Brasil de Pelotas bate CRB com gols de Rafinha e ultrapassa adversário na tabela

Xavante chegou à vitória com jogadas de Misael e finalizações de Rafinha; Resultado leva Rubro-Negro aos 33 pontos na Série B

Brasil de Pelotas bate CRB com gols de Rafinha e ultrapassa adversário na tabela
Foto: Divulgação / G.E.Brasil
Brasil de Pelotas
2 0
CRB
Brasil de Pelotas: Edson, Marcos, Boaventura, Gabriel e Diego. Adriano, Tony (Danilo Pires), Chico, Yuri (Pablo); Marion (Salles) e Neto Baiano.
CRB: Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Teco e Breno; Leandro Leite (Itaqui) e João Afonso; Marcinho, Rafinha e Misael; Cassiano.
Placar: 1-0, Rafinha. 2-0, Rafinha.
INCIDENCIAS: Partida válida pela 24ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, disputada no estádio Bento Freitas, em Pelotas. 2.879 presentes

No jogo entre os Brasis, o de Pelotas recebeu o CRB no sábado, em jogo disputado no estádio Bento Freitas. A partida, válida pela 24ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, ocorreu às 16h30 e quem se deu melhor foi o time rubro-negro. Os gaúchos venceram por 2 a 0, em gols anotados por Rafinha, após cruzamentos na medida feitos por Misael. Um tento no primeiro tempo e outro nos acréscimos da etapa final.

Com o resultado, o Brasil de Pelotas fica com 33 pontos, na 9ª colocação. O CRB é ultrapassado pelo Xavante, tem 32 pontos e caiu ao 13º posto na classificação. Na próxima rodada, os alagoanos recebem o Criciúma. O Xavante joga fora de casa contra o Ceará. Jogos no próximo sábado (23). O CRB entra em campo às 16h30 e o Brasil às 19h00, no fechamento da 25ª rodada.

Só o Brasil joga e vence o primeiro tempo

O Xavante tinha modificações. Rafinha voltou ao time. Cassiano substituiu Lincom e Misael começou no lugar de Juninho. O time iniciou no ataque. Rafinha passou no meio da defesa, mas na hora do chute acabou errando a bola, até com alguns pedidos de pênalti, mas o lance seguiu. Os ataques seguiram pela direita, Rafinha cobrou escanteio, fez dois levantamentos, Marcinho recebeu uma sobra, mas chutou cruzado direto pela linha de fundo. Eram jogados 7 minutos no Bento Freitas.

O rubro-negro atacava muito mais jogando em casa. Era pressão nos instantes iniciais, mas faltava uma grande chance, além do gramado, pesado pelas torrenciais chuvas, prejudicar o andamento de algumas jogadas. Ainda sem finalizar, Rafinha cobrou falta de maneira fechada para área e o goleiro Edson espalmou com um soco na bola.

Demorou, mas aconteceu. 28 minutos de jogo, trama pelo lado esquerdo, o bem articulado Misael cruzou de dentro da área e o camisa 10 Rafinha, de volta ao time, cabeceou para o fundo das redes: 1 a 0. O CRB precisava sair de trás e o Brasil queria mais. Breno fez a jogada na linha de fundo, passou pelos marcadores, mas chutou na rede pelo lado de fora, na marca de meia hora.

Cassiano tentava nova investida, mas foi parado por Gabriel com um puxão no pescoço. Cartão amarelo ao capitão e defensor que matou a jogada. A pressão era incrível. 33 minutos de jogo, Leandro Leite entregou na área para Cassiano e o jogador do CRB evitou o gol na finalização do atacante. Faltou melhor acabamento nos lances a seguir e somente Eder Sciola teve uma chance em cabeçada desviada pela linha de fundo. O primeiro tempo chegou ao fim na vantagem rubro-negra por 1 a 0 e a chuva seguia a castigar a cidade de Pelotas.

Segundo tempo pouco movimentando e gol para sacramentar vitória no fim

O jogo recomeçou e o CRB teve chances em escanteios na marca dos 5 minutos. Os alagoanos não apareciam no campo de ataque, então conseguiram uma ligeira melhora no início da etapa final. Porém, dessa maneira ficava exposto a contra-ataques xavantes.

Leandro Leite saiu e entrou Itaqui. Pelo CRB, Flávio Boaventura sofreu o cartão amarelo após acertar o atacante Cassiano. Em seguida, o técnico Dado Cavalcanti propôs a entrada de Pablo, estreante, para tentar crescer na partida e chegar ao empate. Um dos primeiros lances foi uma finalização perigosa disparada por Tony e Marcelo Pitol precisou espalmar para salvar o Xavante, na marca dos 18 minutos. Na cobrança do corner, Flávio Boaventura cabeceou pela linha de fundo, quase acertando o alvo.

Após, o ritmo novamente decaiu e a concentração era no meio de campo. O CRB precisava de mais poder ofensivo. Tony e Marion saíram. Danilo Pires e Erick Salles entraram na peleia. Entretanto, os alagoanos não criavam oportunidades próximas. Alguns escanteios davam chances para jogar a bola na área, mas a defesa do Brasil rechaçava como podia.

Nos acréscimos, a consagração do resultado. Misael poderia ter finalizado, mas entregou a bola na área para Rafinha chutar firme, o goleiro Edson ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar o gol. Placar de 2 a 0, repetindo os autores das assistências e dos tentos. Sobrou apenas a espera pelo apito final. Resultado importante para o Xavante fugir das proximidades da zona do rebaixamento.