliares antes de cada troca. No fim, cada treinador efetuou as três, mas alterações no placar não vieram. Marcador de 1 a 0 para o time de Natal e alívio para voltar a vencer na difícil Série B.