Em jogo polêmico e com gol irregular no fim, Boa Esporte arranca empate do Guarani

Em partida com grandes erros de arbitragem, mineiros e paulistas ficaram no 2 a 2

Em jogo polêmico e com gol irregular no fim, Boa Esporte arranca empate do Guarani
Foto: Gabriel Ferrari/Guarani Press
Boa Esporte
2 2
Guarani
Boa Esporte: Fabrício; Ruan, Douglas Assis, Júlio Santos, Paulinho; Escobar, Diones (Juninho), Thaciano; Felipe Mateus, Rodolfo, Reis (Casagrande) | Técnico Nedo Xavier
Guarani: Vagner; Lenon, Ewerton Páscoa, Willian Rocha (Diego Jussani), Richarlyson; Evandro, Betinho, Bruno Nazário, Fumagalli (Pablo Oliveira), Paulinho (Kevin); Rafael Silva | Técnico Marcelo Cabo
Placar: Rodolfo, 41' 1T, 1-0 | Fumagalli, 3' 2T, 1-1 | Ruan (contra), 22' 2T, 1-2 | Rodolfo, 44' 2T, 2-2
ÁRBITRO: Rafael Traci (PR), auxiliado por Ivan Carlos Bohn (PR) e Pedro Martinelli Christino (PR) | Cartões Amarelos: Reis; Betinho e Ewerton Páscoa
INCIDENCIAS: Partida válida pela 24° rodada da Série B do Campeonato Brasileiro

Cheio de emoções, o embate entre Boa Esporte Guarani na noite desta terça-feira (12) chamou atenção. Com dois gols de Rodolfo para os mandantes e Fumagalli Ruan (contra) para os visitantes, o placar acabou em 2 a 2 em Varginha, numa partida cheia de decisões polêmicas da arbitragem.

No primeiro turno, a vitória havia sido do Bugre, por 2 a 1. Com o empate desta noite, as duas equipes seguem abraçadas na tabela de classificação, com 33 pontos, em 10° e 11°. O time de Campinas tem uma vitória a mais, e por isso fica na frente.

O time do técnico Marcelo Cabo agora retorna para casa, onde receberá o Paraná (5°) na próxima rodada. Já o Boveta viaja até Caxias do Sul para encarar o Juventude (6°), para quem perdeu em casa no primeiro turno.

Boa pressiona e abre o placar aos 41'

Os primeiros lances do jogo já mostravam quem iria mandar na partida. Com dois minutos no cronômetro, um cruzamento de Rodolfo quase resultou em gol contra de Richarlyson, e no rebote do escanteio, Felipe Mateus bateu forte, por cima do gol de Vágner.

Marcando forte e em cima, os dois times esperavam o erro do adversário. A primeira chegada do Guarani foi com Rafael Silva, que desviou cruzamento de Bruno Nazário com a pontinha da chuteira e viu o goleiro Fabrício operar um milagre debaixo das traves.

A partir daí, a qualidade do jogo baixou, e ambos os times erravam. O Bugre tentava sair jogando e errava passes, dando a bola de graça no ataque dos mineiros, que também cometiam erros.

Já para o fim do primeiro tempo, Rodolfo começou a desequilibrar o jogo: com um belo chute de perna esquerda, no ângulo de Vágner, ele abriu o marcador e levou o Boa Esporte para o intervalo na vantagem de 1 a 0.

Virada, gols polêmicos e empate no final

Voltando para o segundo tempo, Marcelo Cabo mudou a tática do time e deixou de ser apenas um reagente. Logo no primeiro minuto, a nova estratégia já deu resultado, com um pênalti marcado para o time de Campinas.

Mesmo com a marcação rápida, o árbitro consultou os auxiliares, que não lhe avisaram que quem colocou a mão na bola no lance foi o atacante do GuaraniRafael Silva. A infração foi do Bugre, mas ele considerou pênalti no lance. Fumagalli converteu e igualou o placar.

Depois do polêmico empate, o jogo ficou mais corrido e nervoso. Aos 10', Fumagalli deu belo lançamento para Paulinho, que bateu forte para bela defesa de Fabrício. Na sequência do lance, quem chegou foi o time mineiro, que, após cobrança de falta, quase marcou com Rodolfo, no segundo poste.

Mas quem aproveitou o melhor momento no jogo foi mesmo o Guarani, que aos 22' virou o jogo em nova jogada de Fumagalli. Ele cruzou para a área e viu Ruan desviar de leve, contra para o fundo do gol.

Sabendo que precisava mudar algo, o técnico Nedo Xavier colocou todo o seu time para o ataque. Foram mais de vinte minutos de pressão desordenada, com cruzamentos longos e muitas bolas afastadas pela zaga bugrina.

Mas aos 44', a sorte mudou. Em lançamento para o claramente impedido RuanRodolfo colocou-se na pequena área para receber e tocar para o barbante, marcando seu segundo tento no jogo e o gol de empate do Boa, que no último lance ainda teria um forte chute de Júlio Santos na pequena área. Vágner defendeu com maestria e definiu o empate em 2 a 2.